Esporte Clube Operário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Clube Esportivo Operário Várzea-Grandense.
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Operário Futebol Clube Ltda..
Operário
Nome Esporte Clube Operário
Alcunhas Chicote da Fronteira
ECO
Mascote Chicote
Fundação 2 de abril de 1996 (24 anos)
Extinção 2001
Localização Várzea Grande, Mato Grosso
Mando de jogo em Estádio José Fragelli
editar

Esporte Clube Operário foi um clube brasileiro de futebol da cidade de Várzea Grande, no estado de Mato Grosso. Fundado em 2 de abril de 1996 para substituir o Clube Esportivo Operário Várzea-Grandense nas competições a serem disputadas. Suas cores eram verde, vermelho e branco.

História[editar | editar código-fonte]

O EC Operário foi criado em abril de 1996, após o CEOV, atolado em dívidas, ser licenciado das competições da Federação Mato-Grossense de Futebol. Para não perder as vagas nas competições, visto que o "Chicote da Fronteira" (como o CEOV era carinhosamente chamado) tinha acabado de conquistar o bicampeonato 1994/1995, um clube novo foi criado para ocupar estas vagas. [1]

E em 1997 o novo clube já mostrou para o que veio. Sem dívidas e com alto investimento, o clube já conquistou o seu 1º título estadual ao derrotar o União Rondonópolis. Na sua campanha, foram 26 jogos sendo 19 vitórias, 5 empates, 2 derrotas, 61 gols pró, 16 gols contra e 45 gols de saldo, uma campanha com 6 vitórias consecutivas e uma série invicta de 15 partidas.

Diretoria , Comissão técnica e jogadores do 1º título[editar | editar código-fonte]

Diretoria Comissão Técnica Elenco Campeão
Presidente: Antônio Gonçalo Maninho de Barros
1° vice-presidente: Carlos Eduardo Sacre de Campos
2° vice-presidente: Vandir Sguarezzi
3° vice-presidente: Jamim Arruda
4° vice-presidente: Roberto Martins
5° vice-presidente: Francisco Corrêa de Almeida Filho
Búfalo Gil (técnico)
Carlos Pedra (Treinador físico)
Gilmarzinho (preparador físico)
Geraldo Malaquias (massagista)
Jean, Edílson, Antônio, Dito Siqueira, Carlinhos, Bimba, Josenilson, Jonas, Laércio, Laurinho, Márcio, Niltinho Goiano, Neymar, Araújo, Pacu, Wender, Renatinho, Paulo, Edson Luiz e Marcelo Henrique

Brasileiro Série C[editar | editar código-fonte]

Após o título estadual veio a disputa do Brasileirão da Série C, e o Operário caiu no gruo junto com Goiânia , Operário-MS e União Rondonópolis. Infelizmente, o clube não passou da primeira fase, terminando em 3º do seu grupo e 34º na classificação geral em sua primeira participação. [2]

Copa do Brasil e vice do Mato-Grossense[editar | editar código-fonte]

O ano tinha expectativa de ser um dos melhores para o Tricolor de Várzea Grande. Além de buscar o bicampeonato estadual, o time disputou a Copa do Brasil daquele ano representando Mato Grosso. O direito foi conquistado devido à conquista do estadual do ano anterior. No entanto, o Operário acabou sendo eliminado logo na primeira fase da competição pelo Vitória no estádio da Fonte Nova.

Foi mantida a mesma diretoria e comissão técnica. Comandada pelo consagrado Búfalo Gil, o Operário chegou à grande final do Mato-grossense contra o Sinop. O “Chicote da Fronteira” venceu o último jogo por 2 a 1 em Sinop, mas não conquistou o título porque havia sido derrotado na primeira partida por 3 a 1 no Verdão.

Eliminações e Extinção[editar | editar código-fonte]

Em 1999, o empresário Carlinho Bergamasco estava na presidência do Operário. A equipe se classificando para a fase decisiva do Campeonato Mato-grossense, mas novamente, o Sinop foi o grande carrasco do tricolor eliminando a equipe várzea-grandense no estádio Gigante do Norte pelo placar de 3 a 2, assim como em 2000, quando o time novamente faz uma campanha fraca no estadual.

Em 2001, João Carlos era o presidente do Operário e a equipe acabou desistindo de disputar o Campeonato Mato-grossense. A alegação foi a falta de estrutura e apoio por parte do empresário várzea-grandense para que pudesse montar um time em condições de entrar na competição. A partir disso o time acabou se licenciando e ao mesmo tempo decidiram reativar o antigo Clube Esportivo Operário Várzea-Grandense para reviver as antigas glórias do passado. [1]

Campanhas[editar | editar código-fonte]

Torneios estaduais[editar | editar código-fonte]

Mato Grosso Campeonato Mato-Grossense de Futebol

Ano 1996 1997 1998 1999 2000
Pos.

Torneios nacionais[editar | editar código-fonte]

Brasil Campeonato Brasileiro - Série C

Ano 1997
Pos. 34º

Brasil Copa do Brasil

Ano 1998
Pos. 22º

Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]