Saltar para o conteúdo

Rio Jelum: diferenças entre revisões

45 bytes removidos ,  14 de janeiro de 2021
m
wiki parcial + cat
m (wiki parcial + cat)
'''Rio jhelum,''' mais conhecido como Hydaspes desde povos antigos, esta localizado na região de [[Punjab (Índia)|Punjab]], que fica a nordeste da [[India]] passando pelo paquistão[[Paquistão]]. Nascendo em Vernaz possui 725 km de extensão, sendo um afluente do [[rio Chenab]] e se unindo ao [[rio Indo]]. O rio jhelum também passa por [[Caxemira]] até o [[lago Wular]] desaguando no [[golfo de Omã]].
 
== ÍndiceDesenvolvimento ==
 
O aA situação apresentada pelo Paquistão se tornou uma crise politicapolítica muito complicada. O Paquistão, pais que faz fronteira com a Índia, depende do sistema hídrico do rio Jhelum. Todos os cinco rios afluentes do Indo desaguam no Paquistão. A Índia tem uma posição estrategicamente vantajosa com relação ao controle do fluxo de água. O Paquistão apresenta um dilema para o mundo, pois depende consideravelmente do rio Jhelum, ao contrario da Índia, todo o Paquistão depende totalmente do sistema do rio indo; é uma realidade geográfica. Ao longo dos anos, o rio foi uma questão diretamente ligada a Caxemira, lideres políticos, e a elite militar do Paquistão, enfatizaram que se forem forçados a abrir mão de sua reivindicação em caxemira significara abrir mão da fontes de Jhelum e Chenab ficarão a mercê da Índia para obter água, resultando na queda do PIB em 2%.
* 1 Rio Jhelum
* 2 Desenvolvimento
*3 História
* 4 Mitologia
* 5 Paquistão
* 6 Referências
 
O governo paquistanês desenvolveu uma agenda de reforma para o setor de energia, que inclui o aproveitamento de seus ricos recursos hídricos para geração de energia renovável. E uma parte significativa desses recursos está localizada na bacia de Jhelum-pooch. A IFC (International Finance Corporation) e os acionistas trabalharam para manter o equilíbrio entre a necessidade de fornecer eletricidade a milhões de pessoas e proteger os ecossistemas locais, incluindo estruturas sociais.
 
*3== História ==
 
'''Desenvolvimento'''
 
O a situação apresentada pelo Paquistão se tornou uma crise politica muito complicada. O Paquistão, pais que faz fronteira com a Índia, depende do sistema hídrico do rio Jhelum. Todos os cinco rios afluentes do Indo desaguam no Paquistão. A Índia tem uma posição estrategicamente vantajosa com relação ao controle do fluxo de água. O Paquistão apresenta um dilema para o mundo, pois depende consideravelmente do rio Jhelum, ao contrario da Índia, todo o Paquistão depende totalmente do sistema do rio indo; é uma realidade geográfica. Ao longo dos anos, o rio foi uma questão diretamente ligada a Caxemira, lideres políticos, e a elite militar do Paquistão, enfatizaram que se forem forçados a abrir mão de sua reivindicação em caxemira significara abrir mão da fontes de Jhelum e Chenab ficarão a mercê da Índia para obter água, resultando na queda do PIB em 2%.
 
O governo paquistanês desenvolveu uma agenda de reforma para o setor de energia, que inclui o aproveitamento de seus ricos recursos hídricos para geração de energia renovável. E uma parte significativa desses recursos está localizada na bacia de Jhelum-pooch. A IFC (International Finance Corporation) e os acionistas trabalharam para manter o equilíbrio entre a necessidade de fornecer eletricidade a milhões de pessoas e proteger os ecossistemas locais, incluindo estruturas sociais.
 
 
'''História'''
 
Em 326 A.C o rio Jhelum (antigamente conhecido como Hydaspes) foi palco de uma das batalhas mais importantes da vida do grande conquistador Alexandre, o grande. Na batalha do rio Hydaspes Alexandre enfrentou o exercito do rei Porus, rei do reino de Paurava. Alexandre liderava uma força de 47 mil homens contra 54.200 de Porus. Alexandre, após dias e dias de incursões, havia subjugado diversas tribos em combates ferozes, recebendo a rendição de alguns reis, como o rei de Taxila e outros. O cavalo de Alexandre, Bucéfalo, que acompanhara Alexandre durante todas as conquistas do rei, morreu de exaustão e pelos ferimentos após a batalha do rio Hydaspes. Bucéfalo foi homenageado por Alexandre fundando a cidade de Bucéfala próxima a Taxila, no Paquistão.
 
'''== Mítologia''' ==
 
'''Mítologia'''
 
O rio Hydaspes (Jhelum) é mencionado em diversos textos literários devido a sua beleza e importancia. Poetas como Nunnes, e outros não muito conhecidos, mencionaram o rio Hydaspes em suas obras literárias como a Dyonisica. Muitos poemas épicos também enaltecem a existência deste rio
 
  A mitologia que envolve o rio Jhelum apresenta uma importância cultural para os povos que habitavam a região de Punjab, sendo considerado um rio divino. Na obra de Nunnus, Dyonisica,o rio Hydaspes é mencionado como um Titã filho do deus thaumas ( um deus marítimo) e de Elektra (deusa que habitava as nuvens), sendo também irmão de íris (deusa do arco-iris) e harpias  (ventos fortes).
 
* 6 {{Referências}}
 
'''Referências'''
 
* Plutarco. Vidas paralelas: Alexandre e César. Porto Alegre: LP&M, 2005.
 
* SILVA, Júlio César Lázaro da. "Conflito na Caxemira"; ''Brasil Escola''. Acesso em 14 de janeiro de 2021.
 
[[Categoria:Rios da Índia]]
9 616

edições