Erna Solberg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, e ainda pode necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Erna Solberg
Primeira-Ministra da Noruega
Período 16 de outubro de 2013
presente
Monarca Haroldo V
Antecessor Jens Stoltenberg
Ministra do Governo Local
e Desenvolvimento Regional
Período 19 de outubro de 2001
a 17 de outubro de 2005
Primeiro-Ministro Kjell Magne Bondevik
Antecessor Sylvia Brustad
Sucessor Åslaug Haga
Dados pessoais
Nascimento 24 de fevereiro de 1961 (58 anos)
Bergen, Hordaland,  Noruega
Progenitores Mãe: Inger Wenche Torgersen
Pai: Asbjørn Solberg
Alma mater Universidade de Bergen
Marido Sindre Finnes (1996–presente)
Filhos 2
Partido Conservador
Profissão Socióloga

Erna Solberg (Bergen, 24 de fevereiro de 1961) é uma política, socióloga, politóloga, estadista e economista norueguesa. Está filiada no Partido Conservador, tendo começado a sua carreira política em 1979 no governo local de sua cidade natal. Em 1989 foi eleita deputada do Storting, tendo aí permanecido até ao momento atual. No ano 2001, passou a fazer parte do governo do primeiro-ministro Kjell Magne Bondevik, sendo nomeada ministra de Governo Local e Desenvolvimento Regional até ao ano 2005. Desde 2004 é a presidente do seu partido.

Atualmente é a primeira-ministra e líder do Governo Solberg, depois de ter obtido a vitória nas eleições parlamentares de 2013, onde sucedeu no cargo ao político Jens Stoltenberg.

Inícios e formação[editar | editar código-fonte]

Erna Solberg (pronúncia norueguesa: /ˌæːɳɑ ˈsuːlˈbærɡ/) é mais velha de três filhas,[1] seu pai era Asbjørn Solberg (1925-1989) que trabalhava como consultor na empresa de transporte municipal Bergen Sporvei e sua mãe era Inger Wenche (1926) que trabalhava como secretária.

Erna e sua família cresceram num dos bairros ricos de sua cidade, Kalfaret. Realizou seus estudos primários na escola Nygård skole. Com 16 anos, foi diagnosticada com dislexia, mas o problema não afetou em nenhum momento a seu rendimento acadêmico e assim assistia a classes de piano.[2] Também pertencia ao movimento do escotismo (scouts) na organização YMCA-YWCA Navegadores de Noruega.

Posteriormente entrou em educação secundária no instituto Langhaugen videregående skole, onde foi eleita como membro da junta diretiva da União de Estudantes das Escolas Norueguesas, também durante sua etapa como estudante secundária dirigiu o evento caritativo nacional Operasjon Dagsverk na que os estudantes coletaram dinheiro que foi destinado para Jamaica para os afetados do Furacão Allen.

Anos mais tarde passou a realizar seus estudos universitários, licenciando-se em sociologia, ciências políticas, estatísticas e economia no ano 1986 pela Universidade de Bergen.

Durante seu último ano na universidade, dirigiu a Liga de Estudantes do Partido Conservador Norueguês da cidade de Bergen.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Na política decidiu entrar no Partido Conservador, onde começou no ano 1979 na política local, sendo membro adjunto do conselho da cidade de Bergen até 1983.

Entre 1987 e 1989 pertenceu ao comitê executivo municipal e presidiu durante dois anos a Juventude Conservadora Norueguesa e também o Partido Conservador da cidade.

Posteriormente, apresentou-se às listas do partido para as Eleições Parlamentares, tendo conseguido ser eleita no ano 1989 como parlamentar do Storting pelo distrito eleitoral de Hordaland, sendo reeleita nas eleições nacionais durante cinco ocasiões e ao qual ainda atualmente pertence.

No dia 7 de março do ano 1993 foi Líder da Associação de Mulheres Conservadoras Nacionais, até 4 de junho de 1998.

Ministra[editar | editar código-fonte]

Erna Solberg na reunião do Conselho de Cooperação Nórdica-Báltica .

