Era heroica grega

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A era heroica grega, na mitologia, é o período entre a chegada dos Gregos a Tessália e o retorno dos gregos de Troia.[1] Ela foi demarcada como uma das cinco Eras do Homem por Hesíodo.[2] O período abrange cerca de seis gerações, os heróis denotado pelo termo são sobre-humanos, apesar de não serem divinos, e são celebrados na poesia de Homero.

Os heróis gregos podem ser agrupados em uma cronologia aproximada, com base em determinados eventos, tais como a expedição dos Argonautas e a Guerra de Troia.

Início de heróis[editar | editar código-fonte]

Muitos dos antigos heróis gregos eram descendentes dos deuses, e eram parte das narrativas fundadoras de várias cidades-estados. Eles também se tornaram os ancestrais dos heróis mais tarde. O príncipe Fenício Cadmo, foi o primeiro herói grego. O neto de Poseidon (através de seu pai, Agenor), fundou Tebas[3]

Perseu, famoso por suas façanhas bem antes da época de seu bisneto, Hércules,[4] era o filho de Zeus. Perseu decapitou a Medusa, salvou Andromeda do monstro do mar Cetus, e foi o lendário fundador de Micenas.

Éaco também era um filho de Zeus. Belerofonte era descendente da ninfa, Orseis. Enomau, rei de Pisa, no Peloponeso, era o filho de Ares. .

Caça ao Javali da Caledonia[editar | editar código-fonte]

Um monstruoso javali foi enviada por Artemis, para  devastar a região de Caledonia na Etólia, porque o seu rei se negou a honrá-la em seus rituais para os deuses. O Rei enviou mensageiros em busca dos melhores caçadores na Grécia, oferecendo-lhes a pele do javali e os dentes como prêmio. Uma série de heróis responderam, incluindo Atalanta, Laerte, Meleagro, Nestor, Peleu, Fênix, e Teseu.

Argonautas[editar | editar código-fonte]

O mito de Jasão e o Velo de Ouro é uma das mais antigas lendas de uma jornada do herói. Jasão navegou no Argo, e aqueles que o acompanhavam foram chamados de "Argonautas". Sua missão era viajar para o reino da Cólquida, no Mar Negro, para obter o "Velo de Ouro", um símbolo de autoridade e realeza. Com ele, Jasão iria se tornar o rei de Iolcos , na Tessália.[5] [6]

Os Argonautas:

Outros:

Geração de Édipo[editar | editar código-fonte]

A história de Édipo é a base de uma trilogia de peças de Sófocles, no entanto, histórias semelhantes têm sido atribuídas às culturas de todo o mundo.[7]

Geração dos Sete Contra Tebas[editar | editar código-fonte]

Édipo coloca uma maldição sobre seus filhos, Etéocles e Polinices. O tema subjacente da lenda dos "Sete Contra Tebas" é o cumprimento dessa maldição.[8] Embora os irmãos concordaram em compartilhar o poder de Tebas, quando é hora de Etéocles se afastar, ele se recusa, e Polinices traz um exército contra a sua amada cidade para fazer valer a sua pretensão. No Phoenissae (as Fenícias), o patriotismo é um tema importante.

A geração da Guerra de Troia[editar | editar código-fonte]

Consulte a Guerra de Troia e Epígono, Gregory Nagy vê a mortalidade como o "tema dominante nas histórias dos antigos heróis gregos.[9] No leitura de Troia, Aquiles opta por uma vida curta, deixando uma memória imortal .

Geração após a Guerra de Troia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Thirlwall, Connop (1845). A history of Greece. 1. [S.l.: s.n.] 
  2. Hesiod, Works and Days 156–73.
  3. Alden, John B. (1883) The Greek Anthology, pp. 160–162.
  4. Kerenyi, Karl, 1959. The Heroes of the Greeks (London: Thames and Hudson) p. 75.
  5. Wood, Michael. "Jason and the Argonauts", In Search of Myths and Heroes, PBS
  6. Gray, Richard. "Legend of the Golden Fleece was Real", Daily Mail, 27 November 2014
  7. Boxer, Sarah. "How Oedipus Is Losing His Complex", The New York Times 6 December 1997
  8. Bellinger, Martha Fletcher. A Short History of the Drama, New York: Henry Holt and Company, 1927
  9. Nagy, Gregory. Ancient Greek Heroes in 24 Hours, Harvard University Press, 2013 ISBN 9780674075429

Ligações externas[editar | editar código-fonte]