Esquerda Democrática (Grécia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Esquerda Democrática
Δημοκρατική Αριστερά
Presidente Fotis Kouvelis
Fundação 27 de junho de 2010
Ideologia Social-democracia
Socialismo democrático
Keynesianismo
Espectro político Centro-esquerda
Afiliação nacional SYRIZA (a partir de 2019)
Parlamento Helénico
0 / 300
Parlamento Europeu
0 / 22
Regiões
31 / 703
Página oficial
http://www.dimokratikiaristera.gr/

Esquerda Democrática (em grego: Δημοκρατική Αριστερά , ΔΗΜ.ΑΡ. , Dimokratiki Aristera, DIMAR) é um partido grego criado em 2010, pela ala moderada da SYRIZA. Nas eleições parlamentares de 6 de Maio de 2012, a DIMAR conquistou 6 % dos votos e 19 deputados.

Dado que se tem mostrado favorável à política de austeridade adoptada pelo governo anterior, foi considerado um possível parceiro de coligação da Nova Democracia e do PASOK, garantindo deste modo uma maioria governativa favorável ao cumprimento dos compromissos assumidos pela Grécia com a União Europeia. Esta coligação não chegou, no entanto, a concretizar-se, de modo que novas eleições foram agendadas para 17 de Junho de 2012.

Neste novo acto eleitoral, o DIMAR obteve a mesma percentagem de votos, mas apenas 16 deputados.[1] A ND, novamente o partido mais votado, pretende constituir um amplo governo de unidade nacional, esperando-se desde já a adesão do PASOK e do DIMAR.

Resultados Eleitorais[editar | editar código-fonte]

Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]

Data CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
05/2012 7.º 386 394
6,1 / 100,0
19 / 300
Oposição
06/2012 6.º 384 986
6,2 / 100,0
Aumento0,1
17 / 300
Baixa2 Governo
01/2015 13.º 30 074
0,5 / 100,0
Baixa5,7
0 / 300
Baixa17 Extra-parlamentar
09/2015 Coligação Democrática
1 / 300
Aumento1 Oposição
2019 SYRIZA
0 / 300
Baixa1 Extra-parlamentar

Eleições europeias[editar | editar código-fonte]

Data CI. Votos % Deputados +/-
2014 10.º 68 873 1,2 (10.º)
0 / 21
2019 SYRIZA
0 / 21
Estável

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Público (Lisboa), 18-6-2012