Erowid

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Erowid Center
Lema "Documentando a complexa relação entre humanos e psicodélicos"
Tipo Organização sem fins lucrativos
Fundação 1995
Filiação ~2,000 membros
Fundadores Fire Erowid, (Diretor Executivo)
Earth Erowid, (Diretor Técnico)
Área de influência Redução de danos
Organização de origem California, Internet
Sítio oficial Erowid.org

Erowid, também chamado de Erowid Center, é uma organização educacional sem fins lucrativos que fornece informações sobre plantas e produtos químicos psicoativos. Também fornece informações sobre atividades e tecnologias que podem produzir estados alterados de consciência, como meditação, sonhos lúcidos, estimulação magnética, estimulação magnética transcraniana e neuroestimulação.

A Erowid documenta substâncias legais e ilegais, informando seus efeitos positivos, neutros e negativos. As informações no site da Erowid são coletadas de diversas fontes, incluindo de artigos publicados, de especialistas da área de pesquisas sobre drogas e das experiências do público em geral. Erowid atua como uma editora de novas informações, bem como uma biblioteca para a coleção de documentos e imagens publicadas.

História[editar | editar código-fonte]

Erowid foi fundada em abril de 1995 como uma pequena empresa, e o website deles foi criado seis meses depois.[1] O nome "Erowid" foi escolhido para refletir a filosofia declarada da organização, que são os fins educativos. Usando raízes linguísticas proto-indo-europeias, "Erowid" significa algo como "sabedoria da Terra".[2]

Em 2005, foi formada a organização sem fins lucrativos – do tipo 501(c)(3) – "Erowid Center".[3] A organização é apoiada por doações e seu site é livre de anúncios. Embora o foco principal esteja no site, o Erowid Center também fornece pesquisa e dados para outras organizações que promovem redução de danos, saúde e educação. A organização está sediada no norte da Califórnia.[4]

Fire Erowid[5] e Earth Erowid[6] são os apelidos dos dois criadores do site. Ambos trabalham em tempo integral no projeto, promovendo conjuntamente palestras e conferências, produzindo pesquisa original e contribuindo para a pesquisa enteogênica. De acordo com o site, a visão dos criadores inclui um "mundo em que as pessoas tratam os psicoativos com respeito e conscientização; onde as pessoas trabalham juntas para coletar e compartilhar conhecimento de maneiras que fortaleçam a compreensão delas mesmas e forneçam informações sobre as escolhas complexas enfrentadas pelos indivíduos e sociedades".[7]

A missão do Erowid Center é fornecer e facilitar o acesso a informações objetivas, precisas e sem julgamento relacionadas a plantas psicoativas, substancias químicas, tecnologias e questões relacionadas.[8] De acordo com um estudo, "Erowid é um recurso confiável para informações sobre drogas - tanto as informações positivas como as negativas"[9] e o Erowid é amplamente citado em todo o mundo por autores de livros,[10][11] revistas científicas de medicina,[12][13] jornais,[14][15] revistas,[16][17] cineastas,[18] rádio e TV,[19][20][21] estudantes de doutorado,[22][23] sites,[24] e outros produtores de mídia.

Projetos[editar | editar código-fonte]

Biblioteca online[editar | editar código-fonte]

A biblioteca online contém mais de 63.000 documentos relacionados a mais de 737 substâncias psicoativas,[2][25] incluindo imagens, resumos de pesquisas, perguntas frequentes, artigos veiculados na mídia, relatórios de experiências, informações sobre química, dosagem, efeitos, leis, saúde, usos tradicionais e espirituais de psicoativos e testagem de drogas. Dados de 2014 revelam que mais de 17 milhões de pessoas visitam o site a cada ano.[26]

O site geralmente contém mais detalhes nas páginas listadas como plantas e substâncias químicas do que em outras seções. Também não possui informações abrangentes sobre os efeitos específicos da maioria dos produtos farmacêuticos. Essas informações podem aparecer em outras partes do site (vaults), onde é possível ler sobre as reações individuais das pessoas a várias substâncias químicas.[27]

Vaults de experiência[editar | editar código-fonte]

O Erowid permite que os visitantes enviem descrições de suas próprias experiências com substâncias psicoativas para revisão e possível publicação nos vaults. O site afirma que eles dão boas-vindas a todas as perspectivas em relação à experiência psicoativa subjetiva, incluindo as reações positivas, negativas e neutras. Sua coleção consiste em mais de 30.000 relatórios editados, revisados e publicados, além de outros 55.000 relatórios não publicados ainda em revisão.[28]

Drugs Data / EcstasyData[editar | editar código-fonte]

Erowid também administra o EcstasyData.org, um laboratório independente de testagem de comprimidos, que é co-patrocinado pela IsomerDesign e DanceSafe, com o objetivo de monitorar a qualidade das pílulas de ecstasy que circulam nas ruas americanas.

