Escuderia Fittipaldi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
BrasilFittipaldi
No Grande Prêmio do Brasil, Interlagos-SP, em 1976, Emerson Fittipaldi conduzindo o Fittipaldi FD04.
Sede Reading, Berkshire, Reino Unido
Chefe de equipe BrasilWilson Fittipaldi Júnior
Diretor técnico Ricardo Divila
Pilotos Brasil Wilson Fittipaldi Júnior
Itália Arturo Merzario
Brasil Emerson Fittipaldi
Brasil Ingo Hoffmann
Brasil Alex Dias Ribeiro
Finlândia Keke Rosberg
Brasil Chico Serra
Chassis
Motor Ford Cosworth DFV 3.0 V8
Pneus Goodyear, Michelin, Avon e Pirelli
Histórico na Fórmula 1
Estréia Argentina Grande Prêmio da Argentina de 1975
Último GP Las Vegas Grande Prêmio de Las Vegas de 1982
Corridas concluídas 122 (104 largadas)
Campeã de construtores 0 (7º em 1978)
Campeã de pilotos 0 (10º em 1978 e em 1980)
Vitórias 0 (2º no GP do Brasil de 1978)
Pole Position 0 (5ª no GP do Brasil de 1976)
Voltas rápidas 0
Pontos 44
Posição no último campeonato
(1982)
13° (1 ponto)

Escuderia Fittipaldi, também conhecida como: Copersucar-Fittipaldi, Skol-Fittipaldi[1] ou Fittipaldi Automotive, foi uma escuderia de Fórmula 1 brasileira fundada em 1975 pelos irmãos Emerson e Wilson Fittipaldi Jr. (não confundir com Wilson Fittipaldi, o "Barão", que chegou a cortar a ajuda financeira aos filhos para tentar desencorajá-los da ideia). Competiu num total de 104 grandes prêmios. Sua estreia ocorreu no GP da Argentina de 1975, com Wilson Fittipaldi Jr. Após trinta anos de sua apresentação oficial em Brasília, em 16 de outubro de 1974, o modelo FD01, o Copersucar pilotado por Wilson Fittipaldi Jr. - primeiro carro brasileiro a disputar uma prova de Fórmula 1 - voltou em 10 de novembro de 2004 à pista do Autódromo de Interlagos, totalmente restaurado.

Início[editar | editar código-fonte]

No começo Wilson Fittipaldi Jr. queria fundar a primeira equipe sul-americana na Fórmula 1 e conseguiu após aproximadamente um ano de trabalho, tendo seu bólido projetado pelo brasileiro Ricardo Divila, o FD01. Em 1980 visando internacionalizar a equipe e após o fracasso do modelo F6/F6A, os Fittipaldi compram a Wolf, equipe que disputava o Campeonato de F1 e pertencia ao milionário canadense Walter Wolf.

Críticas e falta de apoio no país[editar | editar código-fonte]

Na sua história, a Copersucar-Fittipaldi teve diversos pilotos como Ingo Hoffmann, Chico Serra e até ajudou a formar um campeão mundial, o finlandês Keke Rosberg, que defendeu a equipe em 1980 e 1981. "As pessoas diziam que o carro era muito fraquinho, que F-1 no Brasil era uma piada e que a equipe não servia para nada. E a equipe foi perdendo seus patrocinadores", explica Luciano Pires, diretor de Comunicação Corporativa da Dana, fabricante de autopeças, responsável pela restauração do FD01, primeiro modelo da equipe, vários anos após o encerramento da equipe.

A equipe fechou em 1982 de uma forma melancólica. Os irmãos Fittipaldi deixaram os carros de lado e não quiseram mais mexer. O modelo FD01 ficou guardando em um galpão na fazenda da família em Araraquara, interior de São Paulo. Além de deixarem a equipe de lado, restou uma dívida de 7 milhões de dólares. "Mas o que mais nos magoou foi o fato de falarem da nossa equipe como um motivo de vergonha porque nunca vencemos uma prova", disse Wilson.

Projeto de restauração do FD01[editar | editar código-fonte]

Em 2002, a Dana iniciou um projeto para recuperar alguns ícones da ‘mobilidade’, como o monomotor Jaú, primeiro avião que atravessou o Atlântico. Assim, surgiu a ideia para recuperar o FD01. "Fomos atrás do Wilson, montamos uma equipe interna de quatro pessoas e o mesmo grupo que ajudou na fabricação do primeiro Copersucar", conta Luciano Pires, da Dana. Para recuperação, foram gastos 80 mil dólares.

No início de 2004, foi realizado um trabalho árduo na busca de peças. Foram à Inglaterra, Alemanha e outros países. "Tivemos de adaptar algumas coisas, como componentes de segurança que não duram trinta anos, os pneus (um pouco menores que os originais)", explicou Wilson.

