Esporte Clube Cruzeiro (Porto Alegre)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cruzeiro
CruzeiroPortoAlegre.png
Nome Esporte Clube Cruzeiro
Alcunhas Leão da Montanha
Estrelado
Torcedor/Adepto Cruzeirista
Mascote Leão
Fundação 14 de julho de 1913 (103 anos)
Estádio Arena Cruzeiro (em construção)
Capacidade 16.000 pessoas
Mando de jogo em Vieirão
Capacidade (mando) 8 000
Presidente Brasil Antonio Rahde
Treinador Brasil Ben Hur Pereira
Patrocinador Brasil Claro, Transcal
Material (d)esportivo Brasil Weefe
Competição Rio Grande do Sul Campeonato Gaúcho
Rio Grande do Sul Copa FGF
Ranking nacional Straight Line Steady.svg 198º lugar, 102 pontos
Website Esporte Clube Cruzeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

O Esporte Clube Cruzeiro é um clube brasileiro de futebol, sediado na cidade de Cachoeirinha, no Rio Grande do Sul. Sua nova Arena para 16 mil pessoas (que poderá se chamar Arena Moacyr Scliar, como nome oficial, em homenagem ao seu torcedor mais famoso) já está erguida em Cachoeirinha, cidade vizinha a Porto Alegre, e está em fase final de construção. Foi o primeiro clube gaúcho a viajar pela Europa, no ano de 1953. Foi Campeão Gaúcho em 1929 e Campeão da Segunda Divisão do Campeonato Gaúcho (atual Divisão de Acesso) em 2010. Em 1960, conquistou o título do Torneio da Páscoa em Berlin, na Alemanha. O primeiro título intercontinental do futebol gaúcho, jogando contra o ZSK Vorwärts Berlin e Dynamo de Berlin.

História[editar | editar código-fonte]

Fundação[editar | editar código-fonte]

O Cruzeiro foi fundado no dia 14 de julho de 1913, em Porto Alegre. Uma agremiação que desbravou o mundo e originou as categorias de base no Rio Grande do Sul. Inicialmente, fora sugerido o nome de 14 de Julho para o novo clube, devido ao dia de sua fundação. Porém, um dos fundadores sugeriu que se chamasse Cruzeiro.

O primeiro estádio do clube foi a Vila Cruzeiro, que estava localizada na Estrada do Mato Grosso (atual Avenida Bento Gonçalves, no Bairro Partenon). Em 1920 mudou-se para o Caminho do Meio, estádio onde ficou durante 18 anos. No ano de 1929, após ter vencido o Citadino por duas vezes (1918 e 1921), o Estrelado conquistou o Estado, na sua primeira participação na fase final do estadual. O Campeonato Gaúcho ainda não havia sido criado em 1918 e, em 1921, o representante da capital no torneio foi o Grêmio, campeão da Associação Porto-Alegrense de Futebol (APAF), liga dissidente existente nos anos 1920.

O Cruzeiro teve na sua história altos e baixos. Nos primeiros cinquenta anos de sua existência, foi um clube que incomodava os grandes times, chegando a ser reconhecido como a terceira força do Rio Grande do Sul, atrás apenas de Internacional e Grêmio, tradição pela qual chegou a ser convidado a participar do Campeonato Brasileiro na década de 70 juntamente com a dupla Gre-nal, convite que a CBD (nome da CBF na época) chegou a fazer, mas depois voltou atrás.

Estádio da Montanha e excursões à Europa[editar | editar código-fonte]

Na década de 1940, o clube faz seu grande esforço de crescimento. Em 7 de março de 1941, o Cruzeiro inaugurou o Estádio da Montanha, no bairro Medianeira. Na estreia, derrotou o São Paulo por 1 a 0, gol de Gervásio, diante de mais de 20.000 pessoas. Quando da sua inauguração, era o maior estádio da cidade[1]. Em 1944, contratou o técnico húngaro Emerich Hirschl, que trouxe consigo a famosa dupla de atacantes italianos Enrique Flamini e Alejandro José Lombardini, que já haviam atuado pela seleção nacional e haviam atuado na Argentina e na Lazio, da Itália.[1] Antigos dirigentes do clube costumavam dizer que, se o Internacional não estivesse em uma fase tão boa na primeira metade dos anos 1940, talvez hoje o Cruzeiro fosse um terceiro time grande na cidade.[1]

Leão mascote do Cruzeiro.

