Saltar para o conteúdo

Diferenças entre edições de "Companhia de Eletricidade do Estado do Rio de Janeiro"

sem resumo de edição
Após da fusão do estado do Rio de Janeiro com o estado da [[Guanabara]], em [[1975]], parte da CELF é vendida para a Companhia Brasileira de Energia Elétrica (CBEE), no ano de [[1977]], cujo controle era privado e passa, naquele ano, a ser de controle do estado do Rio. Em abril de [[1980]], a CBEE assume todas as operações da CELF e tem sua denominação alterada para Companhia de Eletricidade do Estado do Rio de Janeiro (CERJ).
 
Privatizada em leilão em [[20 de novembro]] de [[1996]], durante o governo de [[Marcello Alencar]] continuou se chamando CERJ, uma vez que o governo do estado ainda detinha uma porcentagem na empresa. A CERJ só mudou sua denominação no início dos anos 2000, quando passou a se chamar Ampla, após ser adquirida pela [[Endesa|Endesa SA]], companhia espanhola e atualmente chamada de [[Enel Distribuição Rio]], apóspertencente ser adquirida pelaà [[Enel|Enel Spa]], companhia italiana.
 
Ainda é a empresa responsável pelo abastecimento energético em grande parte do estado do Rio de Janeiro (57 cidades), excetuando-se parte da [[Região Metropolitana do Rio de Janeiro]], do [[Microrregião do Vale do Paraíba Fluminense|Vale do Paraíba Fluminense]] e o município de [[Nova Friburgo]], possuindo cerca de 4,3 milhões de clientes.