Saltar para o conteúdo

Diferenças entre edições de "Joseph Gire"

803 bytes adicionados ,  10h54min de 17 de novembro de 2015
sem resumo de edição
m (general cleanup utilizando AWB)
{{Info/Biografia
'''Joseph Gire''' ([[10 de janeiro]] de [[1872]] — [[5 de outubro]] de [[1933]]) foi um [[arquiteto]] [[francês]] de uma produtividade surpreendente, tendo construído numerosos prédios de importância histórica no [[Brasil]] e [[Argentina]], além de uma obra considerável na [[França]].
|bgcolour = gray
|nome = Joseph Gire
|pseudônimo =
|imagem =
|imagem_tamanho =
|imagem_legenda =
|nome_completo =
|nascimento_data = {{nascimento|10|1|1872}}
|nascimento_local =
|morte_data = {{morte|5|10|1933|10|1|1872}}
|morte_local =
|residência =
|nacionalidade = {{FRAn|o}}
|ocupação = [[Arquitetura|arquiteto]]
|nome_mãe =
|nome_pai =
|parentesco =
|cônjuge =
|filhos =
|influências =
|influenciados =
|prêmios =
|religião =
|principais_trabalhos =
|website =
}}
'''Joseph Gire''' ([[10 de janeiro]] de [[1872]] — [[5 de outubro]] de [[1933]]) foi um [[arquiteto]] [[francês]] de uma produtividade surpreendente, tendo construído numerosos prédios de importância histórica no [[Brasil]] e [[Argentina]], além de uma obra considerável na [[França]].
 
Mostrou-se foi particularmente ativo no [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], onde construiu numerosos prédios e residências que se tornaram marcos da paisagem urbana carioca. Entre essas construções se encontram o ''[[Hotel Glória]]'' (1922), o ''[[Edifício A Noite]]'' (primeiro arranha-céu do Brasil com 22 pavimentos e maior estrutura de concreto armado do mundo na época) na [[Praça Mauá]] (1930, com Elisário Cunha Bahiana), o ''edifício da seguradora Sul América'' (Rua da Quitanda, 86), projeto de 1925, conjuntamente com R. Prentice, com acabamento Luís XVI,<ref>Guia da Arquitetura Eclética no Rio de Janeiro, pág. 43.</ref> o ''[[Copacabana Palace|Hotel Copacabana Palace]]'' (1923) em estilo Luís XVI "com projeto calcado no Hotel Negresco de [[Nice]]",<ref>Guia da Arquitetura Eclética no Rio de Janeiro, pág. 117 e {{cite web