Erik von Kuehnelt-Leddihn

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Erik Maria Ritter von Kuehnelt-Leddihn (31 de julho de 190926 de Maio de 1999) foi um intelectual austríaco católico e aristocrata. Descreveu-se a si mesmo como extremamente conservador e arqui-liberal; ou, para ser mais exacto, defendeu a monarquia contra aquilo que designava como o totalitarismo da decisão da maioria que a democracia representava. Os seus primeiros livros, "A ameaça da multidão" (Menace of the Herd, em inglês) e "Liberdade e Igualdade" foram muito influentes no movimento convervador dos Estados Unidos. Era poliglota, capaz de falar oito línguas diferentes e de ler outras onze.[1] Os seus textos mais comentados foram publicados na revista norte-americana conservadora National Review, onde foi colunista por 35 anos. Trabalhou ainda no Acton Institute.[2] e foi professor adjunto no Instituto Ludwig Von Mises.

Referências

  1. William F. Buckley, Jr. (1985-12-31). «A Walking Book of Knowledge». National Review [S.l.: s.n.] p. 104. 
  2. «Erik Ritter von Kuehnelt-Leddihn (1909–1999)». Acton Institute. Consultado em 2009-04-16. 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.