Escola Militar da Praia Vermelha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Escola Militar da Praia Vermelha foi um centro de formação de oficiais do Exército Brasileiro, que funcionou de 1858 até 1904 no Rio de Janeiro.[1]

Escola Militar da Praia Vermelha (Fotografia de Eduardo Bezerra, 1888.)

História[editar | editar código-fonte]

Com a transferência da família real portuguesa Brasil em 1808, foi criada pelo príncipe-regente em 1810 a Real Academia Militar do Rio de Janeiro.

Após a proclamação da independência do Brasil (1822), a academia passou a ser denominada de "Imperial Academia Militar". Em 1832, o seu nome mudou uma vez mais, para "Academia Militar da Corte". Em 1840, passou a denominar-se "Escola Militar", e a partir de 1858, "Escola Central", sendo transferida para as dependências do Forte da Praia Vermelha.

Os engenheiros formados na Escola Central eram civis e militares, pelo fato de ser a única escola de engenharia no país. Em 1874, a Escola Central transitou para a Secretaria do Império passando a formar exclusivamente engenheiros civis, enquanto que a formação dos oficiais de engenharia e de artilharia continuou a ser realizada na Escola Militar da Praia Vermelha até 1904. A escola foi fechada porque seus alunos aderiram à Revolta da Vacina, passando o edifício a acolher um regimento de infantaria. Os oficiais de infantaria e de cavalaria passaram a partir de então a ser formados na Escola de Guerra, em Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul.

Em 1913, objetivando unificar todas as escolas de guerra e de aplicação, foi criada a Escola Militar do Realengo, no Rio de Janeiro, que formou os oficiais do Exército Brasileiro por quase quarenta anos.[2]

Diante da necessidade de aperfeiçoar a formação de oficiais para um exército que crescia e se operacionalizava, foi criada em Resende, em janeiro de 1944, a "Escola Militar de Rezende". Na época, houve também a intenção de afastar a juventude militar da efervescência política da capital do país, que ainda era o Rio de Janeiro. Seu idealizador foi o marechal José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque. Em 1951, a instituição passou a denominar-se Academia Militar das Agulhas Negras. [3]

Referências

  1. «Site da AMAN». Consultado em 16 de junho de 2014. 
  2. «Site da AMAN». Consultado em 16 de junho de 2014. 
  3. «Site da AMAN». Consultado em 16 de junho de 2014.