Estação Ferroviária da Lamarosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lamarosa
Antigo edifício da estação de Lamarosa, em 2009.
Linha(s) Linha do Norte (PK 114,413)
Ramal de Tomar (PK 0,0)
Coordenadas 39° 31′ N 8° 28′ W
Concelho Torres Novas
Serviços Ferroviários Regional, InterRegional
Serviços Parque de estacionamento Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Telefones públicos Elevadores Serviço de táxis

A Estação Ferroviária de Lamarosa é uma interface da Linha do Norte, que serve a localidade de Lamarosa, no Concelho de Torres Novas, em Portugal. Funciona como ponto de entroncamento com o Ramal de Tomar, que entrou ao serviço em 24 de Setembro de 1928.[1]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Localização e acessos[editar | editar código-fonte]

O acesso a esta interface é realizado pelo Largo da Estação, na localidade de Lamarosa.[2]

Comboios que servem esta estação[editar | editar código-fonte]

A estação é utilizada pelos comboios Regionais e InterRegionais da CP.[3]

Vias e plataformas[editar | editar código-fonte]

Em Janeiro de 2011, apresentava 4 vias de circulação, com comprimentos entre os 149 e 810 metros; as plataformas tinham 220 e 145 metros de extensão, e 90 centímetros de altura.[4]

História[editar | editar código-fonte]

Comboio de mercadorias junto à Estação de Lamarosa.

Inauguração[editar | editar código-fonte]

Esta interface situa-se no troço entre Entroncamento e Soure da Linha do Norte, que entrou ao serviço em 22 de Maio de 1864.[5]

Século XX[editar | editar código-fonte]

Em Janeiro de 1914, ocorreu uma das piores greves ferroviárias em Portugal, que provocou interrupções em vários pontos da rede; um comboio que viajou entre Lisboa e o Porto nos dias 16 e 17 teve de parar na estação de Lamarosa para reparar os carris, que tinham sido arrancados.[6]

Ligação a Tomar[editar | editar código-fonte]

Originalmente, o projecto para a ligação ferroviária a Tomar partia de Paialvo, sendo o ponto inicial mudado para a Lamarosa por portarias de 15 de Março de 1916 e 14 de Maio de 1926.[7] Em 1926, o Governo autorizou o plano da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses para a ampliação desta interface, de forma a se tornar na estação de entroncamento com o Ramal de Tomar, que se encontrava em construção naquela altura.[8] Este caminho de ferro foi inaugurado em 23 de Setembro de 1928[9], e entrou ao serviço no dia seguinte.[7][10]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. MARTINS et al, p. 257
  2. «Lamarosa». Comboios de Portugal. Consultado em 21 de Novembro de 2014 
  3. Comboios de Portugal (25 de Setembro de 2016). «COMBOIOS REGIONAIS > Ramal de Tomar» (PDF). Consultado em 18 de Novembro de 2016 
  4. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2012. Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. pp. 71–85 
  5. TORRES, Carlos Manitto (1 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1681). p. 9-12. Consultado em 27 de Fevereiro de 2013 
  6. MARQUES, p. 118
  7. a b TORRES, Carlos Manitto (16 de Fevereiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1684). Gazeta dos Caminhos de Ferro. p. 91-95. Consultado em 29 de Dezembro de 2013 
  8. «Linhas Portuguesas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 39 (935). 1 de Dezembro de 1926. p. 356. Consultado em 23 de Junho de 2013 
  9. NONO, Carlos (1 de Setembro de 1949). «Efemérides ferroviárias» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 62 (1481). p. 582-583. Consultado em 3 de Dezembro de 2014 
  10. CORRÊA, António de Vasconcelos (16 de Fevereiro de 1939). «A vida da C. P. desde o convénio de 1894» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 51 (1228). p. 126-131. Consultado em 27 de Fevereiro de 2013 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a Estação de Lamarosa

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • MARQUES, Ricardo (1914). 1914: Portugal no ano da Grande Guerra 1.ª ed. Alfragide: Oficina do Livro - Sociedade Editora, Lda. 302 páginas. ISBN 978-989-741-128-1 
  • MARTINS, João; BRION, Madalena; SOUSA, Miguel; et al. (1996). O Caminho de Ferro Revisitado: O Caminho de Ferro em Portugal de 1856 a 1996. Lisboa: Caminhos de Ferro Portugueses. 446 páginas 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.