Esfir Shub

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Esfir Shub
Nascimento 16 de março de 1894
Morte 21 de setembro de 1959 (65 anos)
Moscou
Sepultamento Cemitério Novodevichy
Cidadania União Soviética
Ocupação diretor de cinema, editor de filme, roteirista
Prêmios Artista Honorário da República Socialista Federativa Soviética da Rússia, Ordem da Insígnia de Honra
Movimento estético Vanguarda russa

Esfir Shub (Surazh, Oblast de Briansk, 16 de março de 1894Moscou, 21 de setembro de 1959), também conhecida como Esther Shub[1], foi uma cineasta soviética[2].

Foi pioneira do chamado filme de compilação[3]. Segundo Leyda (1971), ela era uma excelente e talentosa montadora, responsável por dar ao jovem Sergei Eisenstein o seu primeiro emprego em cinema. Pertence ao movimento do construtivismo russo. Junto com Dziga Vertov, ela é uma das mais influentes realizadoras no desenvolvimento do documentário no período pós-revolucionário na União Soviética[4].

Filmografia[editar | editar código-fonte]

  • A queda da dinastia dos Romanov (1927)
  • O grande caminho (1928)
  • A Rússia de Nicolau II e Leon Tolstoy (1928)

Referências

  1. «Shub, Ėsfirʹ Ilʹinichna, 1894-1959». Library of Congress. Consultado em 4 de março de 2013 
  2. «Esfir Shub (1894–1959)». IMDb. Consultado em 4 de março de 2013 
  3. Leyda, Jay (1971). Film beger films (em inglês). New York: Hill and Wang 
  4. VIEIRA, João Luiz (set. 2004). «Vanguarda revolucionária: Eisenstein, Vertov e o construtivismo cinematográfico». Recine. 1 (1) 
Ícone de esboço Este artigo sobre um cineasta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.