Diferenças entre edições de "Kali"

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
4 bytes removidos ,  19h37min de 18 de janeiro de 2016
sem resumo de edição
(Desfeita a edição 44128002 de 187.38.1.248)
Etiqueta: Remoção considerável de conteúdo
É a verdadeira representação da [[natureza]] e é também considerada, por muitas pessoas, a essência de tudo o que é realidade e a fonte da existência do ser. [[Deusa]] da [[morte]] do ego, é a "esposa" do deus [[Shiva]] em algumas culturas. Já segundo os [[Vedas]], Shiva é transformado em Kali, que seria um de seus lados, para trazer o fim. Segundo o [[tantrismo]], é a divina "mãe" ou pai do universo, destruidor(a) de toda a maldade. É representada(o) como uma mulher exuberante, em uma parte da [[Índia]]; em outra, como homem de pele escura, que traz um colar de crânios em volta do pescoço e uma saia de braços decepados — expressando, assim, a implacabilidade da morte.
 
A lenda conta que, numa luta entre [[Durga]] e o demônio [[Raktabija]], este aterrorizou Durga com um diabólico feitiço: cada gota de seu sangue se transformava em um demônio. Durga e Shiva, ao tentar matar os vários demônios que surgiam de cada gota de sangue, cortavam a cabeça (e, daí, nasciam mais e mais demônios). Já em desespero, surge Kali, que cortava as cabeças e lambia o sangue (daí, a representação tradicional sua com o colar de cabeças, a adaga e a língua de fora). Assim, dizimou os demônios de Raktabija.
 
Mas Kali não é uma deusa ou deus do [[mal]], pois, na verdade, o seu papel de ceifadora de vidas é absolutamente indispensável para a manutenção do mundo. Os devotos são, supostamente, recompensados com poderes [[Paranormal|paranormais]] e com uma morte sem sofrimentos. É, também, uma das formas da deusa [[Parvati]], esposa de Shiva. É coberta de cobras no seu corpo em vez de roupas, e tem um colar dos crânios dos seus filhos.
Utilizador anónimo

Menu de navegação