Ernest Ansermet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ernest Ansermet
Nascimento 11 de novembro de 1883
Vevey
Morte 20 de fevereiro de 1969 (85 anos)
Genebra
Cidadania Suíça
Alma mater Universidade de Lausanne
Ocupação maestro, musicólogo
Causa da morte ataque cardíaco
Ernest Ansermet (1965)
Ansermet e Wilhelm Kempff (1965)

Ernest Alexandre Ansermet (11 de novembro de 1883 - 20 de fevereiro de 1969) foi um maestro suíço.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ansermet nasceu em Vevey, na Suíça. Embora tenha sido um contemporâneo de Wilhelm Furtwängler e Otto Klemperer, Ansermet representa em vários aspectos uma tradição diferente e uma abordagem distinta daquela destes dois musicistas. Originalmente foi um professor de matemática, lecionando na Universidade de Lausanne. Começou a conduzir no Casino de Montreux em 1912 e de 1915 a 1923 foi o maestro dos Balés Russos de Diaghilev. Viajando para a França conheceu Claude Debussy e Maurice Ravel. Durante a Primeira Guerra Mundial conheceu Ígor Stravinsky, que foi exilado na Suíça, e esse encontro foi o começo de uma longa amizade, que foi levada para a vida toda. Em 1918, Ansermet fundou sua própria orquestra, a Orchestre de la Suisse Romande. Ansermet fez turnês pela Europa e Américas com a orquestra e tornou-se famoso por performanceses exemplares de música moderna.

Depois da Segunda Guerra Mundial, Ansermet e sua orquestra tiveram proeminência internacional através de um contrato de longo prazo com a gravadora Decca. Desde esta época até a sua morte gravou muitas obras de seu repertório, muitas delas mais de uma vez. Suas interpretações foram amplamente consideradas limpas e autoritárias, embora as orquestras nem sempre fossem de primeiro nível. Anserment desaprovou a prática de Stravinsky de revisar suas obras e sempre tocou as versões originais. Embora famoso pelas performances de música moderna de outros compositores como Arthur Honegger e Frank Martin, Ansermet evitou por completo as obras de Arnold Schoenberg e seus associados, e criticou Stravinsky quando começou a usar as técnicas de doze tons em suas composições. Nos seus últimos anos fez gravações surpreendentes de discos de Haydn, Beethoven e Brahms. Em Maio de 1954, Ansermet fez inúmeras gravações para a Decca. Entre as obras gravadas incluem-se O Quebra Nozes de Tchaikovsky, e Nocturnes de Debussy.

Ansermet foi um homem fervoroso que sempre defendeu suas opiniões. Foi notável na Grã-Bretanha pelos seus ensaios argumentativos com orquestras britânicas. Sua última gravação do O Pássaro de Fogo de Stravinsky foi feita em Londres com a Orquestra Nova Philharmonia, e incluía a gravação de sessões de ensaios.

Ansermet compôs algumas obras para piano e composições para orquestra, entre elas um poema sinfônico intitulado Feuilles de Printemps (Folhas da Primavera). Também fez a orquestração de Six épigraphes Antiques de Debussy em 1939.

Ansermet faleceu aos 85 anos em 20 de fevereiro de 1969, em Genebra.

Referências[editar | editar código-fonte]

Krausz, Michael (Summer 1984). "The Tonal and the Foundational: Ansermet on Stravinsky". The Journal of Aesthetics and Art Criticism 42 (4): 383–386.