Saltar para o conteúdo

Diferenças entre edições de "Guerras Hussitas"

519 bytes removidos ,  17h53min de 26 de junho de 2016
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de 200.237.83.130, com Reversão e avisos.
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 200.237.83.130, com Reversão e avisos.)
{{sem-fontes|data=Janeiro de 2009}}
{{reforma/coluna}}
As '''guerras Hussitashussitas''' foramenvolveram umaas sérieações de conflitosmilitares armados ocorridos entre 1420contra e 1434 entre os seguidores de [[Jan Hus]] ena a[[Boémia]] Igrejado católicaperíodo de [[1420]] até cerca de [[1434]].
 
== Origens ==
Jan Hus criticou severamente diversas praticas da igreja católica, entre elas o fato do da Eucaristia (celebração da morte e ressurreição de [[Jesus|Jesus Cristo]]) ser praticada apenas pelo clero e não pelo povo, outras de suas denúncias proviam da corrução da igreja católica e da autoridade do [[Papa]]. Jan Hus foi julgado como um herege e queimado vivo em 1415, pouco tempo depois de ter sido excomungado pela igreja católica.
O movimento hussita assumiu um caráter revolucionário imediatamente depois de a notícia da morte de Hus (a [[6 de Julho]] de [[1415]]) ter chegado a [[Praga]] (Hus foi condenado como herege pela Igreja, sendo posteriormente condenado à morte na fogueira por um tribunal secular). Os cavaleiros e nobres da [[Boémia]] e da [[Morávia]], descontentes com a Igreja Católica enviaram ao [[Concílio de Constança]] um protesto ([[2 de Setembro]] de [[1415]]), conhecido como o "''protestatio Bohemorum''", o qual condenava a execução de Hus numa linguagem clara e forte. As palavras "protesto ou protestante" não possuíam ainda o mesmo significado histórico que lhes são modernamente atribuídos. A atitude de [[Sigismundo, Sacro Imperador Romano-Germânico|Sigismundo]], rei dos romanos, que enviou cartas de ameaça aos Boémios declarando que ele trataria de afogar todos os seguidores de [[John Wycliffe]] e Jan Hus, irritou fortemente a população.
 
== O Conflito Armado ==
Naquela época o [[Reino da Boémia|Reino da Boêmia]] era um ducado do [[Sacro Império Romano-Germânico|Sacro-Império Romano Germânico]], e boa parte da população de lá era seguidora das ideias de Jan Hus, estes que se auto-proclamaram os Hussitas (alguns nobres também eram seguidores de Jan Hus, como Wenceslaus IV, rei da boêmia entre 1379 e 1419) após a morte W enceslaus IV em 1419, a Boêmia passou a ser governada por seu irmão, Sigsmund de Luxemburgo, que era contra os Hussitas, assim como a igreja católica, para ajuda-lo, o papa mandou prender os ``Hussitas Hereges´´. Em protesto a isso, no dia 30 de Julho de 1419 Hussitas radicais invadiram a prefeitura de praga e jogaram 7 membros fieis a igreja católica pela janela, marcando o início da [[Defenestrações de Praga|Defenestração de Praga]].
Os hussitas resistiram a uma série de cruzadas lançadas contra a Boêmia e tiveram fôlego suficiente para realizar incursões na direção da Polônia e da Alemanha. Seus principais chefes militares foram [[Jan Zizka]] (1360-1424) e [[Procópio, o Calvo]] (1380-1434).
 
Após este ocorrido o Papa decretou uma [[Cruzada]] contra os Hussitas,Os Hussitas, que em sua maioria eram pobres camponeses ou comerciantes, procuraram ajuda de cavaleiros para se defenderem, então Jan Zizka, um general cego de um olho, vira o líder dos Hussitas, e perante sua liderança ocorreram as primeiras grandes batalhas das Guerras Hussitas. Uma das principais estratégias de Jan Zizka era utilizar os carros dos comerciantes como proteções para seus soldados, sendo que estes usavam armas que funcionavam a base de pólvora,
 
{{esboço-história}}
599

edições