Erwin Sánchez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Erwin Sánchez
Informações pessoais
Nome completo Erwin Sánchez Freking
Data de nasc. 19 de outubro de 1969 (48 anos)
Local de nasc. Santa Cruz de la Sierra, Bolívia
Nacionalidade boliviano
Altura 1,73 m
Apelido Platini da Bolívia
Informações profissionais
Equipa atual Sem clube
Posição Treinador (Ex-meia-atacante)
Clubes de juventude
1981–1986 Tahuichi Academy
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1987–1988
1988–1990
1990–1992
1991–1992
1992–1997
1997–1999
1998–1999
1999
2000–2004
2004–2005
Destroyers
Bolívar
Benfica
Estoril (emp.)
Boavista
Benfica
Boavista (emp.)
Benfica B
Boavista
Oriente Petrolero
67 (23)
34 (13)
15 (1)
28 (8)
105 (25)
26 (6)
22 (0)
2 (2)
92 (19)
38 (10)
Seleção nacional
1989–2005 Bolívia 0057 00015
Times/Equipas que treinou
2003–2004
2006–2009
2012–2013
2015
2015–2016
Boavista (jogador-treinador)
Bolívia
Oriente Petrolero
Blooming
Boavista

53


Erwin Sánchez Freking (Santa Cruz de la Sierra, 19 de outubro de 1969) é um ex-futebolista e atual treinador de futebol boliviano. Na época de jogador, foi apelidado de Platini, por seu estilo de jogo semelhante parecido com o do lendário francês Michel Platini.

Clubes[editar | editar código-fonte]

Revelado pelo Destroyers em 1987, destacou-se no futebol português, Benfica e Estoril, porém seria no Boavista que Sánchez faria sucesso, em 3 passagens pelos Axadrezados, onde atuou em 219 jogos e marcou 44 gols.

Em seu país, defendeu, além do Destroyers, o Bolívar e o Oriente Petrolero, onde se aposentou aos 35 anos.

Seleção Boliviana[editar | editar código-fonte]

Jogou a Copa de 1994, tornando-se o autor do primeiro e único gol de sua seleção na história dos Mundiais (Bolívia 1 X 3 Espanha). Participou também de 5 edições da Copa América, ficando com o vice-campeonato em 1997, e da Copa das Confederações de 1999, a única do país. Pela Albiverde, Sánchez jogou 57 vezes, marcando 15 gols.

Treinador[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2003, Sánchez perderia o restante da temporada ao sofrer uma lesão do ligamento anterior. Com a saída de Jorge Pacheco, em 2004, foi escolhido como novo técnico do Boavista, fazendo sua estreia na função.

Entre 2006 e 2009, comandou a Seleção da Bolívia, porém seu desempenho deixou a desejar: em 53 jogos, o Platini boliviano sofreu 37 derrotas e venceu apenas 9 vezes - o destaque foi a goleada por 6 a 1 sobre a Argentina, em La Paz.

Treinou ainda o Oriente Petrolero e o Blooming antes de voltar ao Boavista em 2015[1], para evitar o rebaixamento da equipe. Uma sequência de resultados ruins fez com que Sánchez perdesse o emprego.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Seleção Boliviana

Referências

  1. «Erwin Sánchez confirmado». Record. 1 de dezembro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]