Como parlamentar, no ano 2001 passou a fazer parte do governo do Premiê Kjell Magne Bondevik, sendo nomeada no dia 19 de outubro como Ministra de Governo Local e Desenvolvimento Regional, até que foi sucedida no cargo o 17 de outubro do 2005.

Durante seu governo como ministra, devido a sua firme postura alegada sobre a política de asilo, os meios de comunicação aproveitaram para lhe pôr como apelido de "Erna de Ferro".[3]

Desde seu gabinete, os números mostram que seu ministério na realidade deixou milhares de petições solicitantes de asilo que o posterior governo dos anos 2005 e 2009. No 2003, Erna propôs introduzir conselhos da Sharia Islâmica no país depois de ter sido informada de sua existência no Reino Unido[4][5] e em 2004 anunciou seus desejos de aumentar a imigração na Noruega.[6]

No ano 2009 durante o congresso anual de Høyre.

Líder partidária[editar | editar código-fonte]

No Partido Conservador, no ano 2002 desempenhou a função de vice-presidente do partido político até que desde o dia 9 de maio do 2004 sucedeu a Jan Petersen ao ser eleita como Presidente, sendo assim mesmo líder do partido.

Ao liderar o partido, apresentou-se pela primeira vez como candidata principal às Eleições parlamentares da Noruega de 2005 nas que conseguiu o 14,1% dos votos e um total de 23 cadeiras, nas Eleições de 2009 se obteve o 24,3% e 30 cadeiras e depois das Eleições Parlamentares de 2013 celebradas no dia 9 de setembro, conseguiu ganhar as eleições eleitorais superando aos demais candidatos com um número de 64,4% dos votos e 48 cadeiras no parlamento.

Primeira-ministra da Noruega[editar | editar código-fonte]

Depois de ter conseguido a vitória nas Eleições de 2013, converteu-se na Primeira-ministra da Noruega sendo a segunda mulher em ocupar o cargo político após Gro Harlem Brundtland.[7]

Foi investida no cargo em 16 de outubro desse mesmo ano, sucedendo no cargo ao político Jens Stoltenberg e transladando sua residência à oficial Inkognitogata 18.

Condecorações[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Johansen, Per Kristian (9 de fevereiro de 2009). «Erna Solberg varsler tøffere integrering» (em norueguês). Norwegian Broadcasting Corporation. Consultado em 23 de maio de 2014. Cópia arquivada em 10 de outubro de 2013 
  2. Eivind Fondenes and Aslak Eriksrud. «Partifellene, syntes ikke Erna Solberg var blå nok» [Comrades did not Erna Solberg was blue enough] (em norueguês). TV2. Consultado em 2 de abril de 2013. Cópia arquivada em 8 de fevereiro de 2013 
  3. Morken, Johannes (8 de maio de 2009). «Erna Solberg varsler tøffere integrering» [Erna Solberg suggests tougher integration]. Vårt Land (em norueguês). Consultado em 22 de julho de 2010. Cópia arquivada em 12 de abril de 2014 
  4. Sandli, Espen (6 de novembro de 2003). «Solberg ber om shariaråd» [Solberg asking for Sharia Council]. Drammens Tidende (em norueguês). Consultado em 29 de agosto de 2010. Cópia arquivada em 25 de fevereiro de 2010 
  5. Ljones, Bjørg Irene (11 de agosto de 2007). «Forby sharialover i Norge» [Prohibiting Sharia law in Norway]. Norge Idag (em norueguês). Consultado em 29 de agosto de 2010. Cópia arquivada em 17 de janeiro de 2004 
  6. Almendingen, Berit (20 de setembro de 2004). «Erna vil friste innvandrere til Norge» [Erna will entice immigrants to Norway]. TV 2 (em norueguês). Consultado em 29 de agosto de 2010. Cópia arquivada em 24 de julho de 2011 
  7. «Dette er utfordringene som møter de nye statsrådene» [These are the challenges facing the new ministers]. Aftenposten. 16 de outubro de 2013. Consultado em 16 de outubro de 2013. Cópia arquivada em |arquivourl= requer |arquivodata= (ajuda) 🔗 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Erna Solberg
Precedido por
Jens Stoltenberg
Primeira-ministra da Noruega
2013
Sucedido por