Saltar para o conteúdo

Diferenças entre edições de "Dinastia Wettin"

6 bytes removidos ,  14h53min de 29 de outubro de 2017
m
ajustes usando script
(ajustes)
m (ajustes usando script)
O mais antigo membro da Casa de Wettin, que se sabe ao certo é [[Teodorico I de Wettin]] também conhecido como ''Thiedericus'', ou como Thierry I de Liesgau (morto c. 982). Ele foi provavelmente baseado em [[Liesgau]] (localizado na borda ocidental do [[Harz]]). Em torno de 1000, a família adquiriu [[Castelo de Wettin]], após o qual deram o nome à si mesmos. O castelo de Wettin está localizado na [[Saxônia-Anhalt | Wettin]] na Hosgau no [[rio Saale]]. Em torno de 1030, a família Wettin recebeu o Saxônia Oriental como [[feudo]].
 
A família Wettin começa a aparecer ao serem elevados a marqueses de [[Meissen]] ou Mísnia em [[1089]].<ref> Lexikon des Mittelalters, vol. IX, col. 50, Munich 1969–1999</ref>. A família progrediu e se tornou cada vez mais importante na [[Idade Média]], feitos condes da [[Turíngia]] em [[1263]], e duques da [[História da Saxônia|Saxônia]] em [[1423]] com dignidade de [[Príncipe-eleitor|eleitores]] do [[Sacro Império Romano-Germânico]].
 
A família se dividiu em dois ramos governantes em [[1485]] quando os filhos de [[Frederico II, Eleitor da Saxônia]] concluiram que os 20 anos de reinado conjunto não tinham dado certo. O filho mais velho [[Ernesto, Eleitor da Saxônia]] recebeu o título e os poderes de [[Príncipe-eleitor]] e estabeleceu sua sede de governo em [[Wittenberg]], e seu irmão caçula [[Alberto III|Alberto de Saxe]], Duque de Saxe governou suas terras tendo como sede [[Dresden]]. A Saxônia se dividiu assim em Saxe Eleitoral (sobretudo coextensiva com a Turíngia, governada pelos Wettin "ernestinos", e Saxe Ducal, principalmente no território da moderna Saxônia, governada pelos Wettins "albertinos".
 
{{familytree/start}}
{{familytree||||||||F1 || |F1=[[Frederico II, Eleitor da Saxônia|Federico II da Saxônia]] </br><small>([[1412]]-[[1464]])</small>}}
{{familytree|||||||,|-|^|-|.| | }}
{{familytree||||||E1 | | A1 |E1=''Ernesto da Saxônia'' </br><small>(fundador da [[linha Ernestina]])</small>|A1=''[[Alberto III|Alberto]]'' </br><small>(fundador da [[linha Albertina]])</small>}}
{{familytree/end}}
 
== Os Wettins Ernestinos e Albertinos ==
[[FileImagem:Coat of arms of Wettin House Albert Line.png|thumb|Escudo dos Wettin (Linha albertina)]]
 
As diferenças entre os dois ramos se marcaram logo.
 
Os albertinos mantiveram a maior parte da integridade territorial da Saxónia, preservando-a como poder importante na região, usando pequenos feudos de [[:wikt:apanágio|apanágio]] para seus ramos caçula, os quais, um pouco surpreendentemente, não sobreviviam muitas gerações.
 
Os ernestinos, por outro lado, subdividiram repetidamente suas terras, criando como que um grande tabuleiro de xadrez de pequenos condados e ducados na Turíngia. Adicionalmente, na década de 1540, quase metade das terras do ramo ernestino foram parar às mãos do ramo albertino pelas ações do [[imperador romano-germânico]] [[Carlos V do Sacro Império Romano-Germânico|Carlos V]], lutando contra súditos protestantes rebeldes. No final, o ramo albertino passou a deter como um só país 3/4 do patrimônio da Casa de Wettin original, e os ernestinos mantiveram aproximadamente 1/4 apenas, a Turíngia do sul e quantidade de pequenos principados.
O ramo primogênito ou ernestino perdeu o eleitorado para o ramo albertino em [[1547]], mas manteve suas terras na Turíngia, dividindo a área em numerosos pequenos estados. Uma das casas ernestinas que resultaram, a de [[Casa de Saxe-Coburgo-Gota|Saxe-Coburgo-Gota]], contribuiu para fornecer reis à Bélgica (a partir de 1831) e à [[Bulgária]] (de 1908 a 1946), assim como dar reis consortes às rainhas de [[Portugal]] e da [[Grã-Bretanha]] (Príncipe ([[Alberto de Saxe-Coburgo-Gota|Alberto]], marido da rainha [[Vitória do Reino Unido]]). Na verdade, a palavra Wettin, tida como palavra alemã medieval, nunca foi usada na Grã-Bretanha.
 
Embora o nome da família real britânica tenha sido Saxe-Coburgo e Gota, os descendentes masculinos da rainha Vitória e do príncipe Alberto criaram suas próprias casas assim sendo seu sobrenome pessoal mudou para [[Casa de Windsor|Windsor]] por decreto do rei [[Jorge V do Reino Unido|Jorge V]] em 1917.
 
Como resultado do casamento da rainha [[Elizabeth II]] com o príncipe [[Filipe, Duque de Edimburgo]], o trono passaria para sua casa, originalmente a [[Casa de Oldemburgo|Oldemburgo]], embora tenha continuado a usar o nome Windsor tanto como sobrenome da casa quanto como sobrenome pessoal, como [[Mountbatten-Windsor]] segundo ordenou a rainha Elizabeth no ano de 1960. ''Mountbatten'' é a anglicização de ''[[Casa de Battenberg|Battenberg]]'', título da mãe do príncipe Filipe, a princesa [[Alice de Battenberg]].
210 190

edições