Erasto de Paneas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
São Erasto de Paneas
Erasto, Olimpas, Rodião, Sosípatro, Quarto e Tércio.
c. 985, no Menológio de Basílio II.
Bispo de Paneas
Veneração por Toda cristandade
Festa litúrgica 4 de janeiro e 10 de novembro
Gloriole.svg Portal dos Santos

Erasto de Paneas (em grego: Ἔραστος; em latim: Erastus) é um dos Setenta Discípulos. Ele é citado no Novo Testamento em «Saúda-vos Gaio, meu hospedeiro e o da igreja toda. Saúda-vos Erasto, tesoureiro da cidade, e Quarto, nosso irmão.» (Romanos 16:22) como tendo sido o tesoureiro da igreja de Jerusalém. Ele foi consagrado bispo de Paneas, na Palestina.

Um Erasto também é citado em II Timóteo e Atos 19 e tradicionalmente considera-se que são a mesma pessoa.

No Espiritismo, consta-se que Erasto teria sido um dos mensageiros mais importantes entre os que tiveram textos publicados nos livros de Allan Kardec. A Erasto se atribui a frase "Mais vale rejeitar dez verdades do que admitir uma única mentira, uma única teoria falsa".[1]

Fonte[editar | editar código-fonte]

Assim como diversos outros santos, Erasto teve sua vida contada no livro Prólogo de Ohrid, de São Nikolai Velimirovic.

Referências

  1. Kardec, Allan (1861 (primeira edição em francês)). «O Livro dos Médiuns». O Livro dos Médiuns. Consultado em 05 de novembro de 2018  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um santo, um beato ou um religioso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.