Saltar para o conteúdo

Genolino Amado: diferenças entre revisões

6 bytes removidos ,  23 de maio de 2007
Ajustes em links internos, Typos fixed: — → —, auto-biográfica → autobiográfica, utilizando AWB
m
(Ajustes em links internos, Typos fixed: — → —, auto-biográfica → autobiográfica, utilizando AWB)
'''Genolino Amado''' ([[Itaporanga]],[[3 de agosto]] de [[1902]] — [[Rio de Janeiro (Rio de Janeiro)|Rio de Janeiro]],[[4 de março]] de[[1989]]), foi um [[escritor]], [[teatrólogo]], [[professor]] e [[jornalista]] [[brasil]]eiro, Imortal da [[Academia Brasileira de Letras]].
 
==Biografia==
As funções públicas, bem como o trabalho de radialista, fizeram com que sua produção literária fosse esparsa, tendo começado apenas em [[1937]]. Apesar disto, seus poucos livros alcançaram relativo sucesso, como a [[comédia]] "''Avatar''" que, traduzida, chegou a ser adotada na [[Academia Militar de West Point]], nos [[Estados Unidos]]. Sua peça "''Dona do Mundo''" foi premiada com Medalha de Ouro pela [[Associação Brasileira de Críticos Teatrais]].
 
Além das obras de cunho próprio, realizou algumas traduções, como a obra auto-biográficaautobiográfica "''Minha Vida''", de [[Charles Chaplin]]. Seu livro "''O Reino Perdido''", de [[1971]], onde narra sua experiência no magistério, fê-lo receber o convite para concorrer a uma vaga na Academia Brasileira.
 
===Bibliografia===
 
==[[ImageImagem:Lorbeerkranz.png|30px]] Academia Brasileira de Letras==
{{portal-academia}}
 
Foi eleito a [[9 de agosto]] de [[1973]] para ocupar a Cadeira 32 da [[Academia Brasileira de Letras|Academia]], cujo membro-fundador foi [[Carlos de Laet]] e que tem por Patrono [[Manuel de Araújo Porto-alegre]], como seu quinto ocupante, sendo recebido em [[14 de novembro]] deste mesmo ano por [[Hermes Lima]], seu ex-colega de Faculdade.
 
 
{{começa caixa}}
 
{{biografias}}
 
[[Categoria:Academia Brasileira de Letras]]
[[Categoria:escritores do Brasil]]
85 272

edições