Equação de Mason-Weaver

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A equação de Mason-Weaver descreve a sedimentação e difusão de solutos sob a acção de uma força uniforme, usualmente o campo gravitacional.[1] Suponndo que o campo gravitacional está alinhado na direcção z, a equação de Mason-Weaver escreve-se:

onde t é o tempo, c é a concentração de soluto (moles por unidade de comprimento na direcção z), e os parâmetros D, s, e g representam a constante de difusão do soluto, o coeficiente de sedimentação e a aceleração da gravidade, respectivamente.

A equação de Mason-Weaver é complementada pelas condições de fronteira:

na parte superior e inferior da célula, indicadas como e , respectivamente. Estas condições de fronteira correspondem aos requerimentos físicos de que nenhum soluto atravessa a parte superior ou inferior da célula, ou seja, o fluxo ali é zero. A célula supõe-se rectangular e alinhada com os eixos cartesianos, de forma a que o fluxo líquido através das paredes laterais é também zero. Portanto, a quantidade total de solução na célula

é conservada, i.e., .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Mason, M; Weaver W (1924). «The Settling of Small Particles in a Fluid». Physical Review. 23: 412–426