Saltar para o conteúdo

Diferenças entre edições de "Abadia de Einsiedeln"

sem resumo de edição
}}
 
O '''Mosteiro de Einsiedeln''' (latim Abbatia territorialis Sanctissimae Virginis Mariae Einsiedlensis ) com seus departamentos e a igreja catedral da Assunção e São Maurício é uma abadia beneditina independente na cidade de Einsiedeln, no cantão de Schwyz . A abadia é o maior local de peregrinação da Suíça e uma importante parada no Caminho de Santiago . A Madona Negra de Einsiedeln na Capela da Graça é um ímã para cerca de 800.000 peregrinos e turistas por ano. A comunidade de monges beneditinos conta com cerca de 60 membros. O mosteiro não faz parte de uma diocese , mas tem o estatuto de abadia territorial . Atual Abade é [[Urban Federer]]
 
O convento beneditino de Fahr, perto de Zurique, faz parte da Abadia de Einsiedeln desde a sua fundação em 1130 . Isso significa que o abade de Einsiedeln também é o do Mosteiro de Fahr. Juntos, eles formam o único mosteiro duplo remanescente do mundo na ordem beneditina .
 
[[File:Kloster Einsiedeln 1735.jpg|mini|"O Monastério Principado de Einsidlen". Vista do antigo edifício do mosteiro (1630)|200px|thumb]]
==História ==
===Da cela de Meinrad à abadia imperial ===
Em 828, o beneditino Meinrad retirou - se do mosteiro de Reichenau como um eremita no Passo Etzel . Em 835, ele construiu uma nova ermida com uma pequena capela em um lugar remoto . Este lugar ficava um pouco mais ao sul, no meio da floresta escura. Segundo a lenda, Meinrad foi visitado por pessoas que pediram seu conselho e consolo e lhe deram presentes em troca. Em 21 de janeiro de 861, ele teria sido emboscado e assassinado por vagabundos. Seu corpo foi enterrado no Reichenau, o coração enterrado no Etzel. <ref>Hanna Böck: ''Einsiedeln. Das Kloster und seine Geschichte.'' S. 13–14.</ref>
 
Mais de 40 anos depois, o Meinradszelle tornou-se novamente um ímã para os eremitas. Entre eles estava Benno , que foi bispo de Metz por um curto período . Eles se estabeleceram perto da cela em 906 e limparam a área. Em 934, os eremitas foram combinados em um mosteiro beneditino por Eberhard , um reitor de Estrasburgo . Eberhard, o primeiro abade, tinha seu próprio povo que constituiu a primeira população do vale alto. <ref>Hanna Böck: ''Einsiedeln. Das Kloster und seine Geschichte.'' S. 23.</ref>
 
A fundação do mosteiro foi confirmada em 27 de outubro de 947 pelo Rei Otto I e foi acompanhada pela habitual doação de terras. A doação de Otto I também incluiu a ilha de Ufenau , que na época pertencia ao mosteiro feminino de Säckingen . O mosteiro das mulheres foi compensado por isso com outros bens. A Abadia de Einsiedeln também recebeu eleição livre e imunidade. Em 948, a primeira igreja da abadia foi consagrada em homenagem a Maria e Santa Maurício.
 
===Alta e Alta Idade Média ===
Durante sua estada de cinco semanas em Zurique em 2 de setembro de 1018, a pedido do Abade Wirund, o Imperador Heinrich II deu ao mosteiro o uso da Floresta Negra ao redor da abadia. <ref>Joachim Salzgeber: ''Am 2. September 1018 schenkte Heinrich II. dem Kloster Einsiedeln den Finstern Wald.'' In: ''Maria Einsiedeln.'' Band 99, 1994, S. 149–151.</ref> Como patrono da igreja e dos mosteiros, ele já havia confirmado as posses tradicionais e a imunidade do mosteiro em 5 de janeiro do mesmo ano em seu palácio em Frankfurt . <ref>MG. DD. 3, 482 wo. 378.</ref> A fiscalização, incluindo a representação do mosteiro em questões jurídicas, assumia um patrono. Entre eles estavam os Nellenburgers , os senhores de Uster e von Rapperswil. Por fim, esses direitos lucrativos passaram para os Habsburgos .
 