Christian Fittipaldi, filho de Wilson, foi prestigiar o pai em Interlagos: "Não lembro do primeiro modelo. Tinha apenas três anos. Mas tenho uma foto em que estou empurrando a roda traseira, do Fittipaldi número 3, em 1976", falou Christian. E matou a vontade do pai e deu uma volta com o carro. "Ele está que nem uma criança, como se estivesse me dando um brinquedo novo. Esse brinquedo faz parte da história da vida dele", disse.

Em 1980 Fittipaldi ficou à frente da Ferrari[editar | editar código-fonte]

Aos que teimam em lembrar da Copersucar, depois Fittipaldi, como um capítulo risível da história da F-1, alguns números são esclarecedores.
Na temporada de 1980, por exemplo, o time brasileiro terminou o campeonato em 8º lugar com 11 pontos enquanto que a Ferrari ficou em 10º lugar e apenas 8 pontos. Dois anos antes, a equipe ficou na frente de McLaren, Williams, Renault e Arrows no Mundial de Construtores. E Emerson Fittipaldi, que juntou-se à Copersucar em 1976, marcou um ponto a menos que o canadense Gilles Villeneuve, da Ferrari.

Nas oito temporadas que disputou, a Copersucar-Fittipaldi acumulou 44 pontos em 104 GPs. Foram três pódios, o mais comemorado deles em 1978, o 2º lugar de Emerson no Rio de Janeiro com o modelo F5A. Nenhuma vitória, mas dezenove presenças nos pontos, numa época em que apenas os seis primeiros pontuavam.

Para comparar: a Jaguar encerrou suas atividades em 2004 com 49 pontos e dois pódios em 85 GPs. Era a equipe oficial da Ford. A Prost somou 35 pontos em 83 corridas, também com três pódios. A Sauber, em 206 largadas, conseguiu apenas seis pódios. Pelos padrões vigentes, pois, a Copersucar-Fittipaldi, hoje, se mantivesse o mesmo desempenho de sua época, estaria ranqueada facilmente entre as chamadas equipes intermediárias.

Nos seus oito anos de vida, a Copersucar-Fittipaldi teve na sua folha de pagamento, além do bicampeão Emerson, o projetista Adrian Newey, hoje na Red Bull e com passagens na Williams e McLaren, Keke Rosberg, que seria campeão pela Williams em 1982, Harvey Postlethwaite, projetista que depois trabalhou na Ferrari e na Tyrrell, e Jo Ramirez, uma espécie de faz-tudo que teve papel importante na logística da McLaren nos anos 80 e 90.

O FD01, restaurado pela Dana, gigante multinacional de autopeças e sistemas automotivos, poderá participar do Festival de Goodwood, na Inglaterra, em um futuro próximo. É a mais importante exibição de carros clássicos de corrida do mundo. A empresa também restaurou o FD04, primeiro carro da equipe pilotado por Emerson.

Melhores resultados[editar | editar código-fonte]

Segundo lugar de Emerson Fittipaldi no Grande Prêmio do Brasil de 1978 e dois terceiros lugares: Keke Rosberg no GP da Argentina e Emerson Fittipaldi no GP do Oeste dos Estados Unidos, ambos na temporada de 1980.

Pilotos que passaram pela equipe[editar | editar código-fonte]

Resultados[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Chassi Pneus Motor Óleo Número
do
Carro
Pilotos Classificação
1982 Brasil Fittipaldi Automotive F8D
F9
P Ford Cosworth DFV 3.0 V8 Valvoline 20 Brasil Chico Serra 13º lugar
1 ponto
1981 Brasil Fittipaldi Automotive F8C M


A

P

Ford Cosworth DFV 3.0 V8 Valvoline 20 Finlândia Keke Rosberg NC (14º)
0 ponto
21 Brasil Chico Serra
1980 Brasil Skol Fittipaldi Team F7
F8
G Ford Cosworth DFV 3.0 V8 20 Brasil Emerson Fittipaldi 8º lugar
11 pontos
21 Finlândia Keke Rosberg
1979 Brasil Fittipaldi Automotive F5A
F6
F6A
G Ford Cosworth DFV 3.0 V8 Shell 14 Brasil Emerson Fittipaldi 12º lugar
1 ponto
F6A 19 Brasil Alex Dias Ribeiro
1978 Brasil Fittipaldi Automotive F5A G Ford Cosworth DFV 3.0 V8 Shell 14 Brasil Emerson Fittipaldi 7º lugar
17 pontos
1977 Brasil Copersucar-Fittipaldi FD04 G Ford Cosworth DFV 3.0 V8 28 Brasil Emerson Fittipaldi 9º lugar
11 pontos
29 Brasil Ingo Hoffmann
F5 28 Brasil Emerson Fittipaldi
1976 BrasilCopersucar-Fittipaldi FD03 G Ford Cosworth DFV 3.0 V8 31 Brasil Ingo Hoffmann 11° lugar
3 pontos
FD04 30 Brasil Emerson Fittipaldi
31 Brasil Ingo Hoffmann
1975 BrasilCopersucar-Fittipaldi FD01
FD02
FD03
G Ford Cosworth DFV 3.0 V8 30 Brasil Wilson Fittipaldi Júnior NC (16º)
0 ponto
FD03 Itália Arturo Merzario

