Estação Ferroviária de Água Clara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Estação Ferroviária de Água Clara
Uso atual Transporte ferroviário
Administração ALL
Informações históricas
Inauguração 1912
Fechamento 1996
Localização
Localização Água Clara Mato Grosso do Sul

A Estação Ferroviária de Água Clara foi uma construção destinada a embarque ou desembarque de passageiros de trem e, secundariamente, ao carregamento e descarregamento de carga transportada. Usualmente consistia em um edifício para passageiros (e possivelmente para cargas também), além de outras instalações associadas ao funcionamento da ferrovia.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A estação de Água Clara foi inaugurada em 31 de dezembro de 1912 e foi uma das primeiras estações a serem finalizadas no então estado de Mato Grosso. Tanto a cidade quanto a estação se situam às margens do rio Verde, localizados na divisa com o município de Ribas do Rio Pardo, sendo seu nome inicial coincidentemente batizado como Rio Verde. E foi a ponta inicial da linha por dois anos. Faz parte da linha E. F. Itapura-Corumbá, que foi aberta também a partir de 1912. Apesar disso, por dificuldades técnicas e financeiras, havia cerca de 200 km de trilhos para serem finalizados (trechos Jupiá-Água Clara e depois Pedro Celestino-Porto Esperança), fato que ocorreu apenas em outubro de 1914. Em 1917 a ferrovia é fundida no trecho da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil (NOB), que fazia o trecho paulista Bauru-Itapura. Anos depois, em 1952, é finalizada a ligação até a cidade de Corumbá, na fronteira com a Bolívia e no ano seguinte é concluído o ramal ferroviário de Ponta Porã com a inauguração da estação da cidade honônima. Em 1975 a linha é incorporada como uma subdivisão da RFFSA. Em 1984 a estação seguia operando com grande movimentação. Em 1996 a ferrovia é finalmente privatizada e entregue em concessão da Novoeste.

Outras estações ferroviárias do município[editar | editar código-fonte]

Pena Júnior[editar | editar código-fonte]

A estação de Pena Junior foi inaugurada em 1 de dezembro de 1926. Anos depois o prédio foi desativado sendo construída uma estação de menor tamanho a alguns metros á frente, do outro lado da ferrovia. Em 1979 já havia registros de seu funcionamento e 32 anos depois, em 2011, estava sendo usada como moradia.

Posto do Km 620[editar | editar código-fonte]

O posto de km 620 foi inaugurado em 1 de julho de 1956. Seu nome se deve á quilometragem inicial da ferrovia antes das retificações, que era diferente da quilometragem em 1959. Atualmente não sobrou nem ruinas.

Ferreiros[editar | editar código-fonte]

A estação de Ferreiros (ou segundo alguns mapas também Ferreira) teria sido inaugurada em 20 de agosto de 1934 e seu nome original, porém, era Ribeirão Claro. Curiosamente em alguns guias de 1932 já constava registros da estação, portanto dois anos antes da inauguração oficial da NOB. Alguns registros informam a mudança de Ribeirão Claro para Ferreiros/Ferreira em 6 de junho de 1934, o que é provável que o prédio já existia com outra função (possivelmente posto telegráfico), mas não citada na época. Como a maioria das estações entre Campo Grande e Porto Esperança, em muitos anos esta estação não possuía água potável, o que fazia com que a NOB disponibilizasse um vagão pipa para abastecimento. Na atualidade não há mais nada senão ruínas.

Major Vicente[editar | editar código-fonte]

A estação de Major Vicente foi inaugurada em 10 de outubro de 1938 (alguns registros literários dizem a data de inauguração como sendo 1942) inicialmente com o nome de Timboré e anos depois recebeu o nome definitivo (Major Vicente). Atualmente encontra-se em completo abandono e ruinas, tando sido até depredadado ao longo dos anos.

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Illustração Brasileira, 1913
  • IBGE, 1959
  • Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960

Ligações externas[editar | editar código-fonte]