Após o primeiro incêndio do mosteiro em 1029, uma basílica de três corredores com uma cripta foi construída de 1031 a 1039 , que forneceu a forma básica para o edifício barroco posterior. A pedra fundamental do novo edifício ocorreu em 10 de maio de 1031. <ref>Aegidius Tschudi: ''Chronicon Helveticum.''</ref> Uma segunda basílica ( Lower Minster ) foi construída sobre o pátio murado em 1230.
 
As disputas de fronteira com os Schwyzers são conhecidas desde 1114, e geralmente são decididas em favor do mosteiro nos tribunais. Em 1308, após a morte do rei dos Habsburgos Albrecht I , as disputas aumentaram significativamente. Em 1314, o mosteiro foi conquistado e saqueado por fazendeiros de Schwyz no chamado Marchenstreit O duque da Áustria, Leopold I , que era o guardião da Abadia de Einsiedeln, atacou a Suíça Central, mas foi derrotado por eles na Batalha de Morgarten em 1315 . O conflito não pôde ser resolvido até 1350. O mosteiro perdeu então uma parte considerável de suas terras.
 
Após um incêndio em 1465, a catedral inferior foi abobadada. Em 1509 e 1577 a igreja voltou a arder.
 
===Os primeiros tempos modernos ===
Huldrych Zwingli foi empregado como sacerdote popular no mosteiro de 1516 a 1518 . O último monge deixou o mosteiro em 1525, o abade do mosteiro teve que renunciar em 20 de julho de 1526 - o mosteiro Einsiedeln foi extinto. O Schwyz então nomeou um novo abade, Ludwig II Blarer von Wartensee, que não foi reconhecido como legítimo por Roma até 1533. Ele aceitou os primeiros plebeus no mosteiro e assim o reviveu.
 
O coro e a igreja confessional foram construídos entre 1674 e 1684 sob a direção do arquiteto Hans Jörg Kuen . O mosteiro barroco foi construído de 1674 a 1735 como um edifício completamente novo em três fases, de acordo com os planos de Caspar Moosbrugger . Em 31 de março de 1704, foi lançada a pedra fundamental do novo mosteiro. Seu irmão, o construtor Johann Moosbrugger , foi contratado para fazer o trabalho de construção. A igreja foi consagrada em 3 de maio de 1735 pelo abade Nikolaus Imfeld. Na década de 1770/1780, vários conventuais de Einsiedeln mostraram-se abertos a várias preocupações do Iluminismo católicoe fez campanha, por exemplo, para melhorias no sistema de ensino fundamental e para a melhoria do bem-estar geral. Cultivar relações ecumênicas também era importante para eles.<ref>Thomas Fässler: ''Aufbruch und Widerstand. Das Kloster Einsiedeln im Spannungsfeld von Barock, Aufklärung und Revolution.'' Egg 2019.</ref>
 
===Séculos 19XIX e 20XX ===
Quando os franceses chegaram a Einsiedeln em maio de 1798, todos os habitantes do mosteiro fugiram. A capela da graça foi destruída pelos ocupantes, mas a imagem milagrosa foi salva pelos monges, liderados pelo abade Konrad Tanner . Em 17 de setembro do mesmo ano, o curral vazio foi declarado propriedade do Estado. Por meio do chamado ato de mediação em 19 de fevereiro de 1803, o clero recebeu de volta o mosteiro. O Gnadenkapelle foi reconstruído no estilo clássico de 1815-1817 com partes preservadas da estrutura antiga.
 