Lançado em julho de 2001, seu objetivo é coletar, gerenciar, revisar e apresentar resultados de testes de comprimidos de laboratório de várias organizações.[29] Os comprimidos de ecstasy de rua podem ser enviados anonimamente a um laboratório licenciado pela DEA para testes e, em seguida, as fotos dos comprimidos e os resultados dos testes são publicados no site do projeto. O EcstasyData publicou resultados de testes para quase 3.000 amostras.[30] Às vezes, os custos dos testes são cobertos pelo financiamento do projeto (quando disponível) e, outras vezes, por aqueles que enviam comprimidos para testes. Pelo menos um estudo publicado usa o EcstasyData.org como fonte primária de dados.[31][32]

Erowid Extracts[editar | editar código-fonte]

Erowid Extracts é o boletim semestral de membros da Erowid. Ele é publicado todos os anos desde 2001. Ele fornece atualizações sobre as atividades da organização, resultados de pesquisas realizadas no Erowid.org, relatórios de experiência, novos artigos sobre vários aspectos de plantas e drogas psicodélicas e psicoativas, e informações sobre cultura e eventos psicodélicos. Novas edições dos Erowid Extracts são enviadas aos membros, e edições anteriores estão disponíveis no site do Erowid.[33]

Biblioteca de Referência Psicoativa[editar | editar código-fonte]

Erowid e a Associação Multidisciplinar de Estudos Psicodélicos ( MAPS ) colaboraram em dois grandes projetos de banco de dados de referência. Erowid forneceu experiência e trabalho desenvolvendo e coordenando a construção de uma biblioteca on-line de referência de medicamentos psicoativos, e a MAPS publicou uma coleção semelhante[34]

Arquivamento de documentos[editar | editar código-fonte]

O Erowid Center também arquiva e fornece acesso a milhares de textos em suas bibliotecas online e físicas. Ao coletar e disponibilizar esses textos, eles tentam promover uma compreensão das mudanças de contextos em torno do uso de drogas psicoativas. Os principais projetos de arquivamento incluem a coleção Albert Hofmann, a coleção Myron Stolaroff e documentos de Alexander Shulgin.[35]

Críticas e debates[editar | editar código-fonte]

Devido à temática sobre drogas no Erowid.org, o site recebeu tanto elogios como críticas da mídia e de autoridades médicas. Edward Boyer, médico toxicologista, embora admita que o Erowid tem uma infinidade de informações úteis, uma vez argumentou que o site pode causar mais danos do que benefícios aos usuários de drogas. Desde então, Boyer passou a admirar cautelosamente a o Erowid Earth e o Erowid Fire, e não se refere mais ao local como 'partidário', embora ele ainda argumente que Erowid minimiza os efeitos adversos e inclui muitos dados desonestos - e potencialmente prejudiciais - em sua busca por apresentar todos os lados. 'Erowid é muito abrangente e muitas informações estão corretas ao nível de que, a menos que você seja um especialista em toxicologia médica, poderá não notar informações perigosas trazidas ao público."[36]

No contexto desse debate, o antropólogo Nicolas Langlitz argumentou que o Erowid às vezes também serve como um mecanismo de vigilância pós-mercado ou farmacovigilância em torno das substâncias ilícitas e experimentais.[37]

