Estêvão da Gama (1505-1576)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Estêvão da Gama
D. Estêvão da Gama. In Ásia portuguesa de Manuel de Faria e Sousa. Lisboa 1674
Governador da Índia Flag of Portugal (1521).svg
Período 15401542
Antecessor(a) Garcia de Noronha
Sucessor(a) Martim Afonso de Sousa
Dados pessoais
Nascimento c. 1505
Morte 1576 (71 anos)
Progenitores Mãe: D. Catarina de Ataíde
Pai: Vasco da Gama

Estêvão da Gama (c. 15051576), foi um militar e administrador colonial português, tendo exercido o cargo de governador da Índia Portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Efígie de Estêvão da Gama no Padrão dos Descobrimentos, em Lisboa, Portugal.

Filho de D. Vasco da Gama e de sua mulher Catarina de Ataíde, D. Estêvão da Gama nasceu em data incerta, presumivelmente em 1505.

Foi com o pai para a Índia onde desempenhou o cargo de capitão-mor. Substituiu D. Paulo da Gama, seu irmão, como capitão de Malaca, em 1538, tendo desde 1534 servido sob suas ordens. Em 1540 foi designado pelo rei governador da Índia (1540-1542), pois tinha provado o seu valor no cargo anterior, afugentando os inimigos de Portugal na região. Não deixou de fazer o mesmo quando se tornou governador, tendo efectuado uma campanha em 1541 contra a frota do paxá do Egipto. Pelo caminho atendeu o pedido de socorro da Etiópia contra os invasores Otomanos enviando quinhentos homens comandados pelo seu irmão D. Cristóvão da Gama.

Depois de deixar o cargo, voltou para Portugal onde foi indicado para Governador de Lisboa, tendo declinado o convite para ser novamente governador da Índia.

As praças portuguesas na Índia tinham sido atacada pelos otomanos, o que levou o governador Estêvão da Gama (filho de Vasco da Gama) a atacar os muçulmanos, primeiro em Suez, em 1540, depois em Baçente, em 1542, já em conjunto com os etíopes e comandados por Cristóvão da Gama, irmão do governador.

O recontro incluía 8000 tropas etíopes de infantaria e 500 de cavalaria, e ainda 70 mosqueteiros e 60 cavaleiros portugueses; este exército era comandado pelo imperador Galawdewos. Do lado otomano, alinharam 14000 soldados somalis de infantaria e 1200 de cavalaria, e ainda 200 mosqueteiros, comandados pelo imam Ahmad ibn Ibrihim al-Ghazi, que foi morto na batalha.

Precedido por
Garcia de Noronha
Governador da Índia Portuguesa
15401542
Sucedido por
Martim Afonso de Sousa
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.