Escola de Saúde e Formação Complementar do Exército

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Escola de Saúde e Formação Complementar do Exército
Área da Escola de Saúde e Formação Complementar do Exército.jpg
Vista aérea da ESFCEx
País  Brasil
Estado Bahia Bahia
Corporação Brasão do Exército Brasileiro Exército Brasileiro
Subordinação Diretoria de Educação Superior Militar
Missão Ensino militar
Sigla ESFCEx
Criação 5 de abril de 1988 (34 anos)
(como Escola de Administração do Exército)
História
Condecorações Ordem do Mérito Militar[1]
Insígnias
Brasão da Escola
Logotipo da Escola de Saúde e Formação Complementar do Exército
Comando
Comandante Coronel Sodré[2]
Subcomandante Coronel Nedilande[2]
Sede
Guarnição  Salvador
Página oficial Página oficial da ESFCEX na internet
Solenidade de formatura do curso de formação de oficiais do quadro complementar 2009
Solenidade de formatura do curso de formação de oficiais do quadro complementar 2009.

A Escola de Formação Complementar do Exército (EsFCEx) foi criada em 1989, com a denominação de Escola de Administração do Exército (EsAEx), na cidade de Salvador (BA). É responsável pela formação de militares do Quadro Complementar de Oficiais (QCO), de diversas áreas de interesse da Força Terrestre. Com duração de 9 meses, o curso de formação de oficiais é composto de duas fases: instrução militar básica e instrução específica, conforme a área em que o tenente-aluno estiver habilitado.

História[editar | editar código-fonte]

Criada em 5 de abril de 1988 com a denominação de Escola de Administração do Exército, a Escola de Formação Complementar do Exército (EsFCEx), cuja denominação atual passou a vigorar a partir de 1º de janeiro de 2011, tem como objetivo preparar recursos humanos, particularmente no campo da administração militar, com o fim de contribuir para o aprimoramento dos procedimentos administrativos no âmbito do Ministério do Exército.

O Quadro Complementar de Oficiais (QCO) foi criado pela Lei 7.831, de 02 de Outubro de 1989, a fim de suprir as necessidades das organizações militares (OM), com pessoal de nível superior para, prioritariamente, desempenhar atividades complementares.

A inclusão do segmento feminino nas fileiras do Exército ocorreu em 1992, com a Turma Maria Quitéria e, a partir de então, anualmente, homens e mulheres concorrem, em igualdade de condições, ao Concurso de Admissão para o Curso de Formação de Oficiais do Quadro Complementar.

Desde 1994 porta a insígnia da Ordem do Mérito Militar, concedida pelo presidente Itamar Franco.[1]

A Portaria n° 1.080, de 8 de novembro de 2010 transformou a Escola de Administração do Exército (EsAEx) em Escola de Formação Complementar do Exército (EsFCEx). Este estabelecimento de ensino pioneiro no preparo de recursos humanos para o Exército Brasileiro, nas áreas de Administração, Ciências Contábeis, Direito, Magistério, Informática, Economia, Psicologia, Veterinária, Enfermagem e Comunicação Social com transformação, reuniu na EsFCEx os Cursos de Formação de Oficiais de Odontologia e Farmácia provenientes da Escola de Saúde do Exército (EsSEx), junto aos Cursos de Formação de Oficiais do Quadro Complementar. Hoje, Odontologia e Farmácia juntamente com a Medicina estão na EsSEx no Rio de Janeiro, no bairro de Benfica.

Áreas de Funcionamento do Curso de Formação de Oficiais/Quadro Complementar[editar | editar código-fonte]

Formação Básica Militar[editar | editar código-fonte]

Com duração de 15 semanas de forma unificada e independente da especialidade de cada um. Sua finalidade é de promover o ajustamento do oficial-aluno às rotinas do Exército e a sua capacitação para o adequado desempenho profissional como militar. Nesse período serão ministradas instruções de cunho eminentemente militar.

Formação Específica[editar | editar código-fonte]

O Curso de Formação Específica, com duração de 17 semanas, tem como objetivo atender às peculiaridades do desempenho de cargos e funções a que se destina o Oficial do Quadro Complementar, por especialização profissional, em suma, busca o desenvolvimento das competências necessárias ao cumprimento das atribuições próprias da especialidade de cada um.

Durante o curso, os alunos da EsFCEx possuem o posto de Primeiro-Tenente R/2 Convocado, passando a integrar o QCO com o posto de Primeiro-Tenente da ativa ao concluírem o curso com aproveitamento. A partir de então, passam a seguir carreira, podendo ser promovidos até o posto de Coronel. Atualmente, já há alunos da primeira turma da Escola no posto de Coronel.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]