Erling Lorentzen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Erling Lorentzen
Nascimento Erling Sven Lorentzen
28 de agosto de 1923
Christiania
Morte 9 de março de 2021 (97 anos)
Oslo
Cidadania Noruega, Brasil
Progenitores
  • Øivind Lorentzen
  • Ragna Nilsen
Cônjuge Ragenhilda da Noruega
Filho(s) Haakon Lorentzen, Ragnhild Lorentzen, Ingeborg Lorentzen
Irmão(s) Erik Finn Lorentzen
Alma mater
Ocupação armador, administrador, empreendedor
Prêmios
  • Comendador da Ordem de Santo Olavo
  • St. Olav's Medal With Oak Branch
  • Defence Medal 1940–1945
  • King Harald V's Jubilee Medal 1991–2016
  • Medalha do 100º aniversário da Casa Real
  • Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul
  • Medalha do 70º aniversário de Haakon VII
Empregador Norwegian Academy of Technological Sciences

Erling Sven Lorentzen (Oslo, 28 de janeiro de 1923 - Oslo, 9 de março de 2021) foi um empresário norueguês radicado no Brasil. Ele foi fundador e presidente da Aracruz Celulose, da qual detinha 28% das ações vendidas recentemente[quando?] para o Grupo Votorantim.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Sexto filho de Øivind Lorentzen e de sua esposa Ragna Nilsen, Erling, aos dezessete anos, voluntariou-se para servir na Segunda Guerra Mundial, embora não fosse velho o bastante. Ele atuou no setor médico, ajudando a cuidar de feridos. Envolveu-se no movimento de resistência norueguesa, que estava sendo organizado gradualmente. No final de 1942, contudo, Lorentzen foi obrigado a fugir da Noruega, partindo para a Suécia e depois para a Inglaterra, onde foi treinado por um ano.

No início de 1944, Erling retornou à Noruega e recebeu a tarefa de organizar, treinar e liderar tropas em uma área do país, onde havia uma importante ligação ferroviária entre o sul e o oeste. Lá permaneceu até o fim da guerra, instruindo cerca de oitocentas pessoas.

Quando a guerra finalmente acabou, Erling Lorentzen resolveu continuar seus estudos e foi aceito na Harvard Business School, nos Estados Unidos. Após o término dos estudos, ele regressou à Noruega para ajudar a administrar os negócios da família, mas também continuou seu serviço militar.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Erling Lorentzen casou-se com a princesa Ragnhild da Noruega, a filha mais velha do rei Olavo V e da princesa Marta da Suécia, em 15 de maio de 1953, em Asker. O casal mudou-se para o Rio de Janeiro, e teve três filhos:

Erling ficou viúvo em 16 de setembro de 2012.

Negócios[editar | editar código-fonte]

O negócio de sua família era marinha mercante, e os Lorentzen tinham uma linha que ia do golfo do México até a costa leste do Brasil e da Argentina. No início dos anos 50, Erling planejou uma visita ao Brasil, para encontrar-se com seus representantes. Na época, eles transportavam gás de petróleo liquefeito do golfo do México ao Brasil.

A caminho do Brasil, Erling soube que a Esso estava querendo vender sua companhia de distribuição de gás no Brasil. Então, em vez de visitar seus representantes, Erling procurou saber mais a respeito de tal companhia que estava à venda, que expandiria o negócio de transporte de GPL. Quando os Lorentzen compraram a companhia, Erling mudou-se para o Brasil permanentemente. A companhia cresceu consideravelmente, mas Lorentzen vendeu-a em 1972.

Depois da venda, ele iniciou outros negócios, tais como a Aracruz.[1]

Morte[editar | editar código-fonte]

Morreu em 9 de março de 2021, aos 97 anos, na cidade de Oslo, capital da Noruega.[2][3]

Referências

  1. Samor, Criado por Geraldo. «A incrível história de Erling Lorentzen, o visionário da celulose». Brazil Journal. Consultado em 14 de março de 2021 
  2. Mejborn, Katja (9 de março de 2021). «Kong Haralds svoger Erling Sven Lorentzen er død». www.bt.dk (em dinamarquês). Consultado em 9 de março de 2021 
  3. «Luto en Noruega por Erling Lorentzen, el cuñado de Harald que nunca fue príncipe». www.vanitatis.elconfidencial.com (em espanhol). 9 de março de 2021. Consultado em 9 de março de 2021