Estação Ferroviária de Fratel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fratel
Linha(s) Linha da Beira Baixa
(PK 56,796)
Coordenadas 39° 36′ 48,81″ N, 7° 42′ 56,25″ O
Concelho Vila Velha de Ródão
Serviços Ferroviários Regional
Horários em tempo real
Serviços Sala de espera Serviço de táxis Parque de estacionamento

A Estação Ferroviária de Fratel é uma interface ferroviária da Linha da Beira Baixa, que serve a Freguesia de Fratel, no Concelho de Vila Velha de Ródão, em Portugal.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Caracterização física[editar | editar código-fonte]

Em Janeiro de 2011, contava com 2 vias de circulação, ambas com 394 m de comprimento; as plataformas tinham ambas 184 m de extensão, e 70 cm de altura.[1]

Serviços[editar | editar código-fonte]

A Estação é utilizada por serviços Regionais, da operadora Comboios de Portugal.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Plano para um caminho de ferro entre a Estação de Portalegre, na Linha do Leste, e a Estação de Fratel, passando pela cidade de Portalegre, e pela Estação de Castelo de Vide, no Ramal de Cáceres.

A Estação encontra-se no troço entre Abrantes e Covilhã da Linha da Beira Baixa, que começou a ser construído nos finais de 1885, e entrou em exploração no dia 6 de Setembro de 1891.[3]

Em 1927, foi formada uma comissão para a revisão do plano da rede ferroviária, que propôs que a linha de Estremoz a Portalegre, já em construção, fosse prolongada até Fratel, passando por Castelo de Vide.[4] No entanto, as autoridades militares discordaram desta proposta, e não chegou a ser aprovada pelo governo, tendo a linha ficado apenas até Estremoz no Plano da Rede.[4]

No relatório de 1931 a 1935 da Junta Autónoma das Estradas, estava indicado que a localidade de Fratel tinha sido ligada à estação ferroviária.[5]

A série Estação da Minha Vida, da Rádio Televisão Portuguesa, foi baseada na Estação de Fratel, tendo as filmagens ocorrido em 2001.[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2012. Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. pp. 71–85 
  2. «Intercidades / Regional > Linha da Beira Baixa» (PDF). Comboios de Portugal. 13 de Dezembro de 2015. Consultado em 13 de Fevereiro de 2017 
  3. TORRES, Carlos Manitto (16 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1682). pp. 61–65. Consultado em 13 de Fevereiro de 2017 
  4. a b SOUSA, José Fernando de; ESTEVES, Raul (1 de Março de 1935). «O Problema da Defesa Nacional» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1133). pp. 101–103. Consultado em 25 de Janeiro de 2013 
  5. «Publicações recebidas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 49 (1177). 1 de Janeiro de 1937. 21 páginas. Consultado em 15 de Fevereiro de 2017 
  6. «A Estação da Minha Vida». REFER Notícias (21). Gabinete de Comunicação e Imagem da Rede Ferroviária Nacional. Maio de 2001. pp. 1–2. Consultado em 13 de Fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 1 de Novembro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.