Erik von Kuehnelt-Leddihn

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Erik Maria Ritter von Kuehnelt-Leddihn (31 de julho de 190926 de Maio de 1999) foi um intelectual austríaco católico e aristocrata. Descreveu-se a si mesmo como extremamente conservador e arqui-liberal; ou, para ser mais exacto, defendeu a monarquia contra aquilo que designava como o totalitarismo da decisão da maioria que a democracia representava. Os seus primeiros livros, "A ameaça da multidão" (Menace of the Herd, em inglês) e "Liberdade e Igualdade" foram muito influentes no movimento convervador dos Estados Unidos. Era poliglota, capaz de falar oito línguas diferentes e de ler outras onze.[1] Os seus textos mais comentados foram publicados na revista norte-americana conservadora National Review, onde foi colunista por 35 anos. Trabalhou ainda no Acton Institute.[2] e foi professor adjunto no Instituto Ludwig Von Mises.

Referências

  1. William F. Buckley, Jr. (31 de dezembro de 1985). «A Walking Book of Knowledge». National Review. p. 104 
  2. «Erik Ritter von Kuehnelt-Leddihn (1909–1999)». Acton Institute. Consultado em 16 de abril de 2009 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.