Estêvão Ribeiro de Sousa Resende

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o presidente de Mato Grosso, veja Estêvão Ribeiro de Resende, barão de Lorena.
Estêvão Ribeiro de Sousa Resende
Nascimento 19 de agosto de 1840
Rio de Janeiro
Morte 11 de agosto de 1909 (68 anos)
Piracicaba
Cidadania Brasil
Progenitores Pai:Estêvão Ribeiro de Resende

Estêvão Ribeiro de de Souza Rezende, primeiro e único barão de Rezende, (Rio de Janeiro, 19 de agosto de 1840Piracicaba, 11 de agosto de 1909) foi um nobre brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Bacharelou-se em Direito, em 1863, pela Faculdade de Direito do Largo de São Francisco. Foi chefe do Partido Católico de Piracicaba, deputado provincial nas legislaturas de 1870-1871, 1874-1875 e 1878-1879, deputado geral em 1876, na décima sexta legislatura.

Por três quadriênios, foi vereador na Câmara de Piracicaba. Empresário, foi um dos fundadores da Companhia Ituana de Navegação, nos rios Piracicaba e Tietê, a qual comandou entre 1878 e 1886. Em 1881, fundou o Engenho Central de Piracicaba.

Foi, também, escritor e sócio do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. Lutou na Guerra do Paraguai, pelo que foi agraciado com o Ordem de Cristo, e admitido como moço fidalgo da Casa Imperial.

Em 1886, hospedou o Imperador Dom Pedro II e o Conde D’Eu. Fez projetos para a construção de uma ponte sobre o rio Piracicaba, em 1873 e, em 1903, projetou a construção do sanatório São Luís, para receber tuberculosos indigentes.[1][2]

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Títulos nobiliárquicos[editar | editar código-fonte]

Cavaleiro da Imperial Ordem de Cristo e fidalgo da Casa Imperial.

Barão de Resende

Título conferido por decreto imperial em 7 de maio de 1887. Observe-se que a concessão do título é de 1887, porém usou o mesmo brasão concedido à sua família, em 27 de junho de 1870.

Brasão de armas[editar | editar código-fonte]

Armas do barão de Resende.

Escudo ibérico esquartelado:

  • o primeiro e o quarto: de blau com um leopardo rampante de argente, armado de jalde, e chefe do mesmo carregado de três estrelas de goles alinhadas - Armas de Damião Dias da Ribeira;
  • o segundo também esquartelado, sendo o primeiro e o quarto de argente, com cinco escudetes de blau postos em cruz, cada escudete carregado de cinco besantes do primeiro esmalte, postos em sautor; o segundo e o terceiro de argente, e com um leão de púrpura – Armas dos Sousas do Prado;
  • o terceiro de jalde, com duas cabras de sable, gotadas do campo e passantes, uma sobre a outra - Armas dos Resendes. Coronel de barão.
  • Timbre: o leopardo das armas, com uma estrela de goles na espádua; e por diferença, uma brica de blau com um lírio de jalde. ( Brasão passado em 27 de Junho de 1870. Reg. no Cartório da Nobreza,Liv.VI,fls.108)

Referências

  1. Nobreza Brasileira de A a Z http://www.sfreinobreza.com/Nobr.htm Nobreza Brasileira de A a Z Verifique valor |url= (ajuda)  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  2. José Guimarães - As Três Ilhoas - Volume 3 - "Helena Maria de Jesus" , pag. 105-106 - Reprox Artes Gráficas - 1998.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.