Diferenças entre edições de "Gilmar Mendes"

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
346 bytes adicionados ,  01h30min de 1 de junho de 2012
sem resumo de edição
 
Foi [[Advocacia-Geral da União|Advogado-Geral da União]] no [[Governo Fernando Henrique Cardoso]] (FHC), sendo empossado [[ministro]] do [[Supremo Tribunal Federal]] (STF) em [[20 de junho]] de [[2002]], por indicação de [[FHC]], então [[Presidente da República]] do Brasil. Foi [[presidente]] do STF de [[2008]] a [[2010]].<ref>[http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u381200.shtml Folha - 12/03-2008 (acessado em 23/04/2009)]</ref><ref>[http://g1.globo.com/Noticias/Politica/0,,MUL347959-5601,00.html G1 (acessado em 23/04/2009]</ref><ref>{{Citar web|url=http://oglobo.globo.com/pais/mat/2010/04/23/ao-tomar-posse-peluso-defende-que-stf-tome-decisoes-tecnicas-916420702.asp|título=Ao tomar posse, Peluso defende que STF tome decisões técnicas|autor=O Globo Online|coautores=Carolina Brígido, Catarina Alencastro, Demétrio Weber e Isabel Braga|data=23 de abril de 2010|língua2=pt|acessodata=23 de abril de 2010}}</ref> Foi considerado pela ''[[Revista Época]]'' um dos 100 brasileiros mais influentes do ano de 2009.<ref>{{citar web |url=http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/1,,EMI108920-17445,00.html |titulo=Época - NOTÍCIAS - Os 100 brasileiros mais influentes de 2009 |publicado=revistaepoca.globo.com |acessodata=[[20 de Dezembro]] de [[2009]] }}</ref>
 
Em 2012, o ministro acusou o ex-presidente [[Lula]] de ter tentado chantageá-lo para que adiasse o julgamento do [[mensalão]] e ter relatado como já teria abordado outros ministros pelo mesmo motivo em um encontro no escritório do ex-ministro [[Nelson Jobim]]. A acusação foi negada pelo ex-ministro através de algumas versões contraditórias entre si.<ref>{{Citar web |url=http://oglobo.globo.com/pais/noblat/post.asp?cod_post=447791&ch=n |título= As muitas versões de Nelson Jobim |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> Lula limitou-se a emitir nota através de seu instituto que dizia que esse comportamento não era condizente com sua postura ao longo dos anos, mas não chegou a desmentir nada.<ref>{{Citar web |url=http://www.institutolula.org/2012/05/nota-oficial-sobre-reportagem-da-revista-veja/ |título= Nota oficial sobre reportagem da revista Veja |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> A acusação foi divulgada um mês após a reunião pela [[Revista Veja]]. Além disso, foi comunicada ao presidente do STF, [[Ayres Britto]], ao [[procurador-geral da República]], [[Roberto Gurgel]], e ao [[Advogado-Geral da União]], [[Luís Inácio Adams]]. Mendes admitiu ter voado em jatinhos providenciados pelo senador Demóstenes Torres, desfiliado do DEM para evitar expulsão,<ref>{{Citar web |url=http://oglobo.globo.com/pais/demostenes-torres-se-desfilia-do-dem-para-evitar-expulsao-4481898 |título= Demóstenes Torres se desfilia do DEM para evitar expulsão |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> acompanhando dos ministros [[José Antonio Dias Toffoli]] e [[Nancy Andrighi]] e o próprio ex-ministro [[Nelson Jobim]].
 
== Biografia ==
Em setembro de 2010, a reportagem da [[Folha de S. Paulo]] presenciou uma ligação de [[José Serra]] para Gilmar Mendes. Segundo o jornal, José Serra teria ligado para Gilmar Mendes para pedir o adiamento de uma votação sobre a obrigatoriedade de dois documentos para votar (julgamento de [[ADI]] pedida pelo [[PT]]).<ref>{{Citar web |url=http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po3009201017.htm |título=Após falar com Serra, Mendes para sessão |língua= |autor= |obra=Folha de S. Paulo |data= 30 de setembro de 2010 |acessodata=}}</ref> Após a ligação, Mendes pediu vista (mais tempo para análise) no julgamento da [[ação direta de inconstitucionalidade]]. Segundo jornalistas, o caso teria ocorrido precisamente no dia 29 de setembro, após Serra pedir que o assessor ligasse para o ministro. O ex-governador teria recebido um celular das mãos de um ajudante de ordens, que o teria informado que Mendes estava na linha. Ao telefone, Serra teria cumprimentado o interlocutor como "meu presidente". Durante a conversa, teria caminhado pelo auditório.<ref>{{Citar web |url=http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po0110201021.htm |título=Mendes diz não se pautar por interesses político-partidários |língua= |autor= |obra= |data= 01 de outubro de 2010 |acessodata=}}</ref> Após desligar, brincou com os jornalistas: "O que estão xeretando?". Serra e Mendes negaram a existência da conversa.
 
