Saltar para o conteúdo

Diferenças entre edições de "Boas Novas Manaus"

541 bytes removidos ,  19h00min de 18 de março de 2013
Removendo parágrafo possivelmente calunioso e sem fontes
(Removendo parágrafo possivelmente calunioso e sem fontes)
 
Em [[14 de dezembro]] de [[2009]], o [[Tribunal de Contas da União]] (TCU) condenou o ex-diretor executivo e o diretor executivo da Fundação Boas Novas, Dan Câmara e José dos Santos, os ex-membros da comissão de licitação da entidade Miquéias de Lima, Samuel da Silva, Ronaldo Lucena e a empresa E. F. Medeiros a devolverem, solidariamente, R$ 562.092,06, valor atualizado, aos cofres do Fundo Nacional de Saúde (FNS). O TCU detectou irregularidades em dois convênios firmados entre a Fundação e o Ministério da Saúde para compra de 18 ambulâncias e três micro-ônibus, distribuídos a diversos municípios do Amazonas "para fortalecer o Sistema Único de Saúde (SUS)". A fiscalização do TCU não localizou seis ambulâncias, mas decobriu que os veículos foram adquiridos a preços elevados, acima dos de mercado. Dan Câmara, José dos Santos, Miquéias de Lima, Samuel da Silva, Ronaldo Lucena e a empresa Central Car Veículos Ltda., também terão de devolver, solidariamente, R$ 107.798,24, valor atualizado, ao FNS. Dan Câmara e José dos Santos ainda terão de pagar, solidariamente, R$ 51.651,72, valor atualizado. Todos os responsáveis aqui citados e as duas empresas também terão de pagar, cada, multa de R$ 8 mil ao Tesouro Nacional. O TCU determinou à Fundação Boas Novas que observe os preceitos estabelecidos na Lei das Licitações nas próximas oportunidades e que transfira a propriedade e a posse de 17 ambulâncias e dois microônibus para outras municipalidades para atender o objeto do convênio pactuado. O Tribunal remeteu cópia da decisão à Procuradoria Regional da República no Estado do Amazonas para que sejam tomadas as providências cabíveis. O relator do processo foi o ministro Augusto Nardes. Cabe recurso da decisão.<ref>http://www.jusbrasil.com.br/noticias/2035841/tcu-constata-irregularidades-em-contratos-de-compra-de-ambulancias-no-am</ref>
 
A emissora é acusada de utilizar irregularmente as retransmissoras existentes no interior do Amazonas, recebendo pesadas multas da Anatel, porém nenhuma das multas é assumida pela Fundação Evangélica Assembléia de Deus, trazendo inúmeros prejuízos financeiros para a Família Hauache (proprietária da [[CEGRASA]], rede de emissoras no interior do Amazonas). A Família Hauache estuda a possibilidade de romper a afiliação da [[CEGRASA]] com a [[Boas Novas]] e repassá-las para a [[TV Em Tempo]], afiliada do [[SBT]] em Manaus.
 
Em [[9 de setembro]] de [[2010]] a Polícia Federal do Acre informou que apreendeu R$ 472.130,00 que estavam dentro de uma caixa de papelão na posse de um homem, cujo nome não foi revelado, e que teriam como destino a candidata à deputada federal Antônia Lúcia Câmara, mulher do deputado federal pelo Amazonas, Silas Câmara (PSC).
59 779

edições