Apeadeiro de Alhos Vedros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alhos Vedros
Antigo edifício da Estação de Alhos Vedros
Linha(s) L.ª do Alentejo (PK 5,352)
Coordenadas 38° 39′ N 9° 1′ W
Concelho Moita
Serviços Ferroviários Urbano (L.ª do Sado)
Serviços Bilheteiras e/ou máquinas de venda de bilhetes Lavabos Parque de estacionamento Elevadores Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Acesso à Internet

O Apeadeiro de Alhos Vedros é uma infra-estrutura da Linha do Alentejo, que serve a localidade de Alhos Vedros, no Distrito de Setúbal, em Portugal.

Características e serviços[editar | editar código-fonte]

Este apeadeiro é utilizado por composições da Linha do Sado, um serviço urbano assegurado pela operadora Comboios de Portugal.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Horários dos vapores para a margem Sul e dos comboios no Alentejo, em 1872.

Inauguração[editar | editar código-fonte]

Insere-se no troço entre o Barreiro e Bombel da Linha do Alentejo, que foi aberto à exploração a 15 de Junho de 1857, pela Companhia Nacional dos Caminhos de Ferro ao Sul do Tejo.[2]

Transição para CP[editar | editar código-fonte]

Em 1927, a Administração dos Caminhos de Ferro do Estado, que explorava a Linha do Alentejo, foi integrada na Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses; em 1933, esta empresa realizou várias obras nesta estação, no âmbito de um programa de reparação e modernização das antigas interfaces do Estado[3] , e, no ano seguinte, levou a cabo grandes obras de reparação.[4]

Modernização[editar | editar código-fonte]

Em 16 de Junho de 2008, a Rede Ferroviária Nacional demoliu as antigas instalações deste apeadeiro, tendo construído uma nova interface, com o mesmo nome, para servir a localidade.[5] Estas acções, que se enquadraram num projecto de electrificação e modernização de estações e apeadeiros entre o Barreiro e o Pinhal Novo por parte daquela entidade, foram recebidas com protestos por parte da população e da autarquia da Moita.[6] [7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Horários Barreiro-Praias do Sado A Comboios de Portugal (28 de Março de 2010). Visitado em 17 de Julho de 2010.
  2. SANTOS, p. 108
  3. (1 de Dezembro de 1934) "Rêde do Sul e Sueste". Gazeta dos Caminhos de Ferro 47 (1127): 593-594. Visitado em 15 de Janeiro de 2013.
  4. (16 de Janeiro de 1935) "O que se fez nos Caminhos de Ferro Portugueses, durante o ano de 1934". Gazeta dos Caminhos de Ferro 47 (1130): 50-51. Visitado em 15 de Janeiro de 2013.
  5. REFER de costas viradas para população e autarquias do concelho da Moita: Avançou a demolição da estação de Alhos Vedros O Rio (16 de Junho de 2008). Visitado em 17 de Julho de 2010.
  6. Autarquia contra demolição das estações de comboio de Alhos Vedros e Moita Público (24 de Maio de 2008). Visitado em 17 de Julho de 2010.
  7. Alhos Vedros: manifestação contra a demolição de estação ferroviária TVI24 (29 de Maio de 2008). Visitado em 17 de Julho de 2010.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • SANTOS, Luís Filipe Rosa. Os Acessos a Faro e aos Concelhos Limítrofes na Segunda Metade do Séc. XIX. Faro: Câmara Municipal de Faro, 1995. 213 p.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre o Apeadeiro de Alhos Vedros

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.