Saltar para o conteúdo

Sabellida: diferenças entre revisões

539 bytes adicionados ,  19 de junho de 2020
sem resumo de edição
Etiquetas: Editor Visual Possível conteúdo ofensivo
 
=== Morfologia Externa. ===
Em geral, são animais de pequeno porte, com número de segmentos corporais variáveis, e caracterizados por redução do prostômio (região posterior do corpo na qual localiza-se o primeiro segmento verdadeiro do corpo do animal), o qual é fundido com o peristômio, geralmente formando uma coroa tentacular, resultante da modificação dos palpos<ref name=":3">{{citar livro|título=Polychaetes & Allies|ultimo=Beesley|primeiro=P.L; Ross, G.J.B; Glasby, C.J.|editora=Australian Biological Resources Study/CSIRO Publishing|ano=2000|local=|página=|páginas=}}</ref> - radíolos <ref>{{citar livro|título=The Polychaete Worms: Definitions and Keys to the Orders, Families and Genera|ultimo=Fauchald|primeiro=Kristian|editora=atural History Museum of Los Angeles County|ano=1977|local=|página=|páginas=}}</ref>, além de abrigar os principais orgãos cerebrais e do sentido (processo de cefalização).  Além disso, os parapódios apresentam-se comumente reduzidos ou substituídos por pregas simples com “uncini” - ramo dotado de pequenas placas dentadas quitinosas, de pequeno tamanho<ref name=":2" /> , com a função de ancorar o animal em tubos ou galerias. Essas, em relação aos outros poliquetas, seriam as neurocerdas.<ref name=":3" />
 
A posição do torus, em sabelídeos, é comumente invertida, posicionando-se de forma notopodial; a posição das cerdas são alteradas de modo que o notopodios da região posterior possuiriam o "uncini" e o neuropodio posterior possuiria cerdas - fenômeno chamado de inversão "''chaetal''".<ref name=":3" />
 
==== Coroa Radiolar. ====
Do ponto de vista anatômico, o seguimento da coroa radiolar é caracterizado por tentáculos ciliados - os radíolos -, os quais são cerdas notopodiais que não apresentam "uncini" - acredita-se que os "uncini" sejam perdidos secundariamente na região do colarinho.<ref name=":1" /> Além disso, os radíolos apresentam ramificações, nomeadas de pínulas, e canais ciliados. Por fim, o número de radíolos pode variar de dois pares a centenas deles e são ligados as partes basais por uma membrana interradiolar<ref name=":1" />.
 
Já do ponto de vista fisiológico, a coroa radiolar é a primeira forma de respiração nas famílias [[Sabellidae]] e [[Serpulidae]], além ser importante do ponto de vista da alimentação por suspensão - seus<ref cíliosname=":3" capturam/> as partículas suspensas na água são retidas nas pínulas. No caso da família Sabellidae, as quaispartículas retidas são encaminhadas para o tratocanal digestivo.ciliado, <refo name=":3"qual />possui Tambémum éformato ade principalfunil regiãoque deseleciona contatopartículas comde otamanho meio,suficiente vistopara quenão agrupaserem arejeitadas. maiorAs partede dosmenor fotorreceptorestamanho dosão animal<refencaminhadas name=":3"para />a boca, sendoenquanto estesas olhosmedianas compostos,são osarmazenadas quaisno sãosaco essenciais,ventral mesmo- que nãotambém formemabriga imagem,o paramuco; acom o proteçãomovimento do animal -, o qualmuco enconde-see dentroas partículas são liberadas em forma de cordões, possibilitando o crescimento do tubo mucoso.
 
Também é a principal região de contato com o meio, visto que agrupa a maior parte dos fotorreceptores do animal<ref name=":3" />, sendo estes olhos compostos, os quais são essenciais, mesmo que não formem imagem, para a proteção do animal - o qual enconde-se dentro do tubo.
 
=== Morfologia interna ===
Em primeiro lugar, os sabelídeos podem apresentarem-se de duas formas: serem dióicos, possuindo sexos separados, ou hermafroditas - característica que refere-se a indivíduos que podem gerar esperma e ovos de forma viável e simultaneamente -, tendo como exemplo desta última as famílias [[Sabellidae]] e [[Serpulidae]]. Além disso, a reprodução pode ser sexuada ou assexuada.<ref name=":3" />
 
No caso de reprodução sexuada, esta é depende da água, visto que o esperma é liberado e nada até a fêmea - a qual o detecta e o armazena nas espermatecas. Já no caso de ser assexuada, como em [[Serpulidae]] e [[Sabellidae]], ocorre o fênomeno da paratomia, a qual é caracterizada pela subdivisão do corpo, formando um indivíduo completo e reconhecivelreconhecível, e regeneração das partes perdidas.<ref name=":3" />
 
Por fim, seu desenvolvimento é larval e é resultante de uma l[[Trocófora|arva trocófora]].
72

edições