Saltar para o conteúdo

Diferenças entre edições de "Cultura da Polónia"

51 bytes removidos ,  00h07min de 28 de junho de 2018
sem resumo de edição
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 177.136.32.249, com Reversão e avisos)
A primeira concepção foi a típica desilusão modernista verso a burguesia, seu modo de viver e sua cultura. Os artistas que seguiram esta concepção acreditaram também na decadência, no fim de toda a cultura, no conflito entre os homens e sua civilização, e na concepção da arte como valor supremo (em latino: ars gratia artis). Entre outros autores destacam-se Kazimierz Przerwa Tetmajer, Stanisław Przybyszewski, Wacław Rolicz-Lieder e Jan Kasprowicz.
A segunda concepção foi a continuação do romantismo, e daí advém a designação neo-romantismo. O grupo de escritores que perseguiu esta ideia foi menos organizado; esses mesmos escritores cobriram uma vasta gama de temas nas suas escrituras: desde o sentido da missão do polonês na prosa de Stefan Żeromski até desigualdade social descrita por Władysław Reymont e Gabriela Zapolska, passando pela crítica da sociedade polonesa e também pela história da Polônia de Stanisław Wyspiański.
Outros importantes escritores do período foram:
 
naruto
Wacław Berent
 
Jan Kasprowicz
 
Jan Augustyn Kisielewski
Władysław Orkan
 
sasuke
Artur Oppman
 
Włodzimierz Perzyński
Kazimierz Przerwa-Tetmajer
 
klebinho
Maryla Wolska
 
daoku
Tadeusz Boy-Żeleński
 
Na música, o termo Polônia Jovem é aplicado a um grupo informal de compositores que inclui Karol Szymanowski, Grzegorz Fitelberg, Ludomir Różycki e provavelmente também Mieczysław Karłowicz. Este grupo actuou sob a forte influência do neo-romantismo da música, e particularmente de compositores estrangeiros como Richard Strauss e Richard Wagner. Os compositores teriam também fortes enlaces com o Grupo dos Cinco, um grupo de compositores russos que incluiu Modest Musorgski, Alexander Borodin e Nikolai Rimsky-Korsakov.