Saltar para o conteúdo

Escola de Chicago: diferenças entre revisões

2 383 bytes removidos ,  18 de janeiro de 2012
WP:LE para desambiguações
(Fora de contexto; aparenta POV.)
(WP:LE para desambiguações)
{{Reciclagem|data=julho de 2011}}
 
{{desambiguação}}
 
A expressão '''Escolaescola de Chicago''' refere-se a escolas e correntes do pensamento de diferentes áreas e épocas que ficaram conhecidas por serem discutidas e desenvolvidas na cidade norte-americana de [[Chicago]].:
A Escola de Chicago surgiu nos Estados Unidos, na década de 1910, por iniciativa de sociólogos americanos, professores do Departamento de Sociologia da Universidade de Chicago e teve um papel relevante na história da criminologia, ao trazer a questão da desorganização social, e da ecologia criminal (arquitetura criminal).
Essa escola foi responsável por um estudo mais detalhado a respeito de fenômenos sociais que ocorriam na parte urbana das metrópoles, devido ao aumento na imigração para o Centro e Sul dos Estados Unidos. Houve um aumento populacional na cidade de Chicago de forma repentina, porém a cidade não estava preparada para receber todas essas pessoas, ou seja, não havia estrutura para manter o mesmo padrão de vida existente na cidade.
 
Devido a isso, a cidade de Chicago começou a enfrentar uma seqüência de problemas sociais urbanos, como por exemplo, crescimento da criminalidade, aumento da delinqüência juvenil, aparecimento de gangues de marginais, bolsões de pobreza e desemprego, e a formação de comunidades segregadas.
 
Todos esses problemas passaram a ser objeto de estudo de vários sociólogos, que pretendiam, a partir desse acontecimento, elaborar novas teorias e conceitos a respeito dos fenômenos sociais. Além disso, buscavam elaborar métodos para solução e controle desses problemas.
 
A expressão '''Escola de Chicago''' refere-se a escolas e correntes do pensamento de diferentes áreas e épocas que ficaram conhecidas por serem discutidas e desenvolvidas na cidade norte-americana de [[Chicago]].
 
Essa escola prega que há que se ter um profundo interesse pelo problema social que é o delito, e que para se estudar o delinqüente deve se levar em consideração seu contexto histórico, já que na vida em sociedade sempre haverá o crime.
O conceito de ecologia humana (que pressupõe a concepção integrada do homem com o meio ambiente) e a concepção ecológica da sociedade foram muito influenciados pelas abordagens teóricas do "evolucionismo social" - marcante na sociologia em seu estágio inicial de desenvolvimento -, ao sustentarem uma analogia entre os mundos vegetal e animal, de um lado, e o meio social integrado pelos seres humanos, neste caso, a cidade, de outro.
 
Os sociólogos, ao considerarem a cidade como amplo e complexo “laboratório social”, utilizavam o método empírico para coleta de dados e informações sobre a forma de vida em ambientes urbanos.
 
*Na Em [[sociologia]], a [[Escola de Chicago (sociologia)|Escola de Chicago]]privilegia representao umestudo conjuto de[[etnografia|etnográfico]] teorias cujo principal tema eram osdos grandes centros urbanos, pela primeira vez estudados [[etnografia|etnograficamente]].
*Na Em [[arquitectura|arquitetura]] e no [[urbanismo]], a [[Escola de Chicago (arquitetura)|Escola de Chicago]] representa um conjunto de ideais e pensamentos sobre o futuro das cidades e do [[planejamento urbano]] americanos, desenvolvidos no início do [[século XX]].
*Na Em [[economia]], a [[Escola de Chicago (economia)|Escola de Chicago]] representa uma corrente que defende o [[livre-mercado]]. Seu mais conhecido representante é [[Milton Friedman]], ganhador do [[Prêmio Nobel de Economia]] em [[1976]].
*Na Em [[comunicação]], a [[Escola de Chicago (comunicação)|Escola de Chicago]] representa um conjunto de estudos referentes a [[comunicação social]], afirmando que a [[sociedade]] é um produto da comunicação, que torna possível o consenso entre as pessoas. Também expressa que a comunicação serve, promove ou reprime o [[conhecimento]].
 
 
6 358

edições