Estação Mauá (CPTM)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


CPTM icon.svg Mauá
Visão das plataformas da estação Mauá, em 2017. A partir do Boulevard da cidade.
Uso atual Bahn aus Zusatzzeichen 1024-15.svg Estação de trens metropolitanos
Proprietário Bandeira do estado de São Paulo.svg Governo do Estado de São Paulo
Administração SPR (1883-1946)

EFSJ (1948-1969) RFFSA (1975–1984)
CBTU Logo2.svg CBTU (1984–1994)
CPTM icon.svg CPTM (1994–atualmente)

Linhas L10 C.jpg Turquesa

Estrada de Ferro Santos-Jundiaí
(SPR, 1889–1975)
Estrada de Ferro Santos-Jundiaí
(RFFSA, 1975–1994)

Código SP-2079
Sigla MAU
Posição Superfície
Níveis 1
Plataformas Laterais (2)
Central (1)
Vias Três
Altitude 763 metros acima do nível do mar
Movimento em
2016
Média de 49,3 mil passageiros por dia
Zona tarifária Única (R$ 4,40)
Serviços Acesso à deficiente físico Banheiro Venda de Bilhetes Achados e Perdidos Centro de Informações Bicicletário
Conexões Terminal rodoviário
Site CPTM icon.svg Linhas da CPTM
Informações históricas
Nome antigo Pilar
Inauguração 1 de abril de 1883 (139 anos)
Fechamento Data desconhecida
Reconstrução 27 de março de 1978 (44 anos)
Projeto arquitetônico Rede Ferroviária Federal
Localização
Localização Gnome-globe.png Estação Mauá
Endereço Av. Rio Branco, s/n - Centro
Município Bandeira Maua SaoPaulo Brasil.svg Mauá
País  Brasil
Próxima estação
Sentido Jundiaí
L10 C.jpg
Sentido Rio Grande da Serra
Mauá
Linha Serviço 710.png

A Estação Mauá é uma estação ferroviária, pertencente à Linha 10–Turquesa da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, localizada no centro do município de Mauá, no ABC Paulista.

História[editar | editar código-fonte]

Porteira ao lado da estação de Mauá. Anos 1940

A construção da ferrovia, que começou no porto de Santos e seguiu em direção a São Paulo, foi iniciada em maio de 1860. Projetar e construir a ferrovia foram grandes desafios para os técnicos britânicos. A solução adotada para transpor a Serra do Mar foi construir uma série de planos inclinados, com um declive de 10%, e utilizar locomotivas estacionárias para descer e subir os trens por meio de cabos.

A São Paulo Railway Company, organizada em Londres, foi formada para construir a estrada de ferro que ligaria Santos a Jundiaí. A inauguração da estrada de ferro em 16 de fevereiro de 1867 melhorou significativamente o transporte de produtos agrícolas do interior para o Porto de Santos, em especial o café produzido na Província de São Paulo, impulsionando o desenvolvimento local.

O crescimento da então chamada Vila do Pilar motivou a Superintendência da São Paulo Railway Company a instalar uma estação da ferrovia na localidade. Em 1883 foi inaugurada a então Estação do Pilar, toda construída em madeira, que viria a representar importante papel no processo de industrialização do futuro município. Em 1926 a Estação do Pilar passou a chamar-se Estação Mauá.

Nova estação (1978)[editar | editar código-fonte]

Na década de 1970 ocorreu um crescimento na demanda de passageiros na estação, que não comportava mais aquele movimento. Em 26 de janeiro de 1976, após mais uma pane nos trens de subúrbio, uma multidão de 3 mil pessoas depredou completamente a estação Mauá.[1] Com isso ,as obras da nova estação Mauá (iniciadas em agosto de 1975 pela empresa Estaf Engenharia S.A.) foram aceleradas. As obras tinham o custo de 9.811.000,00 cruzeiros e a previsão de conclusão de março de 1977.[2]

A nova estação foi aberta ao público em 27 de março de 1978 (cerca de um ano além acima do prazo contratual).[3]

Projetos[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2004 a CPTM realizou a licitação nº 8379402011 visando elaborar projetos de reconstrução das estações Ferraz de Vasconcelos e Mauá (Lote 4). O resultado da licitação foi homologado em 18 de março de 2005 com a vitória do Consórcio Engevix/Argeplan no valor de R$ 1.221.905,20.[4]

Apesar do projeto ter sido realizado[5], a CPTM teve o financiamento das obras obtido via Programa de Aceleração do Crescimento cancelado devido à crise econômica de 2014 no país, de forma que as obras da nova estação não saíram do papel até a presente data.[6]

Características[editar | editar código-fonte]

Sigla Estação Inauguração Integração Plataformas Posição Notas
MAU Mauá 1 de Abril de 1883 Bilhete Único da SPTrans e
Terminal de Ônibus Urbano
Laterais e Central Superfície Anteriormente denominada "Pilar".
Estação reconstruída pela RFFSA.

Diagrama da estação[editar | editar código-fonte]

Diagrama da Estação Mauá
Sentido Jundiaí
1

a
2

b

c
3
Sentido Rio Grande da Serra

Legenda

                     Linha ferrêa

  Plataforma


Linhas

Plataforma 1, 2 e 3: Linha 10–Turquesa da CPTM
Via a: Sentido Jundiaí (Não utilizada)
Via b: Sentido Jundiaí (Embarque e desembarque)
Via c: Sentido Rio Grande da Serra (Embarque e desembarque)
(Obs.: Esquema de utilização das plataformas pode variar dependendo do horário de pico.)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Nova depredação:Estação Mauá, 5h5». Folha de S.Paulo, Ano LV, edição 17122, página 16. 27 de janeiro de 1976. Consultado em 17 de fevereiro de 2019 
  2. «RFFSA remodela suas estações». Folha de S.Paulo, ano LVI, edição 17229, página 20. 14 de maio de 1976. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  3. Revista Ferroviária, no. 59 (1978). «Mauá». Estações Ferroviárias do Brasil. Consultado em 17 de fevereiro de 2019 
  4. «CPTM-HOMOLOGAÇÃO CONCORRÊNCIA Nº 8379402011» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo. 18 de março de 2005. Consultado em 17 de fevereiro de 2019 
  5. «Estação Mauá». Argeplan. 2007. Consultado em 17 de fevereiro de 2019 
  6. Fabio Leite (6 de março de 2017). «CPTM adia para 2020 entrega de acessibilidade em todas as estações:Companhia alega falta de repasses de verba do PAC e renova acordo com o Ministério Público prorrogando prazo em até seis anos». Estadão. Consultado em 17 de fevereiro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.