O acesso ao Erowid está bloqueado na Rússia.[38]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Erowid, Fire, Erowid F. "Erowid: 10 Years of History." Erowid Extracts. Jun 2005;8:12-14, Erowid.org, consultado em 8 de fevereiro de 2010 
  2. a b Emily Witt. "The trip planners." New Yorker. 23 November 2015. Retrieved 2018-03-05.
  3. Guidestar Entry, Guidestar, consultado em 5 de julho de 2012 
  4. Where is Erowid located?, consultado em 7 de abril de 2013 
  5. Erowid, Fire, Erowid Fire Erowid Vault, Erowid.org, consultado em 10 de março de 2012 
  6. Erowid, Earth, Erowid Earth Erowid Vault, Erowid.org, consultado em 10 de março de 2012 
  7. «Erowid». snst-hu.lzu.edu.cn. Consultado em 22 de julho de 2020 
  8. Murguía, Edward; Tackett-Gibson, Melissa; Lessem, Ann (2007). Murguia E, Tackett-Gibson M, Lessem A. "Real Drugs in a Virtual World: Drug Discourse and Community Online". Lexington Books. 2007. [S.l.: s.n.] ISBN 9780739114551 
  9. Murguía, Edward; Tackett-Gibson, Melissa; Lessem, Ann (2007). Murguia E, Tackett-Gibson M, Lessem A. "Real Drugs in a Virtual World: Drug Discourse and Community Online". Lexington Books. 2007. [S.l.: s.n.] ISBN 9780739114551 
  10. Khan JI, Kennedy TJ, Christian DR (2012), Basic Principles of Forensic Chemistry, ISBN 9781934115060, Springer.com, consultado em 31 de maio de 2012 
  11. James L. Kent (2010), Psychedelic Information Theory: Shamanism in the Age of Reason, Psychedelic-information-theory.com, consultado em 31 de maio de 2012 
  12. Corazza O.; et al. (5 de março de 2012), «Phenomenon of new drugs on the Internet: the case of ketamine derivative methoxetamine», Human Psychopharmacology, 27 (2): 145–9, PMID 22389078, doi:10.1002/hup.1242 
  13. Ambrose J.B.; Bennett H.D.; Lee H.S.; Josephson S.A. (1 de maio de 2010), «Cerebral vasculopathy after 4-bromo-2,5-dimethoxyphenethylamine ingestion», The Neurologist, 16 (3): 199–202, PMID 20445431, doi:10.1097/NRL.0b013e3181a3cb53 
  14. Simonini, R. (12 de fevereiro de 2012), «A Psychonaut's Adventures in Videoland», The New York Times: AR17, consultado em 31 de maio de 2012 
  15. Valerie Vande Panne (1 de setembro de 2010), Higher education: How to do drugs in Boston, Thephoenix.com, consultado em 31 de maio de 2012, cópia arquivada em 4 de fevereiro de 2012 
  16. Piore, A. "Chemists in the Shadows". Discover Magazine. Mar 2012
  17. Jacob Sullum (23 de fevereiro de 2012), Rand Paul Blocks Synthetic Drug Bans, Reason.com, consultado em 31 de maio de 2012 
  18. Sauret, E. (2010), Dirty Pictures, Dirtypicturesthefilm.com, consultado em 31 de maio de 2012 
  19. Hubert, M. (24 de fevereiro de 2010), Erowid: Halluzinationen aus dem Netz, Wissen.dradio.de, consultado em 31 de maio de 2012 [ligação inativa] 
  20. Edell, D. "Dr. Dean Edell Show". April 2006
  21. Childs, D. (16 de janeiro de 2008), A Homebrewed High? Poppy Tea Hits the Web, Abcnews.go.com, consultado em 31 de maio de 2012 
  22. Fotiou, E. (2010), From Medicine Men to Day Trippers: Shamanic Tourism in Iquitos, Peru (PDF), University of Wisconsin-Madison, consultado em 31 de maio de 2012 
  23. Moraes, A.G. "Alterações anatomopatológicas em corações de camundongos submetidos à inalação crônica de cocaína crack". 2009
  24. Morgan, S. (7 de julho de 2010), A Scary New Drug Threatens Our Children: Nutmeg, Stopthedrugwar.org, consultado em 31 de maio de 2012 
  25. Erowid Extracts: August 2018, Number 30, Erowid Center, consultado em 1 de setembro de 2018 
  26. Erowid Extracts: July 2014, Number 26, Erowid Center, consultado em 16 de novembro de 2015 
  27. «Erowid Experience Vaults: Complete Substance and Category List». erowid.org. Consultado em 30 de novembro de 2015 
  28. «Search Results : Erowid Experience Vaults» 
  29. About EcstasyData.org, EcstasyData, consultado em 8 de fevereiro de 2010 
  30. Test Result Statistics: Summary Data, EcstasyData.org, consultado em 31 de maio de 2012 
  31. Tanner-Smith EE. "Pharmacological content of tablets sold as 'ecstasy': results from an online testing service". Drug Alcohol Depend. 2006;83(3):247–54.
  32. Tanner-Smith EE. "Corrigendum to 'Pharmacological content of tablets sold as 'ecstasy': Results from an online testing service'". Drug Alcohol Depend. 2008;93(1-2):190.
  33. Erowid Extracts, Erowid Center, consultado em 10 de março de 2012 
  34. «MAPS/EROWID Psychedelic Bibliography Projects» 
  35. «Erowid Archives». archive.erowid.org. Consultado em 22 de julho de 2020 
  36. Davis E. (30 de abril de 2004), Don't Get High Without It, LA Weekly, consultado em 31 de maio de 2012, cópia arquivada em 24 de março de 2005 
  37. Nicolas Langlitz (1 de junho de 2009), «Pharmacovigilance and Post-black Market Surveillance», Social Studies of Science, 39 (3): 395–420, PMID 19848184, doi:10.1177/0306312708101977 
  38. Russia Bans the Wikipedia of Drugs The Fix 2013-02-28

Ligações externas[editar | editar código-fonte]