Espaço Europeu de Ensino Superior

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
  Países-membros do Espaço Europeu de Ensino Superior.
  Países que se podem candidatar ao EEES.

O Espaço Europeu de Ensino Superior (EEES) refere-se ao conjunto de países europeus que decidiram harmonizar os diferentes sistemas de ensino superior nacionais, de forma a serem compatíveis, comparáveis e coerentes entre si. Foi lançado no décimo aniversário do Processo de Bolonha, em 2010, durante a Conferência Ministerial de Budapeste-Viena.[1]

História[editar | editar código-fonte]

O objetivo principal do Processo de Bolonha, desde o seu início em 1999, foi o de criar o Espaço Europeu de Ensino Superior. Assim, entre 1999 e 2010, todos os países aderentes ao Processo de Bolonha se esforçaram pela sua criação, que viria a tornar-se realidade com a Declaração Budapeste-Viena, no dia 12 de março de 2010.[2]

Objetivos[editar | editar código-fonte]

Os objetivos estratégicos do Espaço Europeu de Ensino Superior centram-se:

  • Na implantação de um sistema facilmente compreensível e comparável de graus académicos.
  • Na adoção de um sistema de acumulação e transferência de créditos que favorecem a mobilidade (créditos ECTS).
  • Na promoção da cooperação europeia em matéria de garantia da qualidade e desenvolvimento de critérios e metodologias comparáveis.
  • No impulso à mobilidade de estudantes, docentes e pessoal administrativo das universidades e de outras instituições europeias de ensino superior (programa Erasmus).
  • No fomento da dimensão europeia no ensino superior como condição necessária para concretização dos objetivos do EEES.

Além disso, foi criado o suplemento ao diploma que é um documento pessoal dos estudantes do ensino superior, que fornece informações sobre o grau académico, mediante uma descrição da sua natureza, o nível, o contexto e conteúdo. O objetivo do suplemento é o de incrementar a transparência dos diversos graus lecionados na Europa e facilitar o seu reconhecimento académico e profissional por parte das instituições.

Estados-membros[editar | editar código-fonte]

Atualmente, o Espaço Europeu de Ensino Superior é composto por 48 países-membros, incluindo todos os 28 Estados-membros da União Europeia, que são os seguintes:[3]

Os únicos membros do Conselho da Europa que não aderiram ao EEES foram o Mónaco e São Marino. Outros países quiseram aderir mas não foram aceites, nomeadamente Israel, Quirguistão, Cosovo e República Turca do Norte de Chipre.

Referências

  1. «Um pouco de história». Universidade Nova de Lisboa. Consultado em 12 de novembro de 2014. 
  2. «Lançamento do Espaço Europeu de Ensino Superior 2010». Universidade de Coimbra. 17 de maio de 2010. Consultado em 12 de novembro de 2014. 
  3. «Processo de Bolonha: estabelecimento do Espaço Europeu de Ensino Superior». europa.eu. Consultado em 12 de novembro de 2014. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]