Espírito Santo (Porto Alegre)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Espírito Santo, veja Espírito Santo (desambiguação).

Espírito Santo
  Bairro do Brasil  
Espírito Santo Porto Alegre.JPG
Localização
Município Porto Alegre
Características geográficas
Área total 174 hectares
População total 5,734 hab (2 000)
2,712 homens
3,022 mulheres hab.
Densidade 33 hab/ha hab./km²
Outras informações
Taxa de crescimento (+) 1,1% (de 1991 a 2000)
Domicílios 1.706
Rendimento médio mensal 11,02 salários mínimos
Fonte: Não disponível

Espírito Santo é um bairro da da cidade brasileira de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul. Foi criado pela Lei 6704 de 19 de novembro de 1990[1].

Regiões de Planejamento[editar | editar código-fonte]

O bairro está inserido dentro da Região de Planejamento Seis (RGP-6), uma das oito Regiões de Gestão do Planejamento de Porto Alegre. Cada região agrega um grupo de bairros com afinidades entre si, com a RGP-6 reunindo dezesseis bairros incluindo o Espírito Santo.

História[editar | editar código-fonte]

Segundo o histórico dos bairros da cidade, elaborado pela Secretaria Municipal da Cultura, o Espírito Santo recebeu este nome em virtude de uma capela que existia no alto de um dos morros da região do bairro.[2]

No século XVIII, o território do bairro Espírito Santo fazia parte da sesmaria "São Gonçalo", pertencente a Dionísio Rodrigues Mendes, cuja sede ficava no bairro Belém Velho e cujas terras se estendiam do Arroio Cavalhada até o Arroio do Salso. Com a morte de seus sucessivos herdeiros, as terras acabaram passando para outras famílias, que estabeleceram fazendas e chácaras na região.[3]

Entre o final do século XIX e início do século XX, houve um estudo para que a antiga Ferrovia do Riacho atravessasse o bairro Espírito Santo para chegar a um grande matadouro que funcionou no bairro Serraria. Porém, o plano não foi adiante, pois a linha férrea acabou tendo seu fim na estação da Pedra Redonda, construída em 1912. Em razão disso, a população do Espírito Santo e de seus bairros vizinhos, como Ipanema, Guarujá e a Serraria, tiveram de esperar pela chegada dos ônibus e dos automóveis para se interligarem melhor com a área central da cidade.[4]

Sobretudo a partir da década de 1940, no período da industrialização e metropolização de Porto Alegre, o Espírito Santo e seus bairros vizinhos da Zona Sul deixaram de ser basicamente agrícolas e passaram por uma urbanização significativa, ainda que menos intensa do que na Zona Norte.[5] A transferência, em 1944, do 2º Regimento de Reconhecimento Mecanizado para o prédio do antigo "Matadouro Modelo" da Serraria[6] foi também propulsor para o crescimento para a região.

O núcleo ocupado há mais tempo do bairro Espírito Santo encontra-se em sua região mais alta, entre as ruas Guananás, Guenoas e Carijós. Essa região encontra-se particularmente representada no mapa de "1890-1945" do livro "Porto Alegre e sua evolução urbana", de Célia Ferraz de Souza e Dóris Maria Müller.

Na década de 1980, houve uma maior comercialização de lotes, com preços relativamente baixos por ser um ainda um bairro de formação recente.

Em 2005, o acesso ao Espírito Santo foi aprimorado com a ampliação da Avenida Juca Batista.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Bacia de amortecimento no loteamento Caminhos de Belém.

No bairro se localiza o arroio homônimo, cuja sub-bacia hidrográfica é uma das vinte e sete presentes na Capital gaúcha. O arroio tem suas nascentes próximas ao Morro das Abertas, desaguando no Guaíba e fazendo a drenagem natural do solo no bairro. Possui trechos onde sofreu obras de canalização, mas a área de sua foz ainda se encontra em estado natural, rodeada de densa vegetação.[7] Em 2018, a Justiça suspendeu a licença de obra de um grande terreno na área da foz do arroio, pertencente a uma construtora, por conta de sua importância ambiental.[8]

No loteamento "Caminhos de Belém", na esquina da Rua Olívio Koliver com a Avenida Serraria, onde o arroio passava em seu curso, foi criada uma bacia de amortecimento de cheias.[9]

Características atuais[editar | editar código-fonte]

Arcos de Ipanema.

Trata-se de um bairro predominantemente residencial, com bastantes áreas verdes, embora haja estudos sobre a supressão dessas nas últimas décadas.[10] Muitas de suas casas, de variadas classes sociais, possuem vista para o lago Guaíba. Há três avenidas principais: a Avenida Serraria, que corta o Espírito Santo; a Avenida Guaíba; e a Avenida Juca Batista.

A localização é outro fator de destaque: por ficar próximo aos bairros Ipanema e Guarujá, teve, indiretamente, uma grande valorização nos últimos anos. A proximidade com o Lago Guaíba é um dos principais atrativos da região, bem como o calçadão de Ipanema, a arborização e a relativa tranquilidade caraterística deste bairro. Os conhecidos "Arcos de Ipanema", que são considerados um cartão-postal da Zona Sul de Porto Alegre, estão situados dentro dos limites do bairro Espírito Santo.

Insegurança[editar | editar código-fonte]

O Espírito Santo se localiza entre duas "vilas", ou ocupações irregulares, cujas gangues disputam o tráfico de drogas na Zona Sul de Porto Alegre: a "Vila dos Sargentos", que ocupa o Morro dos Sargentos na Serraria, e o "Beco do Adelar", no bairro Aberta dos Morros. Em julho de 2016, o confronto violento entre os dois grupos criminosos fizeram com que as aulas da única escola pública do Espírito Santo, a EEEF Clotilde Cachapuz de Medeiros, reduzisse seus turnos e antecipasse suas férias.[11]

Há altos índices de assaltos nas ruas do bairro.[12]

Em agosto de 2020, o 1º Batalhão da Polícia de Choque da Brigada Militar apreendeu farto armamento e munição em uma operação deflagrada na Rua Arachanes, no bairro Espírito Santo.[13]

Pontos de referência[editar | editar código-fonte]

Áreas verdes
Educação
  • E. E. E. F. Clotilde Cachapuz de Medeiros[14]
Observações

Limites atuais[editar | editar código-fonte]

Do encontro do prolongamento da Rua Murá com a orla do rio Guaíba, segue, no sentido norte, até o prolongamento em linha reta da avenida projetada pelo plano diretor que, por sua vez, é o prolongamento da Avenida Coronel Pedro Augusto Bittencourt, indo por esta avenida até a Avenida Juca Batista; desta, até a esquina da Estrada Cristiano Kraemer; deste ponto, por uma linha imaginária, coincidindo com uma rua projetada, prolongamento da Rua Giorgio Negroni; por esta rua e seu prolongamento, até encontrar a rua projetada, diretriz do plano diretor 6303; desta, até a Estrada da Serraria; desta, até a Rua Murá; e, por esta e seu prolongamento, em linha reta, até a orla do Guaíba.

Referências

Bibliográficas[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Espírito Santo (Porto Alegre)