Alterações

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
m
→‎Carreira: Concordância verbal
 
===Carreira===
Iniciou sua carreira na [[década de 1970]] como [[repórter]] do extinto jornal ''[[Diário de Notícias (Rio de Janeiro)|Diário de Notícias]]''. Também nessa época, iniciou sua carreira como colunista, colaborando com a equipe de [[Ibrahim Sued]]. Em 1983, foi para o jornal ''[[O Globo]]''. Em [[1987]], ocupou por seis meses a secretaria de Comunicação Social no governo [[Moreira Franco]] (1987-1991). Após o período voltou para ''O Globo'', até ser demitido em 2001. Em 2004, estreiaestreou no [[Grupo Bandeirantes de Comunicação]] como comentarista do ''[[Jornal da Noite (Brasil)|Jornal da Noite]]''. Ganhou reconhecimento nacional através da [[BandNews FM]], quando passou a ancorar o jornalístico matinal da filial do [[BandNews FM Rio de Janeiro|Rio de Janeiro]] em 2005.<ref>{{citar web|url=http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq1409200510.htm|titulo=Globo e Band trocam música por notícia|autor=Laura Mattos|publicado=Folha de S.Paulo|data=14 de setembro de 2005|acessodata=18 de fevereiro de 2017}}</ref> No ano seguinte, Boechat passou a ser âncora do principal jornalístico das manhãs da rede após a saída de [[Carlos Nascimento]] — consequentemente, foi alçado como âncora do ''[[Jornal da Band]]'', na Rede Bandeirantes. Boechat logo se tornou uma das principais figuras da rádio e da TV. Mesmo com a mudança para São Paulo, o jornalista continuou apresentando o jornalístico local do Rio de Janeiro diretamente dos estúdios na capital paulista.<ref>{{citar web|url=http://observatoriodaimprensa.com.br/interesse-publico/_ed749_pelas_novas_ondas_do_radio/|titulo=Pelas novas ondas do rádio|autor=Vanessa Jurgenfeld|publicado=Observatório da Imprensa|data=4 de junho de 2013|acessodata=11 de fevereiro de 2019}}</ref>
 
=== Controvérsias ===

Menu de navegação