Ao longo dos séculos, monges de Einsiedeln fundaram inúmeros mosteiros filhas, incluindo St. Meinrad (Indiana / EUA) em 1854 e Los Toldos (Argentina) em 1948 , que por sua vez fundaram outros. <ref>{{Literatur |Autor=Thomas Fässler |Titel=Of Mothers, Daughters, and Growing Up. The Changing Ties between the Monastery Einsiedeln and St. Meinrad Since 1850 |Sammelwerk=Swiss American Historical Society Review |Band=52 |Nummer=3 |Datum=2016 |Seiten=59-68}}</ref>
 
==Peregrinação ==
Há evidências de peregrinações marianas a Einsiedeln desde o século XIV . <ref>«1311 wird berichtet, ‹dass die Landleut von Schwyz kamen gen Einsiedeln mit dem Kreuze›.» In: ''Die Schwarze Muttergottes von Einsiedeln.'' 2005, S. 11.</ref> Durante o final da Idade Média , peregrinos vinham do norte da Alemanha e da Holanda. O mosteiro só experimentou um declínio no fluxo de peregrinos durante a Reforma: na segunda metade do século 16XVI, Einsiedeln mais uma vez se tornou o centro religioso dos católicos suíços.
 
A Igreja da Abadia de Einsiedeln não é apenas uma igreja de mosteiro, é também uma igreja paroquial e uma igreja de peregrinação.<ref>Bruno Greis, Werner Richner: op. cit. Beschriftung der Fotografie 26 über Wallfahrt und Seelsorge.</ref>
 
===Eremita Nossa Senhora ===
A Madona Negra de Einsiedeln é uma imagem milagrosa do gótico tardio de meados do século XV. Substituiu a imagem milagrosa românica original, que foi destruída no incêndio de 1465. A cor negra da pele vem da fuligem das velas e lâmpadas que queimavam na frente da figura. Quando a estátua foi restaurada na Áustria em 1803, o artista expôs a cor original e pintou a figura novamente com a cor da pele. Esta mudança foi desagradável à população e por isso a Madonna foi pintada de preto. No início do século XVII, a estátua recebeu um manto espanhol em forma de sino. Ainda é alterado hoje de acordo com o ano da igreja .
 
===Lenda da consagração do anjo ===
Em 14 de setembro de 948, Cristo teria consagrado a capela no local do Meinradszelle, acompanhado por santos e anjos. Essa lenda formou o núcleo da peregrinação que começou. A maioria dos peregrinos visitou Einsiedeln na festa da consagração dos anjos . Se 14 de setembro caísse em um domingo, uma grande consagração de anjos de 14 dias era celebrada. Cerca de 150.000 sinais de peregrino foram vendidos em 1466 .
 
===Complexo do mosteiro ===
O complexo do mosteiro barroco fechado , como ainda é apresentado hoje, foi construído em 1703 quando o abade Maurus von Roll lançou a pedra fundamental do novo complexo do mosteiro de acordo com os planos do irmão leigo eremita e arquiteto Caspar Moosbrugger da escola de construção de Vorarlberg .
 
Em 23 de setembro de 2012, o cantão de Schwyz aceitou um compromisso de crédito de 8 milhões de francos para obras de restauração entre 2013 e 2022 no referendo cantonal intitulado “Empréstimo para as obras de restauração na Abadia de Einsiedeln” .
 
==Complexo do mosteiro ==
O complexo do mosteiro barroco fechado , como ainda é apresentado hoje, foi construído em 1703 quando o abade Maurus von Roll lançou a pedra fundamental do novo complexo do mosteiro de acordo com os planos do irmão leigo eremita e arquiteto Caspar Moosbrugger da escola de construção de Vorarlberg .
 
Em 23 de setembro de 2012, o cantão de Schwyz aceitou um compromisso de crédito de 8 milhões de francos para obras de restauração entre 2013 e 2022 no referendo cantonal intitulado “Empréstimo para as obras de restauração na Abadia de Einsiedeln” .
 