Outro período áureo foi o pioneirismo gaúcho em excursões para a Europa[1], Ásia e Oriente Médio, na virada do ano de 1953 para 1954. Depois de 11 dias viajando de navio, jogaram contra times considerados grandes, como Real Madrid (segurou o empate em 0 a 0)[1], Lazio, Fenerbahçe, Beşiktaş e Galatasaray, além da Seleção de Israel (foi o primeiro time brasileiro a jogar em Israel) e da Seleção da Turquia. O clube teve resultados positivos. Jogou 15 partidas, venceu sete, empatou quatro e perdeu outras quatro, marcando 28 e sofrendo 20 gols; o aproveitamento percentual foi de 55,55%. A excursão foi tão capacitada que o clube voltou no ano de 1960 à terra dos desbravadores. Nesta viagem, jogou contra times como Sevilla, SpVgg Bayern Hof (da 1ª divisão alemã, antes da criação da Bundesliga), Dínamo de Zagreb e outros, além de seleções como Tchecoslováquia, Seleção Olímpica da Dinamarca e Bulgária. E voltou com um aproveitamento parecido, de 54,16%, jogando 24 partidas, com 11 vitórias, seis empates e sete derrotas, marcando 39 gols e sofrendo 35. Nesta campanha, conseguiu um título, o Torneio de Páscoa de Berlim, um campeonato importante para a época[carece de fontes?], o primeiro título intercontinental de futebol de um clube gaúcho, derrotando o Bayern de Munique na final. Para exemplificar como a segunda excursão foi satisfatória, os dirigentes do dinamarquês Randers FC, um dos adversários na excursão, enviaram uma carta ao Cruzeiro onde eles afirmavam que nunca iam esquecer do time que os tinha derrotado.

Além desses títulos, o Cruzeiro conta na sua galeria com o primeiro Torneio Internacional de Páscoa de Mar del Plata, na Argentina, em 1961, e sagrou-se o primeiro Campeão da Copa Governador do Estado do Rio Grande do Sul, em 1970.

Venda do Estádio da Montanha, decadência e recesso[editar | editar código-fonte]

A decadência do clube começou no final da década de 1960, quando o presidente Rafael Peres Borges vendeu o Estádio da Montanha para a construção do Cemitério Ecumênico João XXIII. O último jogo do Cruzeiro na Montanha ocorreu no dia 8 de novembro de 1970, com vitória por 3 a 2 sobre o Liverpool do Uruguai. Muitos torcedores deixaram o local chorando.[1] Na década de 1970, o clube construiu o Estádio Estrelão, no final da Avenida Protásio Alves, atualmente Jardim Carvalho. Inaugurado em abril de 1977, o Estrelão foi a casa do Cruzeiro até 2012. Em 1979, o futebol profissional do clube entrou em recesso, só voltando em 1991.

Ressurgimento e estádio em Cachoeirinha[editar | editar código-fonte]

Em 2008, o Cruzeiro disputou duas competições: a Segunda Divisão Gaúcha e a Copa FGF. Na primeira, o Cruzeiro fez uma boa campanha na primeira fase, com 15 pontos em 10 jogos. Entretanto, na segunda fase, o time da capital decepcionou e não ganhou nenhum jogo dos quatorze disputados, ficando na lanterna da chave. Neste mesmo ano, nas categorias de base, o clube chegou à final do Campeonato Gaúcho de Juniores, sendo derrotado pelo Internacional por 3 a 2 no placar agregado (2-0 e 0-3). Na Copa Lupi Martins, o Cruzeiro conseguiu se classificar à segunda fase, fazendo 20 pontos em 16 jogos e ficando em quinto do grupo; nas oitavas-de-final, entretanto, foi eliminado pelo Novo Hamburgo, com o placar agregado de 4 a 1 (1-1 e 3-1). Neste mesmo ano, o Cruzeiro foi vice-campeão Estadual Sub-20, após eliminar Grêmio e Caxias nas fases de mata-mata. Na decisão, contra o Internacional, ganhou a primeira partida por 2 a 0, mas perdeu a segunda por 3 a 0 no Beira-Rio. Em 2009, o Cruzeiro foi eliminado na segunda fase do Estadual da Série B. Na Copa FGF foi eliminado pelo Rio Grande nas quartas-de-final, e no Estadual Sub-20 terminou na quinta colocação.

