Estádio Defensores del Chaco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Defensores del Chaco
Defensores del Chaco.JPG

Nomes
Nome Defensores del Chaco
Antigos nomes Estadio de La Liga
Estadio do Uruguai
Estadio de Puerto Sajonia
Características
Local Assunção,  Paraguai
Gramado (105 x 68 m)
Capacidade 42 354 pessoas[1]
Construção
Data 1916 - 1917
Inauguração
Data 4 de novembro de 1917
Proprietário Asociación Paraguaya de Fútbol
Mandante Seleção Paraguaia de Futebol

O Estádio Defensores del Chaco é um estádio multiuso situado em Assunção, Paraguai.

O estádio não possui nenhum clube como dono, pois pertence a Asociación Paraguaya de Fútbol[2], e é usado primeiramente para abrigar os jogos da Seleção Paraguaia de Futebol[3] e também para jogos internacionais, como jogos da Copa Libertadores da América e Copa Sul-Americana.[4]

História[editar | editar código-fonte]

Em 1915, o presidente Eduardo Schaerer doou um terreno de sua propriedade para a recém-criada Liga Paraguaia de Futebol para a construção do atual Estadio.[4]

A construção começou em 1916 sob a presidência da Associação Paraguaia de Futebol de Enrique Pinho[4], sob o nome de Estadio de La Liga[2][5] e como suas obras se estenderam por muitos anos, foi utilizado algumas vezes antes mesmo de estar concluído.[3] Em 4 de novembro de 1917, em meio às obras, o estádio foi inaugurado.[4]

Em 1924, por um curto período, recebeu o nome de Estadio do Uruguai, em homenagem ao título olímpico da Celeste.[4]

Em 1956, sofreu uma reforma e mudou de nome para Estadio de Puerto Sajonia, em referência ao bairro Sajonia, que é onde está localizado em Assunção.[2][3][4]

Ao longo das décadas de 50 e 60, o Defensores passou por muitas reformas para ampliação da capacidade. No palco, também eram realizadas competições universitárias de faculdades tradicionais do Paraguai.[3]

Em 1968, recebeu seu sistema de iluminação[4], e em 1974 mudou seu nome para "Defensores del Chaco" em homenagem aos soldados que lutaram na Guerra do Chaco entre o Paraguai e Bolívia.[2][3][4] À época, soldados paraguaios utilizaram o local como base e centro de mobilização.[3] Em 1935, parte dele foi destruída e apenas restaurada em 1939.

Em 1998, passou por novas reformas, para receber os jogos da Copa América de 1999[2] e das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2002.[4] Desde as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2002 estão sendo realizadas obras para satisfazer as determinações da FIFA, e por esse motivo, sua capacidade passou de 50.000 para 42.354 pessoas[3][4]. O campo de jogo é cercado por alambrado.

Em 1999 ocorreu um episódio que ficou conhecido como Marzo Paraguayo. A tensão teve origem no assassinato do vice-presidente Luis María Argaña, evento de responsabilidade de um comando paramilitar logo vinculado pela oposição ao presidente Raúl Cubas Grau e a Lino César Oviedo, homem forte na política paraguaia. Os dias seguintes foram marcados por fortes manifestações de opositores ao governo. Justamente no dia que uma multidão protestava em frente ao congresso, estava marcado um jogo entre Olimpia e Corinthians, pela Libertadores e a Conmebol forçou a disputa da partida. Apenas 5 mil pessoas foram ao Defensores del Chaco e nenhuma rádio transmitiu a partida, já que todas as atenções estavam voltadas ao cenário político. No intervalo houve um apagão no estádio. Esse cenário bateu forte em Luis Cubilla, treinador do Olimpia, que fugiu do estádio – primeiro, alegou-se que seria por problemas médicos, mas depois se revelou que Cubilla foi para casa proteger sua família. Grande parte do pequeno público que foi ao jogo sairia do estádio diretamente para protestar em frente ao congresso.[2]

Em 26 de janeiro de 2010, cerca de 20 mil pessoas, a maioria com a camisa albirroja da seleção nacional, ocuparam as arquibancadas do Defensores del Chaco em vigília para apoiar Salvador Cabañas, atacante paraguaio do América do México que seguia internado em estado grave após receber um tiro na cabeça.[2]

Principais eventos[editar | editar código-fonte]

Foi palco das finais da Copa América de 1979 e 1999, e de dez decisões da Copa Libertadores.[2][3][5]

O local foi palco de shows de grandes artistas como Bon Jovi e Paul McCartney.[3]

Referências

  1. «Conmebol encerra discussão e define o Mineirão como palco da final». Globo. Globo Esporte. 16 de julho de 2013. Consultado em 16 de julho de 2013 
  2. a b c d e f g h «Defensores del Chaco: O caldeirão histórico | Blog Meia encarnada». globoesporte.com. Consultado em 18 de junho de 2022 
  3. a b c d e f g h i Superesportes; Superesportes (1 de março de 2022). [https://www.mg.superesportes.com.br/app/noticias/futebol/america-mg/2022/03/01/noticia_america_mg,3961448/conheca-o-estadio-defensores-del-chaco-palco-de-decisao-do-america.shtml «Conhe�a o Est�dio Defensores del Chaco, palco de decis�o do Am�rica»]. Superesportes. Consultado em 18 de junho de 2022  replacement character character in |titulo= at position 6 (ajuda)
  4. a b c d e f g h i j «Os 104 anos do Estádio Defensores del Chaco». Consultado em 18 de junho de 2022 
  5. a b «Defensores del Chaco». Ludopédio. Consultado em 18 de junho de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]