Saltar para o conteúdo

Bernardo de Chartres: diferenças entre revisões

63 bytes removidos ,  06h32min de 28 de janeiro de 2018
sem resumo de edição
m
Humanista e filósofo, fez os seus estudos na Escola da Catedral de Chartres em cujo desenvolvimento teve um papel fundamental, dela tendo sido mestre (1114-1119) e depois chanceler (1119-1126). Foi principalmente influenciado por [[Boécio]] cujo platonismo aprende e adapta. Dedica-se depois a conciliar o pensamento de [[Platão]] e de [[Aristóteles]], o que fará dele o mais importante pensador aristotélico e platónico do século XII.
 
Os seus escritos não foram infelizmente conservados, subsistindo apenas curtas citações feitas por [[João de Salisbúria]], segundo o qual Bernardo de Chartres era "a fonte mais abundante das letras nos tempos modernos...o mais perfeito platónico do seu tempo".<ref name=Jeauneau>Édouard Jeauneau, História Breve da Filosofia Medieval, Editorial Verbo, 1968, Lisboa, pag. 62</ref>{{Rp|62}}
 
É conhecido por ter expressado a seguinte frase famosaː
 
{{Citação2|cinzabq=s|
1="Somos comparáveis a anões encavalitados sobre os ombros de gigantes (os Antigos)ː vemos portanto mais coisas do que eles viram e vemos mais longe do que eles. Qual a razão disto? Não é nem a acuidade do nosso olhar, nem a superioridade da nossa altura, mas porque somos transportados e elevados pela alta estatura dos gigantes."<ref>Édouard name=Jeauneau, História Breve da Filosofia Medieval, Editorial Verbo, 1968, Lisboa, pag. 63</ref>{{Rp|63}}}}
 
Esta frase chegou-nos através do Livro III do ''Metalogicon'' de [[João de Salisbúria]]. A ideia foi retomada em 1676 por [[Isaac Newton]] numa das suas cartas,<ref>«If I have seen further it is by standing on the shoulders of giants.»</ref> sendo utilizada por muitos mais desde então.<ref> Por exemplo na página de entrada do [[Google Scholar]].</ref>
50 786

edições