==Biblioteca de canetas ==
 
===Klosterplatz ===
No século 14XIV, uma proibição de construção foi emitida para a área diretamente em frente ao mosteiro, com o objetivo de evitar que os incêndios nas aldeias se propagassem. De 1745 a 1747, a praça do mosteiro foi construída em sua forma atual de acordo com os planos do arquiteto milanês Paolo Federico Bianchi sob a supervisão do mestre construtor de Bregenz, Johannes Rueff . As estátuas de Otto, o Grande e Heinrich II alinham-se na escadaria. No centro da praça está a "Fonte da Senhora" é do ano de 1747 com uma estátua dourada de bronze de Maria do escultor milanês Domenico Pozzi semicircular de 1752. Em ambos os lados da praça perto de arcadas comLojas devocionais . Atrás dele, ergue-se a poderosa fachada do mosteiro barroco com duas torres de 60 m de altura no meio, emolduradas por alas de convento de três andares.
 
A praça é palco e palco da peça de mistério The Great World Theatre , de 1924 a 1992 na versão Eichendorf de Pedro Calderón de la Barca , depois numa versão de Thomas Hürlimann . Após a atuação em 2007, a obra foi realizada novamente em 2013. A peça de Tim Krohn foi encenada pelo diretor Beat Fäh .
 
<gallery perrow="5">
 
===Construção ===
Os edifícios predecessores da primeira igreja do ano 948 e os respectivos novos edifícios após vários incêndios até 1465 seguiram o novo edifício com o coro da igreja da catedral através de um contrato de construção de 1674 com o mestre de obras de Vorarlberg Johann Georg Kuen . O escultor de estuque Giacomo Neuroni, de Lugano, trabalhou com o irmão Pietro Neuroni no coro da colegiada. <ref>{{SIKART|11040233|Neuroni, Giacomo}}, abgerufen 18. Januar 2016.</ref> A igreja confessional foi construída em 1680 por Johann Georg Kuen e estucada por Pietro Neuroni, o coro foi adicionado por Caspar Moosbrugger.
 
O edifício geral voltado para o leste abriga a Gnadenkapelle com a Madona Negra na área de entrada oeste. Foi o primeiro edifício construído em 1682 por Caspar Moosbrugger . Após a sua destruição em 1789, a Capela da Misericórdia só foi reconstruída em 1815 pelos frades Jakob Natter e Meinrad Birchler. Os relevos de pedra da antiga Gnadenkapelle feitos por Hans Konrad Asper são preservados no mosteiro.
 
===Novos edifícios de 1719 ===
Em 1719, primeiro a catedral superior e depois a inferior foram renovadas sob o monastério irmão Caspar Moosbrugger, que já estava ativo sob Johann Georg Kuen. As pinturas do teto e o estuque foram criados em 1724-1726 pelos irmãos Cosmas Damian Asam e Egid Quirin Asam . Outras figuras e o putti na frente do órgão (1749) na sala cúpula foram criados por Johann Baptist Babel . Entre 1749 e 1751, com base em um projeto de Giuseppe Torricelli e Gian Antonio Torricelli de Lugano <ref>{{SIKART|4029527|Torricelli, Giovanni Antonio}}</ref> , o escultor e arquiestre Domenico Pozzi <ref>http://www.bildindex.de/document/obj20837503?part=0&medium=fm1568514 Domenico Pozzi Werke</ref> de Milão construiu o altar-mor <ref>{{SIKART|4030247|Pozzi, Domenico}}, abgerufen 17. Januar 2016.</ref>. As figuras em tamanho natural feitas de estuque nos altares laterais são de Diego Carlone, de Scaria, hoje parte de Lanzo d'Intelvi (I), perto da fronteira com a Suíça. As pinturas a óleo Morte de São Benedito e A Virgem Aparece a São Meinrado foram criadas por seu irmão Carlo Carlone . O mármore de estuque dos altares (1730) vem de Josef Anton Feuchtmayer . De 1730 a 1743, Diego Francesco Carlone criou 16 estátuas, as decorações alegóricas dos oito antigos altares da nave e os dois monumentos túmulos acima da cripta dos príncipes abades. O estuque e as figuras do coro inferior foram renovados de 1746 a 1750 pelo mestre pintor e gesso Franz Anton Krausde Augsburg. A extensa restauração da igreja entre 1975 e 2001 tentou restaurar a impressão do estado barroco original, que havia sido parcialmente falsificado por reformas anteriores.
 
