Saltar para o conteúdo

Margarida Maria Alacoque: diferenças entre revisões

sem resumo de edição
|autor_passagem =N. S. Jesus Cristo à S. Margarida Maria Alacoque
}}
'''Santa Margarida Maria de Alacoque''' ([[Verosvres]], [[22 de Agosto]] de [[1647]] - [[Paray-le-Monial]], [[17 de Outubro]] de [[1690]]) foi uma [[Santo|santa]] [[Catolicismo|católica]], [[Freira|monja]] [[Ordem da Visitação de Santa Maria|Visitandina]], [[Misticismo cristão|mística]] e a famosa vidente do [[Sagrado Coração de Jesus]].<ref name="Marie-Therese1999">QUINSON, Marie-Therese (1999). [http://books.google.com/books?id=66cfRJw1c_wC&pg=PA191 ''Dicionário cultural do cristianismo'']. Edicoes Loyola. p. 191. ISBN 978-85-15-01330-2.</ref>
 
==Vida==
ApósMargarida anasceu morteno dia [[22 de Agosto]] de [[1647]] em [[Verosvres]], na [[Borgonha]]. O seu pai, Claudio de Alacoque, juiz e [[tabelião]], morreu quando Margarida ainda era muito jovem. Após a morte dele, foi morar na casa de seu tio, Toussant(tussã), e sofreram ela e sua mãe, dona Felizberta de Alacoque. Assim ela conheceu a humilhação da necessidade, vivendo ao capricho de parentes pouco generosos e nada propensos a consentir que ela realizasse o seu desejo de [[vida consagrada|fechar-se no convento]].
 
Margarida Maria de Alacoque, nasceu no dia [[22 de Agosto]] de [[1647]] em [[Verosvres]], na [[Borgonha]]. O seu pai, juiz e tabelião, morreu quando Margarida ainda era muito jovem.
 
Após a morte de seu pai, Claudio de Alacoque foi morar na casa de seu tio Toussant(tussã) e sofreram ela e sua mãe, dona Felizberta de Alacoque. Assim ela conheceu a humilhação da necessidade, vivendo ao capricho de parentes pouco generosos e nada propensos a consentir que ela realizasse o seu desejo de fechar-se no convento.
 
[[Ficheiro:HerzJesu mit Droste zu Vischering und MMA.jpg|thumb|left|180px|Pintura com a [[Maria do Divino Coração|Beata Maria do Divino Coração]] e Santa Margarida Maria de Alacoque em adoração ao [[Sagrado Coração de Jesus]].]]
Recebeu a [[Primeira comunhão|comunhão]] aos nove anos e, aos 22, a [[crisma|confirmação]], para a qual quis preparar-se com [[confissão (sacramento)|confissão geral]]: ficando quinze dias preparando-se, escrevendo num caderninho a grande lista de seus pecados e faltas, para ler depois ao confessor. Na festividade de [[São João Evangelista]] de [[1673]], uma moça de vinte e cinco anos, irmã Margarida Maria, recolhida em oração diante do [[Santíssimo Sacramento]], teve o singular privilégio da primeira [[visão (religião)|manifestação visível]] de [[Jesus]], que se repetiria por outros dois anos, toda primeira sexta-feira do mês.
 
MargaridaEm Maria de Alacoque[[1675]], escolhidadurante pora [[Jesusoitava (liturgia)|oitava]] parado serCorpo ade mensageiraDeus, doJesus Sagradomanifestou-se-lhe Coraçãocom o peito aberto e, apontando com o dedo seu coração, exclamou: "''Eis o Coração que tem amado tanto aos homens a ponto de nada poupar até exaurir-se e consumir-se para demonstrar-lhes o seu amor. E em reconhecimento não recebo senão ingratidão da maior parte deles''". Margarida já fazia um ano que vestira o [[hábito religioso]] das [[Freira|monjas]] da [[Ordem da Visitação de Santa Maria]] em [[Paray-le-Monial]]. No último período de sua vida, nomeada [[mestra das noviças]], ela teve a consolação de ver propagar-se a devoção ao [[Sagrado Coração de Jesus]], e os próprios opositores de outrora mudarem-se em fervorosos propagadores.
Na festividade de [[São João Evangelista]] de [[1673]], uma moça de vinte e cinco anos, Irmã Margarida Maria, recolhida em oração diante do Santíssimo Sacramento, teve o singular privilégio da primeira manifestação visível de Jesus, que se repetiria por outros dois anos, toda primeira sexta-feira do mês.
 
Em [[1675]], durante a oitava do Corpo de Deus, Jesus manifestou-se-lhe com o peito aberto e apontando com o dedo seu Coração, exclamou: "''Eis o Coração que tem amado tanto aos homens a ponto de nada poupar até exaurir-se e consumir-se para demonstrar-lhes o seu amor. E em reconhecimento não recebo senão ingratidão da maior parte deles''".
 
Margarida Maria de Alacoque, escolhida por [[Jesus]] para ser a mensageira do Sagrado Coração, já fazia um ano que vestira o [[hábito religioso]] das [[Freira|monjas]] da [[Ordem da Visitação de Santa Maria]] em [[Paray-le-Monial]]. No último período de sua vida, nomeada mestra das noviças, ela teve a consolação de ver propagar-se a devoção ao [[Sagrado Coração de Jesus]], e os próprios opositores de outrora mudarem-se em fervorosos propagadores.
 
Morreu em [[17 de Outubro]] de [[1690]], aos 43 anos de idade.
 
Foi [[canonização|canonizada]] em [[1920]], mas a data da sua festa foi antecipada por um dia para não coincidir com a de [[Inácio de Antioquia|Santo Inácio de Antioquia]].
 
{{referências|col=2}}
 
== Ver também ==
* [[Lista de todos os santos]]
* [[Maria do Divino Coração|Beata Maria do Divino Coração]]
 
{{referências|col=2}}
 
{{commonscat|Marguerite Marie Alacoque}}
 
{{Esboço-cristianismo}}
 
198 349

edições