Saltar para o conteúdo

Identidade linguística: diferenças entre revisões

85 bytes adicionados ,  20h25min de 26 de novembro de 2018
sem resumo de edição
m (Página marcada que carece de mais fontes, usando FastButtons)
 
Conforme Purdie, os falantes modificam sua fala nas interações com os outros para reduzir ou acentuar as diferenças entre eles e seus interlocutores. Desta forma, os falantes podem promover relações harmoniosas adotando os modelos de fala de seus interlocutores; alternadamente, os falantes podem fomentar seu próprio modelo discursivo (Taylor 2005).
 
==Identidade linguística e cultura==
 
De acordo Gomes (2008), o [[idioma]] está umbilicalmente ligado ao conceito de [[cultura]], estando incorporado como um elemento que faz parte da essência do indivíduo. O idioma tem relação com a noção de pertencimento à comunidade pelo indivíduo; o direito de se expressar em sua própria língua está ligado à noção de identidade.
 
Segundo Rajacopalan (1998), “a identidade de um indivíduo se constrói na língua e através dela”, ou seja, identidade é mutável e recíproca com a língua. Ambas, língua e identidade são inter-relacionadas.
 
==Identidade linguística e globalização==
 
O mesmo autor defende, que a [[globalização]] tem implicações significativas sobre como esses aspectos se desdobram. Identidade linguística torna-se central na globalização devido ao fato de que o movimento de pessoas, ideias, produtos e formas culturais através das fronteiras nacionais intensifica o contato entre as línguas e as culturas.
 
==Ver também==
-* [[Identidade]]
 
-* [[Identidade cultural]]
 
{{referências}}
18

edições