Escorregador

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde Abril de 2008). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Escorregador no Parque de Alcacer, em Valência, na Espanha

Um escorregador (ô), escorrega, escorregão ou escorrego (ê)[1] é um equipamento de lazer encontrado em áreas de recreação infantil como parques e escolas.[2][3] Ele consiste em uma superfície plana elevada em sua parte posterior (plano inclinado), com uma escada que permite o acesso do usuário ao topo, a fim de deslizar sobre a superfície até o solo. É fabricado com plástico, metal ou madeira, e deve possuir uma superfície lisa para permitir o deslizamento. No final, é posto um amontoado de terra para absorver o impacto do choque do usuário no chão .

Tipos[editar | editar código-fonte]

O escorregador existe em diversas formas e cores. Alguns modelos básicos incluem:

  • Escorregador em tubo: consiste em uma estrutura circular através da qual se desliza
  • Escorregador em espiral: a superfície de deslizamento é uma curva que pode ser mais ou menos fechada
  • Escorregador aquático ou toboágua: próprio de parques aquáticos, sobre sua superfície existe um fluxo de água que favorece o deslizamento. O final do brinquedo é em uma piscina e não em terra, o que permite diferentes formas de deslizamento, como deitar-se para frente.
  • Tobogã (do algonquiano, através do francês canadense tabagan e do inglês toboggan): é um escorregador de grande altura, com ondulações.[4]
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Escorregador

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 690.
  2. Por Maria Walburga dos Santos,Tizuko Morchida Kishimoto. «Jogos e brincadeiras: Tempos, espaços e diversidade (Pesquisa em Educação)». Consultado em 24 de novembro de 2017 
  3. Sônia Altoé. «Infâncias perdidas: o cotidiano nos internatos-prisão». Consultado em 24 de novembro de 2017 
  4. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 684.
Ícone de esboço Este artigo sobre brinquedo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.