===Órgãos ===
Como uma escola primária no cantão de Schwyz (externa) e uma escola primária humanística geral (interna), a Escola da Abadia de Einsiedeln assumiu um importante mandato educacional até hoje e treina a próxima geração em sua própria escola teológica. A Alumni Scholae Einsidlensis é a organização de ex-alunos da Einsiedeln Abbey School , fundada em 2005, que, seguindo o exemplo de universidades importantes, organiza uma rede de ex - alunos para graduados e professores da Einsiedeln Abbey School. A associação tinha cerca de 700 membros na primavera de 2010.
 
Para além da criação de cavalos, da viticultura, do processamento da madeira e da preservação de inúmeros bens culturais (códices, edifícios), é conhecida a escola do mosteiro , que durante muito tempo esteve sob a direção do Padre Roman Bannwart . O "Einsiedler Salve Regina " é a única versão em cinco partes deste canto litúrgico.
 
Nos últimos anos, o mosteiro chamou repetidamente a atenção para si mesmo por meio de várias ofertas inovadoras, por exemplo, por meio de um serviço voluntário durante o verão para homens de 18 a 25 anos de idade <ref>[http://www.kloster-einsiedeln.ch/volontaire Volontariat Kloster Einsiedeln]</ref> ou por meio de uma caça ao tesouro moderna no terreno do mosteiro chamado " Monkstrail ", onde os participantes podem descobrir de forma independente o mundo dos monges eremitas. <ref>[http://www.monkstrail.ch/ ''Monkstrail''] In: ''monkstrail.ch'', abgerufen am 25. September 2017.</ref> Mais recentemente, no final de março de 2018, lançou o projeto “Klosterzeit”, que oferece a homens entre 18 e 30 anos a oportunidade de fazer 6 a 12 meses de voluntariado em vários mosteiros beneditinos em todo o mundo.<ref>[http://www.klosterzeit.org/einsiedeln.asp Einsiedeln] auf der Projektwebseite, abgerufen am 16. September 2018.</ref>
==Propriedades do mosteiro ==
[[File:CoA Einsiedeln Abbey, Switzerland.svg|mini|hochkant|Brasão do mosteiro de Einsiedeln|200px|thumb]]
Desde 1130, o mosteiro de Einsiedeln pertenceu ao mosteiro de Fahr (com o qual forma um mosteiro duplo ), juntamente com outras terras . A ilha de Ufenau, no lago de Zurique, e o promontório de Endingen em Rapperswil , onde fica a casa do eremita (construída por volta de 981 e de propriedade de eremitas), o mosteiro dos capuchinhos e o jardim do claustro , estão entre as outras possessões desde 965 . O mosteiro também possui o mosteiro Werd , que é vendido aos franciscanos (OFM)é alugado. A Abadia de Einsiedeln é o maior proprietário de terras privado da Suíça. Possui cerca de 2.140 hectares de terras em cinco cantões (Schwyz, Aargau, Zurique, Thurgau e St. Gallen). Na Áustria existe o Propstei Sankt Gerold e a igreja paroquial de St. Antonius Abbot em Düns , ambos na área das comunidades Walser em Vorarlberg . O Castelo Gottschalkenberg e Sonnenberg costumava ser propriedade do mosteiro.
<!--
 
==Pessoas conhecidas==
* [[Wolfgang de Ratisbona]] (* umc. 924; † 994), Bischof von Regensburg
* [[Albrecht von Bonstetten]] (* umc. 1442/1443; † etwa 1504), Dekan des Klosters Einsiedeln und Frühhumanist
* [[Huldrych Zwingli]] (1484–1531), Leutpriester am Kloster, später Reformator
* [[Augustin Hofmann]] (1556–1629), Pater, Fürstabt und Stiftsorganist
* [[Kassian Etter]] (1929–2009), Präfekt des Internates
* [[Martin Werlen]] (* 1962), 2001–2013 Abt
-->
 
{{referências}}
 
141 586

edições