Estádio Paulo de Souza Coelho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estádio Paulo de Souza Coelho
Estádio Municipal Paulo de Souza Coelho 2.jpg
Vista interna do estádio
Nomes
Nome Estádio Paulo Coelho
Apelido Associação Rural
Características
Local Rua Félix Pinto, 327 - Centro
Petrolina Petrolina, Pernambuco Pernambuco, Brasil Brasil.
Gramado Grama natural (105 x 68 m)
Capacidade 5.000 pessoas.[1]
Construção
Inauguração
Outras informações
Competições Pernambuco Pernambucano - Série A2
Bahia Campeonato Baiano - 1.ª Divisão
Proprietário Prefeitura Municipal de Petrolina
Administrador Prefeitura Municipal de Petrolina e Petrolina SFC (gestão)
Mandante Petrolina
1º de Maio
Juazeirense - BA[nota 1]

O Estádio Paulo de Souza Coelho , conhecido popularmente como Paulo Coelho, é um estádio de futebol eiro que recebe eventos desta modalidade esportiva. Pertencente a Prefeitura Municipal de Petrolina, tem como mandante, o clube Petrolina Social Futebol Clube que divide o estádio com outro clube local, o 1º de Maio Esporte Clube. O estádio também teve como mandante o clube da cidade de Juazeiro da Bahia, a Sociedade Desportiva Juazeirense, clube do estado da Bahia que disputa atualmente o Campeonato Baiano da Primeira Divisão.

Entre os anos de 2016 a 2017, o clube passou por reformas e atualmente possui uma capacidade de 5.000 espectadores.[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

O estádio era pertencente a Associação Rural de Petrolina, atualmente Sindicato dos Trabalhadores Rurais. Em 2006, a prefeitura municipal compra o estádio para que pertencesse ao povo petrolinense, ação esta que deixou o estádio por um tempo abandonado.

O estádio já foi propriedade da antiga Associação Rural de Petrolina (dai era conhecido como Associação Rural), que bancava o funcionamento e a manutenção do estádio. Em 2006, é comprado pela prefeitura da cidade com o intuito de torna-lo um patrimônio publico da população petrolinense.

O estádio[editar | editar código-fonte]

O Estádio é utilizado pelo Petrolina no Campeonato Pernambucano de Futebol - Série A2 e pelo 1º de Maio, equipe licenciada das competições oficiais do futebol profissional. O Estádio também serviu de palco no ano de 2016 para o Campeonato Baiano de Futebol, o Juazeirense mandou seus jogos no Coelhão, pois o estádio Adauto Morais em Juazeiro na Bahia encontrava-se em reformas.[2]

Consolidação[editar | editar código-fonte]

Primeiro Título[editar | editar código-fonte]

O primeiro título do Paulo Coelho foi conquistado pelo Petrolina no dia 29 de julho de 2001, no ultimo jogo do Quadrangular Final do Campeonato Pernambucano de Futebol de 2001 - Série A2. Nesta final, a equipe petrolinense finalizou o quadrangular com 11 pontos, 2 vitorias, 3 empates e 1 derrota.

Seu ultimo título foi na edição de 2010, onde o Petrolina sagrou-se campeão derrotando a equipe do América Futebol Clube.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Participação em competições[editar | editar código-fonte]

Competição Temporadas Estreia Última
Pernambuco Campeonato Pernambucano - Série A1 9 2002 2013
Campeonato Pernambucano - Série A2 7 1999 2015
Copa Governador Jarbas Vasconcelos 1 2002 2002
Brasil Campeonato Brasileiro - Série C 1 2008 2008
Campeonato Brasileiro - Série D 1 2012 2012

Decisões entre clubes[editar | editar código-fonte]

Copa Governador Jarbas Vasconcelos[editar | editar código-fonte]
31 de março Petrolina Bandeira petrolina.svg 0 – 0 Bandeira caruaru.jpg Central
(UTC−3)

Exclusão em 2017[editar | editar código-fonte]

No inicio de 2017, a expectativa para as equipes de Petrolina, aumentava e o tempo sem disputar partidas oficiais ia chegando ao fim. O 1º de Maio vinha se preparando apos sete anos sem jogar o certame. Já o Petrolina, depois de reformulação e eleição de um novo presidente, vinha montando uma boa estrutura, contratando até técnico campeão brasileiro.[3][4] Reformas no estádio vinham sendo feitas e finalizadas e só faltava encaminhar os laudos.

Mas, em meados do segundo semestre, com varias incertezas, a Federação Pernambucana de Futebol notificou aos clubes que, o estádio não estava apto a sediar jogos oficiais,[5][6] comprometendo todo o investimento gasto pelas equipes. As duas equipes tinham cogitado em mandar seus jogos no estádio vizinho na cidade de Juazeiro da Bahia, o estádio Adauto Moraes, mas segundo o diretor de competições da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Murilo Falcão, de acordo com as novas regras da CBF que impedia que clubes mandassem seus jogos fora de seus respectivos estados e o pedido foi rejeitado.

Notas e referências

Notas

  1. A Sociedade Desportiva Juazeirense, mais conhecida como Juazeirense, mandou seus jogos do Campeonato Baiano de Futebol no estádio Paulo Coelho quando o seu estádio Adauto Moraes passava por reformas de ampliação.

Referências

  1. a b «CNEF - Cadastro Nacional de Estádios de Futebol (Rev. 6)» (PDF). CBF. 18 de janeiro de 2016. Consultado em 3 de setembro de 2016 
  2. *Globo Esporte. «Com obras encerradas, estádio Adauto Moraes está perto de ser liberado». 3 de março de 2016. Consultado em 5 de setembro de 2016 
  3. Andrade é anunciado como treinador do Petrolina Partal Terra, 31 de janeiro de 2017 às 02h17
  4. Ídolo do Flamengo é anunciado como novo técnico da equipe do Petrolina Atualizado em 31 de janeiro de 2017, às 14h40
  5. Sem estádio, times de Petrolina estão fora da Série A2 do Pernambucano Por Emerson Rocha, Petrolina 29 de agosto de 2017 às 09h31 - Atualizado em 29 de agosto de 2017 às 09h52
  6. Fora: Petrolina desiste oficialmente da disputa da Série A2 do PernambucanoPor GloboEsporte.com Petrolina, 16 de agosto de 2016 às 11h25 - Atualizado em 16 de agosto de 2016 às 11h28

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre estádios de futebol do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.