Ernest Bersot

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ernest Bersot
Bersot
Conhecido(a) por Reconhecido por ter renunciado e por ser forçado a deixar o ensino após recusar fazer o juramento como funcionários públicos após o Golpe de Estado na França em 1851
Nascimento 22 de agosto de 1816
Surgères, Charente-Maritime, França
Morte 1 de fevereiro de 1880 (63 anos)
Paris, França
Nacionalidade francesa
Alma mater École Normale Supérieure
Ocupação filósofo jornalista
Influências
Magnum opus Mesmer et le magnétisme animal (1853) Texte en ligne

Pierre-Aimé Bersot mais conhecido como Ernest Bersot (Surgères, França, 22 de Agosto de 1816 - Paris, França, 1 de Fevereiro de 1880) Professor de filosofia, jornalista e político. Secretário do Ministro Victor Cousin, diretor da École Normale Supérieure, membro do Conselho de Educação. - Membro da Academia de Ciências Morais e Políticas (eleito em 1866), presidente do Institut de France em 1876[1].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Charente-Maritime de um pai suíço e mãe francesa, estudou na escola de Bordeaux até entrar em 1836 na “École Normale Supérieure” (Escola Normal Superior), onde, entre outros professores Désiré Nisard e Jules Simon. Em 1839 associou-se a Filosofia, se tornando em professor de filosofia na Faculdade de Rennes e professor substituto em Paris[2].

Tornou-se secretário de Victor Cousin, então Ministro da Educação em 1840 Neste período Bersot era professor de filosofia em Bordeaux, onde seu liberalismo de idéias gerava algumas discussões com o clero[3]. Em 1843, professor na Faculdade de Artes em Dijon. Lecionou na faculdade de Versailles em 1846, onde foi naturalizado em 1848[2].

Em 1851, se recusou a fazer o juramento como funcionários públicos depois Golpe de Estado na França em 1851, ele é reconhecido por ter renunciado e por ser forçado a deixar o ensino. Bersot continuou a residir em Versailles e dando aulas, porém, particulares e ao mesmo tempo colaborando em vários jornais. Em 1859, ele entrou para o Journal des débats (Jornal de Debates), onde Marc Girardin confiou-lhe a crítica filosófica e literária. Seus livros e artigos para o jornal torna-o eleito ao título de membro da Academia de Ciências Morais e Políticas[nota 1] em 1866[3]. Em 1871 após o fim do Segundo Império o que há muito ele aguardava a queda, foi nomeado diretor da École Normale Supérieure.

Últimos anos[editar | editar código-fonte]

No ano de 1875 tornou-se membro do Conselho Superior de Instrução Pública e em 1876 presidente do Instituto da França. Quatro anos depois em 1 de Fevereiro de 1880 Pierre-Aimé Bersot morre na cidade de Paris.

Acórdãos[editar | editar código-fonte]

  • Bersot filósofo visto por Paul Janet (1823 - 1899)[nota 2]
  • O Bersot jornalista visto por Raymond Thamin (1857 – 1933) [nota 3]

..

Homenagens a Ernest[editar | editar código-fonte]

"Tribunal de Ernests"[editar | editar código-fonte]

"Ernests" na bacia de Ernests

"Ernestização"[editar | editar código-fonte]

Existe uma cerimonia onde quando alguém é jogado neste "aquarium", esta iniciação dá-se o nome de Ernestização[8]

"Conferências Ernest"[editar | editar código-fonte]

No dia 12 de dezembro de 2009, a ENS inaugurou um novo ciclo de conferências multidisciplinares e ao mesmo tempo públicas, são as conferências Ernest. As mesmas tratam sobre uma gama de assuntos, cada qual com duração de 15 minutos, e as partes interessadas são selecionadas por seu interesse as especialistas dos temas.

Principais publicações[editar | editar código-fonte]

  • (em francês) Mesmer et le magnétisme animal, les tables tournantes et les esprits (1864)
  • (em francês) Morale et politique (1868)
  • (em francês) Libre Philosophie (1868)
  • (em francês) Études et discours (1868-1878) (1879)
  • (em francês) Questions d'enseignement, études sur les réformes universitaires (1880)
  • (em francês) Conseils d'enseignement, de philosophie et de politique (1897)
  • (em francês) Ernest Bersot, fragments de ses lettres à sa famille de 1836 à 1871 (1913)

Em português[editar | editar código-fonte]

  • Mesmer e o magnetismo animal, Ed. CELD, (1995)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • (em francês) Edmond Scherer, Un Moraliste. Études et pensées d'Ernest Bersot, précédées d'une notice biographique (1882). Réédition : Elibron Classics, Adamant Media Corporation, 2001.
  • (em francês) Émile Delerot et Achille Taphanel, Lettres inédites de Victor Cousin à Ernest Bersot (1842-1865) (1897) Texte en ligne
  • (em francês) Ernest Bersot, Émile Zola, Salomon Reinach: Notre École Normale, textes réunis et présentés par Hervé Duchêne, Les Belles lettres, Paris, 1994.
  • (em francês) Félix Hémon, Bersot et ses amis, Hachette, 1911. (Études d'histoire morale collective)

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. A Académie des Sciences Morales et Politiques é uma sociedade científica francesa. Fundada em 1795, suprimida em 1803, e restabelecida em 1832, é parte integrante do Institut de France.[4]
  2. Paul Janet, nascido em Paris 30 de abril de 1823 e morreu em Paris 4 de outubro de 1899, foi um filósofo francês. Tornou-se professor de filosofia moral em Bourges (1845-1848), Strasbourg (1848-1857) e da lógica do ensino médio Louis-le-Grand, em Paris (1857-1864). A partir de 1864, ele ocupou a cadeira de filosofia na Sorbonne. Ele foi eleito membro da Academia de Ciências Morais e Políticas.
  3. Thamin Raymond, nascido em Bayeux 03 de junho de 1857 e morreu em 1933, é um filósofo, moralista e mestre na Universitário francês.

Referências

  1. Biblioteca Nacional de ParisCatalogo de autoridades Visitado em 10/03/2015
  2. a b Les éléments biographiques du présent article sont empruntés à Théodore Reinach, « Ernest Bersot » in La Nouvelle Revue2º ano e 3º Volume 1880: {. {p | 602-633}.}
  3. a b Émile Zola, Salomon Reinach 1994
  4. asmp Site oficial (em francês).Visitado em 10/03/2015.
  5. Paul Janet, A filosofia francesa contemporânea, Calmann Lévy, Paris, 1879. .. 449-450
  6. Raymond Thamin, dos filósofos, moralistas, escritores e palestrantes religiosas em História da língua e literatura francesas das origens 1900, editado por Louis Petit Juleville ', c. VII . 470
  7. Paul Janet, "op.cit. .. 454-455.
  8. a b Dicionário Online de Português - Definição ABCEscola Normal SuperiorVisitado em 10/03/2015.
  9. (em francês) Es.fr, Arquivos de filosofia Visitado em 10/03/2015.