Estádio Onésio Brasileiro Alvarenga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Onésio Brasileiro Alvarenga
Estádio Onésio Brasileiro Alvarenga
Nomes
Nome Estádio Onésio Brasileiro Alvarenga
Apelido OBA
Obabonera
Características
Local Goiânia
Capacidade 11.788 espectadores
Construção
Inauguração
Data 1980
Outras informações
Mandante Vila Nova FC

O Estádio Onésio Brasileiro Alvarenga, conhecido como OBA, é um estádio de futebol localizado em Goiânia, Estado de Goiás, pertence ao Vila Nova Futebol Clube, tem capacidade atual para 11.788 pessoas e está localizado no setor leste Universitário de Goiânia.[1]

Foi nomeado em homenagem a Onésio Brasileiro Alvarenga, ex-jogador e dirigente do Vila Nova, responsável pela profissionalização do clube. Apesar de ser um pequeno estádio em capacidade de público; suas dimensões do gramado é uma das maiores do país, contava com a mesma medida do gramado do estádio Serra Dourada, que atuamente estão padronizadas em 105 x 68 metros.

História[editar | editar código-fonte]

A estreia do estádio foi em um jogo entre Vila Nova e Internacional a convite, jogo que terminou empatado em 2-2. O recorde de público do estádio foi de 15 mil pessoas no jogo de estreia do estádio.

O torcedor colorado está em êxtase com o momento vivido pela equipe e talvez ainda não consiga mensurar o tamanho do feito que o clube está prestes a fazer. O OBA foi reformulado, sua capacidade foi aumentada para comportar 11.788 pessoas, os alambrados deram lugar a vidros blindex. Bares, vestiários, banheiros e bilheterias foram reformados e o estádio passou a ser setorizado.

Geso Oliveira, diretor de patrimônio do clube, é quem conta detalhes das obras. O dirigente já foi presidente do Tigrão e esteve à frente do projeto de reforma do estádio desde o início, lado-a-lado com o presidente Gutemberg Veronez.

Diretor de patrimônio mostra novas instalações do OBA. (Foto: Núbia Alves) geso 1 nubia“Nós dobramos a capacidade do OBA, trocamos toda a parte de instalação elétrica, aumentamos em 50% a iluminação, fizemos a troca do alambrado por vidros à prova de balas. Trocamos totalmente a parte de irrigação do gramado, reformamos todos os banheiros, construímos novos banheiros, construímos um novo bar, bem amplo. Nós estamos reformando todas as cabines de rádio, com pintura, acabamento, forro”, detalhou. Torcida ansiosa

Por parte da torcida a expectativa de reinauguração do estádio é tão grande quanto à dos dirigentes colorados. Seu Nenê é quem fala sobre a importância de o Vila Nova jogar na própria casa. Ele é um dos torcedores símbolo do Tigrão, tem 84 anos, é natural de Correntina, na Bahia, chegou a Goiânia na época que a capital estava recém-criada e desde sempre morou na região da Vila Nova, quando ainda era uma invasão. Seu Nenê se emociona ao falar do Vila Nova e relembrar todos os momentos já vividos com o clube.

Estrutura

“Nós dobramos a capacidade do OBA, trocamos toda a parte de instalação elétrica, aumentamos em 50% a iluminação, fizemos a troca do alambrado por vidros à prova de balas. Trocamos totalmente a parte de irrigação do gramado, reformamos todos os banheiros, construímos novos banheiros, construímos um novo bar, bem amplo. Nós estamos reformando todas as cabines de rádio, com pintura, acabamento, forro”, detalhou.

Torcida ansiosa

Por parte da torcida a expectativa de reinauguração do estádio é tão grande quanto à dos dirigentes colorados. Seu Nenê é quem fala sobre a importância de o Vila Nova jogar na própria casa. Ele é um dos torcedores símbolo do Tigrão, tem 84 anos, é natural de Correntina, na Bahia, chegou a Goiânia na época que a capital estava recém-criada e desde sempre morou na região da Vila Nova, quando ainda era uma invasão. Seu Nenê se emociona ao falar do Vila Nova e relembrar todos os momentos já vividos com o clube.

“Eu já moro aqui há muitos anos e o Vila Nova para mim é tudo, faz parte da minha família, no Vila Nova todo mundo está em casa. Os jogos do Vila têm que ser lá no OBA, porque ali a casa é nossa. Esse Vila Nova para mim é tanta coisa que é difícil me recordar, são tantas alegrias”, relatou emocionado.

Sonho realizado

Quem teve a ideia e resolveu levar adiante a reforma do Onésio Brasileiro Alvarenga foi o presidente Gutemberg Veronez. Guto é o responsável pelo clube e, em sua gestão, o Vila Nova já conseguiu dois títulos, o de Campeão Goiano da Divisão de Acesso e o de Campeão Brasileiro da Série C, ambos no ano de 2015.

O presidente revelou que mandar os jogos da Série B no OBA sempre foi um sonho que ele tinha, desde a época em que era somente torcedor, quando sentava nas arquibancadas para ver o Tigrão jogar.

“É um sonho de torcedor. Quando a gente sentava na arquibancada, não entendíamos por que não jogávamos a Série B aqui. Esse sonho já vem lá de trás e vem de anseio com a grande maioria dos torcedores. Eu fui agraciado de ter a oportunidade de fazer algo para o Vila Nova, que vai contribuir muito para o futuro do clube”, contou.

A grande reestreia do OBA vai acontecer no sábado e o jogo está movimentando os torcedores desde o início da semana, quando a CBF deu o aval para a utilização do estádio. A expectativa é que os torcedores lotem as arquibancadas e uma grande festa seja feita por parte da torcida, que contará com bateria, fumaças e cantos novos. Ao que tudo indica, sábado será o começo de um novo Vila Nova[2].

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre estádios de futebol do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.