Ermelo (Mondim de Basto)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portugal Ermelo 
  Freguesia portuguesa extinta  
Ermelo 01.JPG
Concelho primitivo Mondim de Basto
Extinção 28 de janeiro de 2013
Área
- Total 40,36 km²

Ermelo é uma antiga freguesia portuguesa do concelho de Mondim de Basto, com 40,36 km² de área e 483 habitantes (2011). A sua densidade populacional era 12 hab/km².
Foi extinta (agregada) pela reorganização administrativa de 2012/2013,[1] sendo o seu território integrado na União de Freguesias de Ermelo e Pardelhas.

A povoação de Ermelo teve forais dados por D. Sancho I (Guimarães, em Abril de 1196), que a elevou a vila e sede de concelho, e por D. Manuel I (Lisboa, 3 de Junho de 1514)[2]. O concelho era constituído pelas freguesias de Bilhó, Campanhó, Ermelo, Pardelhas e Lamas de Olo. Tinha, em 1801, 2 091 habitantes. Após as primeiras reformas administrativas do Liberalismo, passou a integrar também as freguesias de Campeã[3], Quintã[4] e Vila Cova[5]. Tinha, em 1849, 4 314 habitantes. Em 31 de Dezembro de 1853, o concelho foi extinto, sendo as suas freguesias divididas entre os concelhos de Mondim de Basto e Vila Real[2][3][4][5].

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Ermelo deriva provavelmente do germânico lo, que significa floresta e de irmin do qual existem diversas explicações entre as quais a palavra "divino" ou a referência ao antigo deus germânico de nome Irmin.

Uma outra explicação  para a palavra é eremus, proveniência latina cujo significado é solitário ou desértico.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Património natural[editar | editar código-fonte]

Património[editar | editar código-fonte]

Pelourinho de Ermelo

Notas e Referências

  1. Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  2. a b Arquivo Distrital de Vila Real, "Administração do Concelho de Ermelo"
  3. a b Ribeiro Aires (2007) — História das Freguesias do Concelho de Vila Real. Vila Real: Maronesa. pp. 181 ss.
  4. a b Idem, pp. 523 ss.
  5. a b Idem, pp. 703 ss.
Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.