Estação Ferroviária de Poceirão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Poceirão Logos IP.png
Estação de Poceirão, em 2009.
Linha(s) Linha do Alentejo (PK 30,407)
Conc.ª de Agualva
Conc.ª de Poceirão
Coordenadas 38° 38′ 03,65″ N, 8° 44′ 36,42″ O
Concelho Palmela
Serviços Ferroviários InterCidades
Horários em tempo real
Serviços Sala de espera

A Estação Ferroviária de Poceirão é uma gare da Linha do Alentejo, que funciona como entroncamento com as concordâncias de Poceirão e Agualva, e serve a localidade de Poceirão, no Concelho de Palmela, em Portugal.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Vias e plataformas[editar | editar código-fonte]

Em Janeiro de 2011, possuía nove vias de circulação, com 93 a 800 m de comprimento; as plataformas tinham 160 e 100 m de extensão, e 35 e 40 cm de altura.[1]

Localização e acessos[editar | editar código-fonte]

Esta interface situa-se na localidade de Poceirão, em frente ao Largo da Estação do Poceirão.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: História da Linha do Alentejo
Horários dos vapores para a margem Sul e dos comboios no Alentejo, em 1872.

Século XIX[editar | editar código-fonte]

A estação insere-se no troço entre Barreiro e Bombel da Linha do Alentejo, que entrou ao serviço em 15 de Junho de 1857.[3]

Século XX[editar | editar código-fonte]

Em 1913, a estação do Poceirão era servida por carreiras de automóveis até Águas de Moura, Alberge, Alcácer do Sal, Palma, Santa Margarida do Sado, Grândola, São Francisco da Serra, Santiago do Cacém e Sines.[4]

Século XXI[editar | editar código-fonte]

Em 24 de Outubro de 2013, descarrilou um vagão de um comboio de amoníaco no interior desta estação, acidente que não provocou mortos nem feridos, mas obrigou ao corte da circulação ferroviária.[5] O vagão cisterna transportava 35 toneladas daquele produto tóxico[6], tendo descarrilado quando o comboio estava a fazer manobras.[7] Não chegaram a acontecer fugas, mas a Guarda Nacional Republicana e os bombeiros montaram um perímetro de segurança por precaução, enquanto decorreram as operações de remoção do vagão.[8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a Estação de Poceirão

Referências

  1. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2012. Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. p. 71-85 
  2. «Poceirão - Linha do Alentejo». Infraestruturas de Portugal. Consultado em 4 de Agosto de 2016 
  3. SANTOS, 1995:108
  4. «Serviço de Diligencias». Guia official dos caminhos de ferro de Portugal. Ano 39 (168). Outubro de 1913. p. 152-155. Consultado em 8 de Fevereiro de 2018 – via Biblioteca Digital de Portugal 
  5. SOARES, Marisa (24 de Outubro de 2013). «Vagão com amoníaco descarrilou no Poceirão mas não há risco de fuga». Público. Consultado em 11 de Dezembro de 2013 
  6. MOREIRA, Pedro; PINOTA, Carlos; VILAR, Luís (25 de Outubro de 2013). «Comboio carregado de amoníaco descarrilou no Poceirão». Rádio e Televisão Portuguesa. Consultado em 11 de Dezembro de 2013 
  7. COSTA, Cláudia (24 de Outubro de 2013). «Vagão com cisterna de amoníaco descarrila no Poceirão». TVI24. Consultado em 11 de Dezembro de 2013 
  8. «Vagão com amoníaco descarrila em Poceirão». Sol. 24 de Outubro de 2013. Consultado em 11 de Dezembro de 2013 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • SANTOS, Luís Filipe Rosa (1995). Os Acessos a Faro e aos Concelhos Limítrofes na Segunda Metade do Séc. XIX. Faro: Câmara Municipal de Faro. 213 páginas 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.