Esfir Shub

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Esfir Shub (Surazh, Oblast de Briansk, 16 de março de 1894Moscou, 21 de setembro de 1959), também conhecida como Esther Shub[1] , foi uma cineasta soviética[2] .

Foi pioneira do chamado filme de compilação[3] . Segundo Leyda (1971), ela era uma excelente e talentosa montadora, responsável por dar ao jovem Sergei Eisenstein o seu primeiro emprego em cinema. Pertence ao movimento do construtivismo russo. Junto com Dziga Vertov, ela é uma das mais influentes realizadoras no desenvolvimento do documentário no período pós-revolucionário na União Soviética[4] .

Filmografia[editar | editar código-fonte]

  • A queda da dinastia dos Romanov (1927)
  • O grande caminho (1928)
  • A Rússia de Nicolau II e Leon Tolstoy (1928)

Referências

  1. Shub, Ėsfirʹ Ilʹinichna, 1894-1959. Library of Congress. Página visitada em 4 de março de 2013.
  2. Esfir Shub (1894–1959). IMDb. Página visitada em 4 de março de 2013.
  3. Leyda, Jay. Film beger films (em inglês). New York: Hill and Wang, 1971.
  4. VIEIRA, João Luiz. (set. 2004). "Vanguarda revolucionária: Eisenstein, Vertov e o construtivismo cinematográfico". Recine 1 (1).
Ícone de esboço Este artigo sobre cineastas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.