Em 16 de junho de 2010, após vencer o Brasil de Farroupilha por 3 a 2 no Estádio Estrelão, o Cruzeiro conseguiu o acesso para a Primeira Divisão Gaúcha depois de 32 anos. Em 27 de junho, o Cruzeiro venceu o Lajeadense por 3 a 0 e sagrou-se Campeão da Série B do Campeonato Gaúcho.[2]

Em 30 de julho de 2010, o Cruzeiro negociou a área de seu estádio. Em permuta, o clube comprou uma área de sete hectares no Pólo Industrial de Cachoeirinha, na região metropolitana de Porto Alegre, onde está sendo construído o novo estádio. Ele terá o formato de arena, com 16 mil lugares, nos padrões exigidos pela FIFA, credenciando o município a ser a sede de treinamento para as seleções que vão disputar a Copa do Mundo FIFA de 2014 no Brasil. Além do estádio, o Cruzeiro está construindo um Centro de Treinamento em Cachoeirinha e a sede Administrativa continuará sendo em Porto Alegre. No Campeonato Gaúcho de Futebol de 2011, o clube ainda mandou os seus jogos no Estrelão. No Gauchão de 2012, o Cruzeiro ainda jogou no Estrelão. O novo estádio seria inaugurado em 2014, mas com a árdua luta para obter recursos e manter o projeto original as obras passaram a ser previstas para serem concluídas no início de 2015, a tempo de jogar o Gauchão no seu estádio a partir de fevereiro de 2015.[3][4]

No Gauchão de 2011, o Cruzeiro começou ganhando do Internacional por 1 a 0 no dia 16 de janeiro. O clube chegou às semifinais da Taça Piratini de 2011, primeiro turno do Estadual. Após ter passado pelo Internacional nas quartas-de-final, com um empate em 1 a 1 e a vitória nos pênaltis em pleno Beira-Rio, acabou sendo eliminado pelo Grêmio no estádio Olímpico. No segundo turno, na Taça Farroupilha de 2011, o Cruzeiro chegou novamente nas semifinais. Na classificação geral do campeonato, o Cruzeiro ficou com a quarta melhor campanha, e obteve a classificação para disputar a Série D do Campeonato Brasileiro, retornando a uma competição nacional após 43 anos.[4][5] A única disputa oficial interestadual do clube estrelado até então havia sido o Torneio Gaúcho Qualificatório ao Torneio Centro-Sul de 1968, apesar do clube ter sido eliminado ainda na fase estadual do certame.

Entretanto, a participação na Série D acabou logo, com o clube sendo eliminado antes do fim da primeira fase. Na competição, o Cruzeiro mandou seus jogos no Estádio Passo D'Areia, pertencente ao São José-RS, em Porto Alegre.

Adidas, uma das empresas que já foi fornecedora de material esportivo do Cruzeiro, atualmente em contrato com a Super Bolla, sendo o primeiro clube do sul de sua nova fornecedora

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • O Cruzeiro foi o segundo clube do mundo a ter sua camiseta usada em uma Copa do Mundo de Futebol. Isto ocorreu em 1950, na partida entre México e Suíça, disputada em Porto Alegre. Ambas seleções tinham fardamentos vermelhos e era preciso distingui-los. Os mexicanos jogaram listrados de azul e branco e a Suíça venceu por 2 a 1. O primeiro clube foi o Napoli, em 1934, cedendo seu uniforme para a Áustria no duelo contra a Alemanha.[6][7]
  • Campeão de tudo
Em relação aos principais esportes coletivos (futebol, basquete, futebol de salão e vôlei), o Cruzeiro é o único clube do Rio Grande do Sul a ter se sagrado campeão estadual em todas estas modalidades.
  • O cantor Diogo Nogueira foi jogador do clube na sua tentativa de se tornar jogador profissional. O escritor Moacyr Scliar se manteve declaradamente torcedor cruzeirista mesmo durante as décadas em que o clube esteve afastado da primeira divisão. Antes de sua morte, Scliar ainda pode saudar o retorno do time à elite do Campeonato Gaúcho em 2011, com a crônica "A volta do Cruzeiro", publicada no jornal Zero Hora.