==== LigaçãoSuposta ligação com Demóstenes Torres e Carlinhos Cachoeira ====
 
O ministro Gilmar Mendes foi acusado de ter relações com o contraventor [[Carlinhos Cachoeira]] e seu amigo [[Demóstenes Torres]], ambos envolvidos em um esquema amplo de corrupção e tráfico de influência. A acusação seria de que Gilmar Mendes, teria “pego carona”viajado em um jatinho fornecido por Cachoeira, no dia 25 de abril de 2011, quando retornava da Alemanha ao Brasil, na companhia do senador [[Demóstenes Torres]] (ex-[[DEM]]-[[GO]]). O ministro posteriormente apresentou documentos demonstrando ter retornado ao Brasil em um voo da [[Lufthansa]]. <ref>{{Citar web |url=http://www.jornalfloripa.com.br/politica/index1.php?pg=verjornalfloripa&id=4018 |título=Gilmar Mendes mostra documentos para comprovar que pagou viagem |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref>
 
A tentativa doO ex-presidente [[Lula]] deusou chantageressa acusação para [[Chantagem|chantagear]] Mendes, acom o fito de adiar o julgamento do [[mensalão]] foi usando essa acusação. <ref>{{Citar web |url=http://m.estadao.com.br/noticias/nacional,gilmar-mendes-afirma-que-saiu-perplexo-da-conversa-com-lula,879159.htm |título=Gilmar Mendes afirma que saiu 'perplexo' da conversa com Lula |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> Ao longo do mês seguinte aà tentativa de chantagem, a acusação começou a ser espalhada por Lula e jornalistas alinhados e financiados pelo governo federal e empresas estatais. <ref>{{Citar web |url=http://http://www.conversaafiada.com.br/pig/2012/05/28/burburinho-gilmar-foi-a-berlim-em-aviao-do-cachoeira/ |título=Burburinho: Gilmar foi a Berlim em avião do Cachoeira ?= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> Mendes denunciou a prática ilegal de Lula, que foi censurada por outros ministros do STF, como [[Celso de Mello]] e [[Marco Aurélio Mello]]. Tanto Lula como [[Nelson Jobim]], amigo de ambos e que também estivera presente à reunião, desmentiram Mendes.
O ministro Gilmar Mendes foi acusado de ter relações com o contraventor [[Carlinhos Cachoeira]] e seu amigo [[Demóstenes Torres]], ambos envolvidos em um esquema amplo de corrupção e tráfico de influência. A acusação seria que Gilmar Mendes, teria “pego carona” em um jatinho fornecido por Cachoeira, no dia 25 de abril de 2011, quando retornava da Alemanha ao Brasil, na companhia do senador [[Demóstenes Torres]] (ex-[[DEM]]-[[GO]]). O ministro posteriormente apresentou documentos demonstrando ter retornado ao Brasil em um voo da Lufthansa. <ref>{{Citar web |url=http://www.jornalfloripa.com.br/politica/index1.php?pg=verjornalfloripa&id=4018 |título=Gilmar Mendes mostra documentos para comprovar que pagou viagem |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref>
 
=====Alegação de chantagem de [[Lula]]=====
A tentativa do ex-presidente [[Lula]] de chantager Mendes a adiar o julgamento do [[mensalão]] foi usando essa acusação. <ref>{{Citar web |url=http://m.estadao.com.br/noticias/nacional,gilmar-mendes-afirma-que-saiu-perplexo-da-conversa-com-lula,879159.htm |título=Gilmar Mendes afirma que saiu 'perplexo' da conversa com Lula |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> Ao longo do mês seguinte a tentativa de chantagem, a acusação começou a ser espalhada por jornalistas alinhados e financiados pelo governo federal e empresas estatais. <ref>{{Citar web |url=http://http://www.conversaafiada.com.br/pig/2012/05/28/burburinho-gilmar-foi-a-berlim-em-aviao-do-cachoeira/ |título=Burburinho: Gilmar foi a Berlim em avião do Cachoeira ?= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref>
Em 2012, o ministro acusou o ex-presidente [[Lula]] de ter tentado chantageá-lo para que adiasse o julgamento do [[mensalão]] e ter relatado como já teria abordado outros ministros pelo mesmo motivo em um encontro no escritório do ex-ministro [[Nelson Jobim]]. A acusação foi negada pelo ex-ministro através de algumas versões contraditórias entre si.<ref>{{Citar web |url=http://oglobo.globo.com/pais/noblat/post.asp?cod_post=447791&ch=n |título= As muitas versões de Nelson Jobim |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> Lula limitou-se a emitir nota através de [[Instituto Lula|seu instituto]] que dizia que esse comportamento não era condizente com sua postura ao longo dos anos, mas não chegou a desmentir nada.<ref>{{Citar web |url=http://www.institutolula.org/2012/05/nota-oficial-sobre-reportagem-da-revista-veja/ |título= Nota oficial sobre reportagem da revista Veja |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> A acusação foi divulgada um mês após a reunião pela [[Revista Veja]]. Além disso, foi comunicada ao presidente do STF, [[Ayres Britto]], ao [[procurador-geral da República]], [[Roberto Gurgel]], e ao [[Advogado-Geral da União]], [[Luís Inácio Adams]]. Mendes admitiu ter voado em jatinhos providenciados pelo senador Demóstenes Torres, desfiliado do DEM para evitar expulsão,<ref>{{Citar web |url=http://oglobo.globo.com/pais/demostenes-torres-se-desfilia-do-dem-para-evitar-expulsao-4481898 |título= Demóstenes Torres se desfilia do DEM para evitar expulsão |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> acompanhando dos ministros [[José Antonio Dias Toffoli]] e [[Nancy Andrighi]] e o próprio ex-ministro [[Nelson Jobim]].
 
=== Apoio ===
10 136

edições

Menu de navegação