Resultados Completos da Fittipaldi na Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Ano Chassis Motor Pneus Pilotos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 Pontos Posição
AFS BRA USW SMR BEL MON USE CAN HOL GBR FRA ALE AUT SUI ITA LVG
1982 F8D Ford Cosworth
DFV V8
G 20 Brasil Chico Serra 17 Ret DNQ 6 DNPQ 11 DNQ Ret Ret 1 13º
F9 DNQ 11 7 DNQ 11 DNQ
USW BRA ARG SMR BEL MON ESP FRA GBR ALE AUT HOL ITA CAN LVG
1981 F8C Ford Cosworth
DFV V8
M 20 Finlândia Keke Rosberg Ret 9 Ret 12 Ret Ret DNQ 0 NC
(14º)
21 Brasil Chico Serra 7 Ret Ret 11 DNS DNQ DNQ
A 20 Finlândia Keke Rosberg Ret Ret DNQ
21 Brasil Chico Serra DNQ Ret DNQ
P 20 Finlândia Keke Rosberg DNQ DNQ DNQ 10
21 Brasil Chico Serra DNQ DNQ DNQ DNQ
ARG BRA AFS USW BEL MON FRA GBR ALE AUT HOL ITA CAN USE
1980 F7 Ford Cosworth
DFV V8
G 20 Brasil Emerson Fittipaldi NC 15 8 3 Ret 6 Ret 11
21 Finlândia Keke Rosberg 3 9 Ret Ret 7 DNQ Ret DNQ
F8 20 Brasil Emerson Fittipaldi 12 Ret 11 Ret Ret Ret Ret
21 Finlândia Keke Rosberg Ret 16 DNQ 5 9 10
ARG BRA AFS USW ESP BEL MON FRA GBR ALE AUT HOL ITA CAN USE
1979 F5A Ford Cosworth
DFV V8
G 14 Brasil Emerson Fittipaldi 6 11 Ret 11 9 Ret Ret 12 1 12º
F6 13
F6A Ret Ret Ret 8 8 7
19 Brasil Alex Dias Ribeiro DNQ DNQ
ARG BRA AFS USW MON BEL ESP SUE FRA GBR ALE AUT HOL ITA USE CAN
1978 F5A Ford Cosworth
DFV V8
G 14 Brasil Emerson Fittipaldi 9 2 Ret 8 9 Ret Ret 6 Ret Ret 4 4 5 8 5 Ret 17
ARG BRA AFS USW ESP MON BEL SUE FRA GBR ALE AUT HOL ITA USE CAN JAP
1977 FD04 Ford Cosworth
DFV V8
G 28 Brasil Emerson Fittipaldi 4 4 10 5 14 Ret 11
29 Brasil Ingo Hoffmann Ret 7
F5 28 Brasil Emerson Fittipaldi Ret 18 11 Ret DNQ 11 4 DNQ 13 Ret
BRA AFS USW ESP BEL MON SUE FRA GBR ALE AUT HOL ITA CAN USE JAP
1976 FD03 Ford Cosworth
DFV V8
G 31 Brasil Ingo Hoffmann 11 3 11º
FD04 DNQ DNQ DNQ
30 Brasil Emerson Fittipaldi 13 17 6 Ret DNQ 6 Ret Ret 6 13 Ret Ret 15 Ret 9 Ret
ARG BRA AFS ESP MON BEL SUE HOL FRA GBR ALE AUT ITA EUA
1975 FD01 Ford Cosworth
DFV V8
G 30 Brasil Wilson Fittipaldi Ret 0 NC
(16º)
FD02 13 DNQ Ret DNQ 12 17
FD03 11 Ret 19 Ret DNQ 10
Itália Arturo Merzario 11

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Escuderia Fittipaldi

Referências

  1. Reportagem comemorativa no Jornal "O Globo" a respeito dos 30 anos do fim da Escuderia, Setembro de 2012. 3º Parágrafo (sobre nome da Escuderia)


Ícone de esboço Este artigo sobre Fórmula 1 é um esboço relacionado ao projeto sobre Fórmula 1. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.