(Confira o texto de Scliar: http://zh.clicrbs.com.br/rs/esportes/gauchao/noticia/2011/02/o-renascimento-do-cruzeiro-escreveu-moacyr-scliar-em-junho-de-2010-3222946.html)

  • O Cruzeiro foi o primeiro clube brasileiro a vencer o Grêmio na Arena do Grêmio, em 28 de março de 2013, pelo placar de 2 x 1. Ao retornar ao Campeonato Gaúcho em 2011, o Cruzeiro voltou vencendo ao Internacional por 1 x 0 e nas quartas-de-final, e eliminou o Inter, causando o fechamento do chamado "Inter B" que usava jovens das categorias de base para preservar os titulares no Campeonato Gaúcho.[8].
  • O Cruzeiro também tem a simpatia do criador da camiseta canarinho da Seleção Brasileira, Aldyr Schlee (que venceu o concurso nacional a partir do qual a seleção passou a usar o uniforme amarelo com calções azuis), cujo hobby é jogar futebol de botão, sendo que os seus botões estampam o time do "Cruzeiro de Porto Alegre", conforme reportagem de revista nacional.

(Fonte: http://www.terra.com.br/istoegente/337/reportagens/aldyr_schlee.htm)

Títulos[editar | editar código-fonte]

Internacionais
Competição Títulos Temporadas
Alemanha Torneio da Páscoa 1 1960
Argentina Torneio Internacional de Páscoa de Mar del Plata 1 1961
Estaduais
Competição Títulos Temporadas
Rio Grande do Sul Campeonato Gaúcho de Futebol 1 1929
Rio Grande do Sul Campeonato Gaúcho de Futebol - Segunda Divisão 1 2010
Rio Grande do Sul Campeonato da Região Metropolitana 1 2015
Rio Grande do Sul Copa Governador do Estado 1 1970
Porto Alegre (RS) - Brasao.png Campeonato Citadino de Porto Alegre 3 1918, 1921 e 1929
Porto Alegre (RS) - Brasao.png Torneio Triangular de Porto Alegre 1 1943
Porto Alegre (RS) - Brasao.png Taça Cidade de Porto Alegre 1 1947
Porto Alegre (RS) - Brasao.png Torneio Extra da Cidade de Porto Alegre 1 1943
Porto Alegre (RS) - Brasao.png Torneio Início de Porto Alegre 3 1943,1951 e 1962
Participações na Serie A do Gauchão
Competição Títulos Temporadas
Rio Grande do Sul Participações no Gauchão Serie A Participações 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1968, 1969, 1970, 1971, 1972, 1973, 1976, 1977, 1978, 1979, 2011, 2012, 2013, 2014 e 2015

Outras conquistas no futebol[editar | editar código-fonte]

Basquete[editar | editar código-fonte]

Primeiro clube gaúcho a disputar a Taça Brasil de Basquete em 1968, disputando novamente em 1969, 1970 e 1972.

* Federação Atlética do Rio Grande do Sul - FARGS.
** Federação Gaúcha de Basketball - FGB.

Futebol de salão[editar | editar código-fonte]

Cruzeiro/Afusca, obtendo o acesso para a primeira divisão do Futsal Gaúcho em 2012.

Vôlei[editar | editar código-fonte]

    • Rio Grande do Sul Campeonato Gaúcho de Vôlei: 1 vez — 1972
O Cruzeiro também já conquistou títulos estaduais no atletismo, no boxe e em 2011 foi Campeão da Copa Gaúcho de Futebol Sete, competição oficial da Federação Gaúcha de Futebol Sete.

