Saltar para o conteúdo

Convênio de Taubaté: diferenças entre revisões

m
Foram revertidas as edições de 2804:14D:1283:98C3:C488:A7DB:F394:3996 para a última revisão de 186.224.94.122, de 14h33min de 2 de março de 2020 (UTC)
m (Foram revertidas as edições de 2804:14D:1283:98C3:C488:A7DB:F394:3996 para a última revisão de 186.224.94.122, de 14h33min de 2 de março de 2020 (UTC))
Etiqueta: Reversão
Essa política adotada a partir do ''Convênio de Taubaté'' só ajudou a adiar o iminente fim do ciclo cafeeiro no Brasil, que aconteceu com a quebra da [[Crise de 1929|bolsa de valores]] de [[Nova York]], em 1929.
 
O Convênio de Taubaté foi uma forma usada para enriquecer os proprietários de café, que investiram na industrialização de [[São Paulo (estado)|São Paulo]], já que a produção tinha venda garantida. Vendo a impossibilidade de pagar as dívidas que o governo paulista contraiu no exterior após a crise de 1929, em 1930, o governo nacional de [[Getúlio Vargas|Vargas]] assumiu todas as dívidas as nacionalizando, deixou o brasil com muitas dividas externas fazendo com que o brasil se quebrasse .
 
==Bibliografia==