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1º Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2º Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
3º Uniforme

Uniformes anteriores[editar | editar código-fonte]

  • 2016
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1º Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2º Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
3º Uniforme
  • 2015
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1º Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2º Uniforme
  • 2014
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1º Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2º Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
3º Uniforme
  • 2013
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1º Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2º Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
3º Uniforme

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Goleiros
Jogador
1 Brasil Giovanni
12 Brasil Deivity
23 Brasil Luiz Henrique
Defensores
Jogador Pos.
3 Brasil Dão Z
4 Brasil Vladimir Z
34 Brasil Fernando Pinto Z
14 Brasil Thiago Steffen Z
15 Brasil Bernardo Z
13 Brasil Maylon LD
6 Brasil Sander LE
16 Brasil Otávio LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
5 Brasil Bem-Hur V
7 Brasil Reinaldo V
8 Brasil Lucas Martins V
19 Brasil Ronaldo Três V
20 Brasil Thomas V
21 Brasil Tawan V
7 Brasil Netinho M
10 Brasil William Kozlowski M
33 Brasil Gustavo M
24 Brasil Luan M
25 Brasil William Sóbis M
Atacantes
Jogador
9 Brasil Lucão
11 Brasil Thiago Alagoano
29 Brasil Matheus
30 Brasil Jaderson
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Ben Hur Pereira T
Brasil Martinho Inácio PF
Brasil Cleber Sgarbi TG

Confrontos históricos[10][editar | editar código-fonte]

Excursões internacionais[editar | editar código-fonte]

  • Cruzeiro 0 x 0 Real Madrid (Espanha)
8 de novembro de 1953 - Madrid
  • Cruzeiro 0 x 4 Toulose (França)

11 de novembro de 1953 - Toulouse

  • Cruzeiro 6 x 2 Lausanne (Suíça) -
22 de novembro de 1953 - Lausanne
  • Cruzeiro 0 x 0 Torino (Itália)
25 de novembro de 1953 - Turim
  • Cruzeiro 0 x 0 Lazio (Itália)
2 de dezembro de 1953 - Roma
  • Cruzeiro 2 x 1 Maccabi Tel Aviv (Israel)
8 de dezembro de 1953 - Tel Aviv
  • Cruzeiro 1 x 0 Maccabi Petah Tikva (Israel)
11 de dezembro de 1953 - Petah Tikva
  • Cruzeiro 5 x 0 Hapoel Haifa (Israel)
15 de dezembro de 1953 - Haifa
  • Cruzeiro 0 x 0 Seleção de Israel
17 de dezembro de 1953 - Tel Aviv
  • Cruzeiro 0 x 2 Besiktas (Turquia)
19 de dezembro de 1953 - Istambul
  • Cruzeiro 1 x 2 Seleção da Turquia
20 de dezembro de 1953 - Istambul
  • Cruzeiro 2 x 5 Fenerbahce (Turquia)
24 de dezembro de 1953 - Ankara
  • Cruzeiro 3 x 2 Galatasaray (Turquia)
27 de dezembro de 1953 - Ankara
  • Cruzeiro 4 x 2 Español (Espanha)
3 de janeiro de 1954 - Barcelona
  • Cruzeiro 2 x 0 Español (Espanha)
6 de janeiro de 1954 - Barcelona

Segunda excursão do Esporte Clube Cruzeiro à Europa em 1960[editar | editar código-fonte]

  • Cruzeiro 0 x 2 Seleção da Bulgária
26 de março de 1960 - Sofia
  • Cruzeiro 1 x 1 Dounav Russe (Alemanha Oriental)
27 de março de 1960 - Russe
  • Cruzeiro 3 x 0 Carinthia (Áustria)
30 de março de 1960 - Klagenfurt
  • Cruzeiro 0 x 2 Dímamo Zagreb (Iugoslávia)
6 de abril de 1960 - Zagreb
  • Cruzeiro 3 x 2 Rijeka (Iugoslávia)
10 de abril de 1960 - Belgrado
  • Cruzeiro 1 x 0 Bayern (Alemanha Ocidental)
14 de abril de 1960 - Hoff
  • Cruzeiro 1 x 0 Vorwaerts Berlim (Alemanha Oriental)
16 de abril de 1960 - Berlim
  • Cruzeiro 1 x 1 Dínamo Berlim (Alemanha Oriental)
17 de abril de 1960 - Berlim

Campeão do Torneio da Páscoa de 1960[editar | editar código-fonte]

  • Cruzeiro 1 x 1 Empar Rostock (Alemanha Oriental)
18 de abril de 1960 - Rostock
  • Cruzeiro 1 x 1 Alemania Aachen (Alemanha Ocidental)
20 de abril de 1960 - Aachen
  • Cruzeiro 2 x 4 Standart Liége (Bélgica)
23 de abril de 1960 - Liége
  • Cruzeiro 0 x 3 Sevilla (Espanha)
27 de abril de 1960 - Sevilla
  • Cruzeiro 4 x 3 Figueras (Espanha)
3 de maio de 1960 - Figueras
  • Cruzeiro 2 X 4 Español de Barcelona (Espanha)
5 de maio de 1960 - Figueras

Vice-campeão do Torneio de Figueras[editar | editar código-fonte]

  • Cruzeiro 6 x 2 Atlético Baleares (EspanhaA)
15 de maio de 1960 - Palma de Mallorca
  • Cruzeiro 2 x 1 Limges (França)
17 de maio de 1960 - Limoges
  • Cruzeiro 0 x 0 Anderlecht (Bélgica)
19 de maio de 1960 - Bruxelas
  • Cruzeiro 0 x 0 CH Bratislava (Tchecoslováquia)
25 de maio de 1960 - Bratislava
  • Cruzeiro 1 x 2 Slovan Bratislava (Tchecoslováquia)
27 de maio de 1960 - Bratislava
  • Cruzeiro 2 x 1 Helsingborg (Suécia)
28 de maio de 1960 - Helsingborg
  • Cruzeiro 3 x 2 Alliance (Dinamarca)
31 de maio de 1960 - Copenhague
  • Cruzeiro 4 x 3 Randers Freja (Dinamarca)
2 de junho de 1960 - Randers
  • Cruzeiro 3 x 2 VVV Venlo (Holanda)
6 de junho de 1960 - Venlo
  • Cruzeiro 0 x 2 VFL Osnabruck (Alemanha Ocidental)
11 de junho de 1960 - Osnabruck

Em dezembro de 1960 o Cruzeiro realizou três jogos na Argentina, retornando ao país vizinho para uma excursão de nove partidas em março de 1961. Entre dezembro de 1961 e janeiro de 1962, o Cruzeiro realizou uma excursão com nove jogos na América Central e dois na Colômbia. Além destes giros, o Cruzeiro também realizou alguns amistosos isolados no Uruguai e na Argentina, e recebeu diversas visitas internacionais para amistosos em Porto Alegre entre 1920 e 1970.

Principais adversários nessas excursões[editar | editar código-fonte]

Confrontos
Itália Lazio
Turquia Fenerbahçe
Turquia Beşiktaş
Turquia Galatasaray
Israel Seleção Israelense de Futebol
Espanha Real Madrid
Turquia Seleção Turca de Futebol
Espanha Sevilla
Alemanha Bayern Hof
Croácia Dínamo Zagreb
Tchecoslováquia Seleção Tchecoslovaca de Futebol
Dinamarca Seleção Dinamarquesa de Futebol
Dinamarca Randers FC
Uruguai Liverpool Fútbol Club


Presidentes[editar | editar código-fonte]

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

  • Posição: 198º
  • Pontuação: 102 pontos
Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol que pontua todos os times do Brasil.

Torcidas organizadas[editar | editar código-fonte]

  • Barra Cruzeirista
  • Nação Independente Cruzeirista
  • Estrelinhas
  • Fiel Cruzeirista

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f "Aqui jaz o Cruzeiro", Divino Fonseca, Placar número 890, 22/6/1987, Editora Abril, pág. 49
  2. Daniel Cassol (16 de junho de 2010). «Cruzeiro de Porto Alegre volta à primeira divisão gaúcha após 32 anos». UOL Esportes. Consultado em 24 de fevereiro de 2011 
  3. «Cruzeiro-PoA anuncia na sexta-feira mudança oficial para Cachoeirinha». ClicEsportes. 26 de julho de 2010. Consultado em 24 de fevereiro de 2011 
  4. a b Delmar Costa. «Dada a largada pra o novo estádio». Sítio oficial do Cruzeiro. Consultado em 24 de fevereiro de 2011 
  5. Torneio Gaúcho Qualificatório ao Torneio Centro-Sul 1968
  6. A Copa de 50 em Porto Alegre
  7. O clube que disputou a Copa do Mundo, artigo de Montserrat Martins
  8. Globo Esporte: Da lanterna à surpresa: Cruzeiro-RS vence e acaba com os 100% do Grêmio
  9. Campeões Gaúchos de Basquete
  10. ECC - Confrontos históricos

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre clubes brasileiros de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.